Aviação doméstica perde mais de 3 milhões de passageiros em 2016

Thayana Alvarenga 22 · junho · 2016

A aviação doméstica brasileira perdeu mais de 3 milhões de passageiros neste ano. Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), que informou também que o mês de maio registrou queda de 7,7%, comparado ao mesmo período do ano passado. Sendo assim, este é o 10º resultado mensal negativo consecutivo, além de o pior desde maio de 2012. Ao todo, no mês foram transportados 6,8 milhões de passageiros, um número quase 10% abaixo comparado a 2015. Estes dados são uma compilação das estatísticas da Avianca, Azul, GOL e Latam, responsáveis por 99% do mercado doméstico.

No mês de maio, a GOL liderou participação do mercado doméstico, com 36,88% dos voos. Na sequência, aparece a Latam com 34,77%, seguida da Azul com 17,05% e depois a Avianca, que tem 11,31% nas participações. De janeiro a maio houve uma baixa de 8,2% na demanda doméstica, considerando que o total de viagens soma 36,8 milhões – uma perda em torno de 3,2 milhões de passageiros.

Voos internacionais

A procura por viagens internacionais teve baixa de 4,5% em maio, comparado ao mesmo período do ano passado. Este é o pior resultado desde maio de 2014. O total de viagens realizadas entre o Brasil e destinos no exterior foi de 544 mil, número que indica queda de 4,9% se comparado a maio do ano passado.

Os dados apurados pela ABEAR contemplam 25% do mercado, já que o restante é dominado por companhias estrangeiras. Em maio, a Latam liderou voos do mercado internacional com 81,15%, seguida da GOL com 11,63%, Azul com 7,15% e Avianca, que aparece em último com 0,07%.

 Cargas

No mês de maio, a carga aérea doméstica somou 25,6 mil toneladas. Nos cinco primeiros meses deste ano, os números chegaram a 123,3 mil toneladas, uma queda de 12,4%, além de 74,1 mil toneladas de carga internacional, alta de 3,2%. Os dados são referentes às companhias aéreas que são integrantes da ABEAR.

Publicado por

Thayana Alvarenga

Repórter

  • Edy Motta

    Eu trabalho na área de acompanhamento de embarque de passageiros, e posso afirmar que as cias. aéreas diminuíram e muito os números de vôos, trabalho no aeroporto FLN e de uns 03 anos pra cá, os vôos foram reduzidos em aproximadamente uns 20%…