Avianca Brasil anuncia aposentadoria de seus Fokker-100 em janeiro

Denis Carvalho 4 · dezembro · 2012

Mesmo tendo o melhor serviço de bordo, espaço nas aeronaves e um sistema de entretenimento caprichado a Avianca Brasil tem uma grande desvantagem em relação à concorrente Azul pelo posto de melhor companhia aérea nacional: os 14 jatos MK-28, mais conhecidos como Fokker-100. Este quadro, contudo, deve mudar no próximo mês. A companhia anunciou a aposentadoria das aeronaves antigas e passará a operar apenas com seus novos Airbus.

Segundo o presidente da Avianca Brasil, José Efromovich, a ideia inicial era manter os aviões – famosos pelo ótimo custo-benefício – até o segundo semestre de 2014, mas a mudança foi antecipada devido ao cenário adverso do setor aéreo: “O nosso plano ‘A’ era continuar a expandir a frota, recebendo novas aeronaves e mantendo os Fokker até 2014. O plano ‘B’ era substituir os Fokker pelas aeronaves novas da Airbus que vamos receber no ano que vem”, disse Efromovich ao jornal O Estado de S. Paulo.

A decisão tem o objetivo de desacelerar o crescimento da companhia, que ampliou em 87% sua oferta de assentos para voos domésticos neste ano, a maior expansão do mercado. O aumento da capacidade fez a participação de mercado da empresa atingir 5,5% em setembro deste ano, contra 3,8% registrados no mesmo mês do ano passado, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

A Avianca começou a usar o Fokker em 2006, quando ainda se chamava Ocean Air. As aeronaves vieram da American Airlines e hoje têm cerca de 20 anos de operação. A empresa planeja devolver nove aeronaves do modelo até o fim do ano que vem. “Existe uma oferta no mercado brasileiro maior do que a necessária”, explica Efromovich.

A empresa já tem cinco aeronaves Airbus A318 previstas para chegar em 2013, mas o número pode ser maior, dependendo das condições do mercado. Por ter os mesmos controladores que a Avianca colombiana, a companhia brasileira pode receber aeronaves encomendadas pelo grupo se o mercado reagir. “Temos essa flexibilidade”, disse Efromovich.

Apesar da desaceleração, a Avianca ainda planeja ampliar em cerca de 30% sua oferta de assentos no ano que vem. A expansão é possível porque as aeronaves Airbus A318 têm 120 assentos, contra 100 do Fokker.

Fora alguns fãs dos Fokker, a notícia é ótima para os clientes da Avianca, já que os modelos antigos não oferecem sistema de entretenimento e têm o desgaste natural de jatos com duas décadas de uso. Nos Airbus, a Avianca Brasil oferece telas individuais com uma boa opção de programas de TV, música e jogos. Só não é melhor que o sistema da Azul, que agora oferece TV ao vivo.

A Avianca Brasil é hoje a segunda melhor colocada no Ranking Melhores Destinos de Companhias Aéreas, com média de 8,4 e 46 avaliações. A Azul lidera com nota 8,8 em 81 avaliações.

TAP

Ainda falando sobre o grupo Avianca, a sexta-feira é o dia D no processo de compra da TAP. O empresário Germán Efromovich, irmão e sócio do presidente da Avianca Brasil, deve apresentar neste dia a proposta comercial ao governo português para arrematar a companhia lusa. A Avianca, por meio da controladora Synergy, foi a única empresa habilitada para o leilão e se não houver nenhum contratempo deve ser a nova proprietária da TAP.

“Por uma condição de sigilo imposta pelo governo português eu não posso falar de valores até o dia 7 de dezembro, quando a nossa proposta será efetuada. Nos próximos dias concluiremos uma completa análise da situação da empresa. Com base nesse trabalho vou chegar ao valor que estamos dispostos a pagar por ela. Por enquanto prefiro dizer que a compra da TAP pelo grupo Sinergy é um projeto que tem boas chances de acontecer. O governo português tem de privatizar a empresa e não pode mais subsidiá-la. Terá de vender a companhia, agora ou mais tarde”, explicou Efromovich.

Consolidada a compra, a TAP deverá manter o mesmo nome  e a base em Lisboa, já que são cláusulas constantes na venda, mas o grupo Avianca passará a ter a maior participação na importante rota Brasil-Europa. Ainda não está claro se a TAP será parte do grupo AviancaTaca, permanecerá como uma empresa separada do Synergy Group ou mesmo se unirá futuramente à Avianca Brasil, mas a tendência no futuro é que todas essas companhias se tornem uma só.

Com informações do Estado de S. Paulo e da revista Veja

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Fernando Vieira

    O Fokker 100 ficou uma péssima e injusta reputação no Brasil depois do acidente com um da Tam em Congonhas. Tanto que a Avianca mudou a designação do jato para MK-28 justamente para desatrelar dessa fama. Mas é um ótimo e seguro jato. Só que a Fokker quebrou, então não tem mais manutenção de fábrica, portanto, hora de seguir em frente.

    Mas o que mais me assustou é uma companhia aérea colombiana comprar uma das maiores Européias. Que mundo é esse? Também é o mesmo que a maior companhia brasileira é chilena. Só tomara que os A330 portugueses não voem cheios do principal produto de exportação colombiano…

    • Thiago Castro

      Portugal está quebrado, assim como Espanha, Grécia e provavelmente a Itália tb. Vc precisa rever seus conceitos. 🙂

    • Daniel Matos

      Se não me engano, foram 2 graves acidentes na mesma época envolvendo Fokker-100 da TAM. Lembro que cheguei a ficar desconfiado se um dia tivesse que voar nesse jato. Ainda bem que nunca precisei.

    • Márcio Sampai

      Fernando, a Avianca Brasil não tem origem colombiana. Sua controladora (Grupo Synergy) é brasileira, e adquiriu a Avianca Colombia e a Taca há alguns anos. Podemos quase dizer que a OceanAir comprou a Avianca! Como esta última tem um nome tradicionalíssimo no mundo da aviação (foi fundada antes mesmo da extinta Varig), a empresa brasileira passou a usar o mesmo nome, que tem mais peso do que OceanAir.

      Quem está comprando a TAP não é a Avianca Colômbia, mas sim sua controladora, a Synergy. Esta está acima das Aviancas (BRA e COL) e da Taca. Isto quer dizer que a TAP está sendo adquirida por uma empresa brasileira. O fato dos seus donos terem dupla (ou mesmo tripla) nacionalidade não tira o fato da Synergy ser brasileira. Seria a mesma coisa que dizer que a Azul é americana…

    • paulo

      estamos em 2014 e o Fokker 100 continua voando, vi um pousar em Congonhas sexta-feira 11/01/14.

      • alexandre

        Paulo, fiz hoje 09/05/2014, a perna IOS-BSB, pela Avianca. Nos alto falantes do jato informam que estamos à bordo de um MK 28.

        • elias santos

          meu nome é Elias e viajei de BH a brasilia dia 17 ultimo e voltei ontem de brasilia mesmo e percebi que esta aeronave realmente ainda está em uso , e pela cara, somente neste trecho de brasilia- bh porque de brasilia a salvador, estavamos em um A320 , modernissimo . E ainda por cima, o MK 28 , fazia tanto barulho por dentro, que parecia um FUSCA TURBO !!! QUER DIZER : o nosso amigo Germán Efromovich , ou errou feio ou mentiu , ou preferiu guardar uns dolares a mais nos bolsos ; afinal , para brasileiro qualquer troço que voa tá BÂO !! o negoço , é não ir de õnibus .!!

          • eduardo

            O fokker 100 está na ativa.. estive pesquisando um voo entre BSB-JDO em fevereiro e lá estava o fokker 100 para realizar o trecho!

  • Daniel Bazetto

    Nunca voei de Fokker-100, será que ainda da tempo?

    • Bruno Willames

      Esse avião é horrível! Já voei duas vezes BRASÍLIA FORTALEZA E FORTALEZA SÃO PAULO. O assento é duro, apertado, desconfortável, as bandejas velhas, o design em si é bem ultrapassado. Fora que não tem nenhum entretenimento. Na vdd, me parece que esses aviões da Avianca foram comprados da TAM, que tinha àquela época aposentado esses modelos.

  • Newton Canto

    Os MK28 da avianca estão intactos, provavelmente serão repassados para a MAIS que ja tem liberação da anac pra voar e possui 2 mk.

    a unica coisa é que eles são antigos igual os 300 da ex web, mas continuavam intactos, não há o q reclamar

    e o avião só tem a má fama de hoje por causa da "ótima "manutenção da TAM

    • Luiz Fernando Wernz

      Intactos uma ova! Tive a infelicidade de fazer uma conexão com minha noiva num vôo da Avianca, saindo de um Airbus pra essa porcaria de Fokker 100 de Brasília pra Natal e foi simplesmente HORRÍVEL!! O avião estava uma porcaria (estava me sentindo num Chevette com asas), tudo tremia e fazia barulho naquela lata velha, oscilava demais, os assentos eram belas porcarias, enfim. Nunca na vida tive medo de andar de avião, mas essa viagem foi pra esquecer. Ainda bem que chegamos inteiros!

  • Junior Cesar

    A renovação da frota da Avianca substituindo os ultrapassados F100 por modernos A318 é bastante bem vinda para os clientes que ganham em segurança e conforto e também para a empresa que irá padronizar sua frota e poderá otimizar seus custos, entretando o contexto em que isto ocorre é preocupante pois reflete um desaquecimento da aviação comercial brasileira e pode implicar em redução de rotas com foco nas mais rentaveis como já ocorreu com Gol e TAM.

    A AVIANCA ainda tem muitas armas para conquistar o consumidor brasileiro mas precisa começar a usa-las com mais eficiência. A integração dos programas de milhagem da Avinca Brasil com o LifeMiles da Avianca/Taca seria uma excelente notícias, a integração das malhas permitindo que passageiros de diversas cidades atendidas pela Avianca Brasil comprem os trechos internacionais com conexão direta com os nacionais em um único bilhete e sem a necessidade de um novo checkin. Não dá para entender porque até agora estas ações não foram implementadas, estão esperando o que?

    A compra da TAP, a integração das malhas de todas as empresas do grupo Sinergy, e a manutenção de um serviço de qualidade como o que tem sido oferecido, tem o potencial para transformar o grupo em um gigante da Aviação mundial, um forte concorrente para a LaTam.

    • Tarcísio Mede

      Falano em LaTam, como ficou a história da Gol com a Aerolíneas?

  • Vinicius Dos Santos

    Gosto é individual, e cada um tem o seu, mas eu fiz trecho POA x GRU no MK28 e gostei sim. Não sou muito exigente em relação à entretenimento em vôos curtos, e neste caso, a aeronave estava muito limpa, bem conservada e o serviço de bordo da Avianca é ótimo. Como sou amante da aviação, tive o prazer de conhecer mais este modelo de avião. 😉

  • Márcio Sampai

    Denis, se não estou enganado, o sistema individual de entretenimento na Avianca é só nos A319 e A320. Os A318 possuem o sistema tradicional, no teto, como os A320 da TAM.

    Ah, semana passada viajei no A320 da Avianca. Estava utilizando um dos jogos, e em 5 minutos o meu sistema travou. Só foi o meu, os dos outros passageiros continuaram normalmente. Chamei um dos comissário e ele disse "isto acontece sempre… não temos como desligar apenas esse, o senhor tem que trocar de lugar para utilizar outro". Só que o vôo estava lotado! Como o trecho era curto (BSB-GRU), fiquei na já tradicional música no celular! 🙂

    • Márcio, você tem razão quantlo aos A318, mas será que os novos não terão sistema individual?

  • Lucas Pires Gomes

    Eu voei de Avianca recentemente e gostei do conforto da Aeronave. O problema foi o calor insuportável e o ar condicionado pingando.

  • Tarcísio Mede

    Eu fiz um vôo REC – GIG nesse avião, e me surpreendeu negativamente. Sempre voei de Gol, então conforto não é minha especialidade, mas achei que pagando mais caro pra ir na Avianca, que iria ter sistema de entretenimento a bordo e afins, quando cheguei, era um avião mais velho e que mexia mais do que os da Gol, me causando medo. Depois fui saber o motivo: Eram os famosos Fokker 100!

    Aviões são seguros, então imaginei que não iria acontecer nada, mas este é o PIOR avião em circulação, até os da Trip monomotor que balançava mais, mas pelo menos são BEM mais confortáveis…

    • Lucas Pires Gomes

      Eu voei num avião com cheiro de novo na Gol e ele tremeu muito, mas muito mesmo! Falei com um pessoal que é da aviação e me falaram que a idade da aeronave não influencia em nada nessa questão. Talvez tenha sido alguma coincidência…

      • Tarcísio Mede

        Não digo que é pelo tempo, mas sim pelo modelo.

        Quando voei pela Trip, como ele é monomotor, ele dá uma balançada. E não é turbulência, é mais suave, como se tivesse desestabilizada. Também teve o fato da viagem ter demorado mais. Se bem me lembro, REC – RIO pela Gol e pela TAM dá entre 2h e 20min pra 2h e 40min, no Fokker demorou 3:05. E se percebia que ele era meio lerdo, da parte de desligar os eletrônicos pra ele pousar, deu bem uns 20min, ficava naquela sensação de "Cadê? Vai chegar não?" isso tanto na ida quanto na volta.

        Sei não, não gostei, não faria esse vôo de novo com Fokker…

  • Igor Bessa

    demorou ein… aquilo é um perigo

  • Igor Bessa

    meu amigo, viajar naquele fokker 100 da Avianca é horrível… barulho, sem entretenimento… aquilo é horrível

  • Tony Coelho

    Existe uma diferença. Os Fokker 100 que a TAM usou eram montados na fábrica da Fokker, na Holanda que quebrou e fechou.

    O MK28, apesar de ser o mesmo projeto era montado nos Estados Unidos e todos tiveram carreira impecável. Os MK28 que voam na Avianca vieram da American Airlines. Lógico que a Avianca não usaria a designação Fokker 100 para não afugentar clientes, mas são aviões baratos, consomem pouco combustível, são confortáveis e estão prestando um bom serviço na Avianca. Viajo neles constantemente, sem problemas.

    Até hoje não se explica o motivo de tantos acidentes e incidentes com o Fokker 100 na TAM. Me lembro uma vez no mesmo dia um pousou num pasto sem combustível e outro pousou sem o trem de pouso, acho que em Campinas, fora aquele que um maluco explodiu uma bomba e outro que soltou uma porta que caiu no teto de um supermercado em SP sem vítimas.

    • Tony Coelho

      Ops, deixei de citar o principal acidente. Aquele F100 que caiu no Jabaquara matando 99. O reverso abriu e o comandante sem entender o que acontecia ainda deu força no motor.

  • Karl Kafka

    Monomotor?

  • Igor Bessa

    de acordo com o wikipedia você tem razão, a empresa é brasileira, mas o dono é boliviano que tem cidadanias brasileira e colombiana segundo eles

  • Karl Kafka

    Viajei algumas vezes nos Fokker 100 da Avianca, não achei nada desconfortáveis, apesar de antigos. Neste fds, viajei de Brasilia para Congonhas num Airbus da TAM, parecia que estava caindo aos pedaços. Assentos puídos, sistema de entretenimento ridículo, aeronave mal cuidada. A atenção e a manutenção fazem diferença.

  • Pedro Kormann

    monomotores são aviões que tem apenas um motor (no nariz do avião)

    vc deve estar se referindo aos turbo-hélice da Trip

    • Tarcísio Mede

      Perdão, é o de turbo-hélice mesmo que estava me referindo HAHAHAHHAHA

  • Henrique Zimmermann

    É uma pena… esse é meu avião favorito, eu voo nele desde 1993. Para mim seu desenho é fantástico, uma obra de arte. Tive a sorte de voar nele há pouco tempo, numa viagem a trabalho no trecho Juazeiro do Norte – Brasília. Matei a saudade. Percebi que os bancas já mostravam sinais de fadiga, mas como gosto muito da aeronave, adorei a viagem. Gostaria de saber para onde elas irão depois que a Avianca as vender.

  • Rodrigo Falleiro

    hein? trip monomotor??? qual avião???

  • Guinho Par

    Esperando o dia que a Avianca será só A318 😀

    • Diego

      Esperando o dia em que poderei voar Avianca no Brasil e acumular milhas no Mileage Plus!

      • Eu me contentaria com o LifeMiles

        • Thiago Ambrós

          Somos 2!

  • Léo Ramalho

    Quanto Preconceito amigo Fernando. Vc deveria quebrar essas barreiras e ir conhecer os países que julga, com toda a certeza, sem nunca ter posto os pés la. Ja andei o Chile de Pucon ao Atacama e morei 1 ano e meio na Colombia, mas especificamente em Medellin, sim, a terra de Pablo Escobar!! E posso te dizer com toda a certeza de quem ja estve la , viu e comprovou com os proprios olhos que tanto a Colombia, quanto o Chile são países que poe facilmente o Brasil no Bolso!! O avanço desses países é tão grande em relação as areas de educação, Saude, Tecnologia, Segurança etc que fica ate dificil encontrar uma cidade no Brasil para comprar com a qualidade de vida que eu encontrei m Medellin por exemplo… talvelz Curitiba, ou Indaiatuba-SP… Mas é dificil. Antes de se ESPANTAR por pensar que os pobres países do Submundo Sul Americano, aqueles cheio de indios e falidos por uma ditadura ou produtores de cocaína e controlados por uma milicia, não tem cpacidade para comprar uma riquissima Estatal Europeia, informe-se melhor, pois senão vc passa so por mais um troll desqualificado.

  • Kaique Emanuel

    Éh, mas estamos no final de janeiro e o MK-28, continua voando no trecho Brasilia – Juazeiro do norte, pra acaba de sair de uma aeronave como o Airbus A319 entrar em um MK-28 causa um impacto muito grande!

  • marlon

    Olha muitas pessoas acham que só acontecia acidentes nos Fokker 100 da TAM e por q nunca aconteceu nos da Avinca

    1_Na epoca que a TAM utilizava os Fokker não tinha TAM MRO o central de manutenção era outra empresa responsável pelas manutenções

    2_Atualmente em todos estes anos que a Avianca opera com o Fokker 100 aqui no brasil quem é que faz a manutenção dos Fokker 100 da Avianca é a TAM a TAM MRO, e por q até hoje nunca aconteceu nem um problema com os Fokker da Avianca se é a TAM que faz sempre a manutenção deles, pois no tempo que a TAM operava com os Fokker era outra empresa responsável pela as manutenções

  • marlon

    Não meu filho A TAM não erra ela que fazia as manutenções dos Fokker era outra empresa, pois naquele tempo não tinha o TAM MRO, mais hoje até os Fokker 100 da AVIANCA fazem manutenções lá e nunca deram problemas

  • Paulo

    Nunca voei de Mk28, só de A320, B737/8, E195