Avaliação da Wizz Air

Wendell Oliveira 16 · outubro · 2018
Econômica
BUD - CFU
W6 2445
Airbus A320
12/09/2018

Embarque

Previsto: 05:30h
Efetivo: 05:30h

Partida

Previsto: 06:20h
Efetivo: 06:40h

Chegada

Previsto: 09:00h
Efetivo: 09:02h

Fundada em 2003, a companhia aérea Wizz Air (estilizada como “W!zz Air”) é uma low cost húngara, com base em Budapeste. Possui uma frota de 104 aeronaves voando para mais de 140 destinos na Europa, norte da África e Oriente Médio. Famosa por suas tarifas a preços convidativos, a empresa consolidou-se como uma das principais companhias low cost da Europa, concorrendo diretamente com as populares Ryanair e EasyJet. Quais serão os diferenciais em relação às outras? Confira em nossa avaliação!


Resumo do review
Wizz Air W6 2445
Budapeste (BUD) – Corfu (CFU)
Aeronave: Airbus A320
Pontos positivos: preço e compromisso com a pontualidade
Pontos a melhorar: padronização do check-in e fiscalização de bagagens

Como é voar com a Wizz Air

Por Wendell Oliveira

Viajar pelo Velho Continente é uma experiência e tanto. Ainda mais com o advento das companhias low cost, que permitem cruzar o continente com tarifas incrivelmente baixas. Dentre as aéreas mais conhecidas, a Wizz Air é uma opção a se considerar, com voos a partir de 5 euros e descontos de até 30% nas passagens.

Destinos Wizz Air
141 destinos em 44 países

Nossa intenção era sair de Budapeste em direção a Saranda, cidade litorânea da Albânia (confira a viagem no Instagram do Melhores Destinos ou pela hashtag #MDnaAlbânia). Mas como o único aeroporto internacional do país fica longe do litoral, o melhor a fazer era voar para a ilha de Corfu, na Grécia, e de lá seguir para o país de ferry.

Ponto positivo para Wizz Air: além da excelente variedade de destinos saindo da capital húngara, o preço era muito bom para uma passagem comprada com menos de uma semana de antecedência: €30. Para outras datas distantes havia até passagens a €12, um ótimo negócio para um voo de 1h40 de duração.

Comprei a passagem diretamente pelo intuitivo site da Wizz Air. Como toda companhia de baixo custo, há sempre alguns extras que você deve ficar atento antes de efetuar a compra. O principal deles é o da bagagem: a tarifa mais barata não inclui mala despachada, que deve ser comprada à parte. Mesmo a bagagem de mão inclusa (limitada a um volume de 55 x 40 x 23 cm / 10 Kg) é sujeita à disponibilidade de espaço na aeronave, podendo ser remanejada para o porão — sem custos.

A melhor maneira de garantir que sua bagagem vá com você na cabine é adquirir o pacote Embarque Prioritário WIZZ, que também permite levar uma bolsa pequena extra, além da prioridade propriamente dita. Como o voo sairia da Hungria, todos os valores estavam expressos em Florim Húngaro (Ft), a moeda oficial do país. O preço pode ser convertido para euro, dólar e outras moedas ao final da compra.

Ao longo do processo de reserva, também há opções com taxas extras para selecionar o assento, escolher uma refeição a bordo, bem como um seguro contra atrasos e cancelamentos (On-time Guarantee). Este último é bem interessante por sinal: por apenas €​10 você tem direito a uma compensação de €100 de créditos com a Wizz para atrasos superiores a uma hora. Vale a pena consultar se seu voo costuma atrasar, especialmente durante a alta temporada do verão europeu.

Passagens compradas, é hora de voar! ✈

Check-in

8

Para evitar uma cobrança extra de ‎​€​10 ao fazer o check-in no balcão do aeroporto, o ideal é fazê-lo online. O check-in online da Wizz Air abre 48 horas antes do embarque e fica disponível até 3 horas antes desse horário. Para quem pagou pela escolha do assento durante a compra, o check-in já está disponível até 30 dias antes do voo. É possível fazê-lo pelo site ou diretamente no aplicativo da companhia, uma opção bem simples e prática.

A limitação de bagagens me deixou bem apreensivo, por isso acabei me vestindo em camadas com diversas roupas para poupar espaço na mochila.

A julgar pelos demais passageiros, não fui o único. Embora alguns realmente tenham respeitado as regras, outros pareciam não se importar muito, carregando mochilas cargueiras, sacolas e diversos volumes que ultrapassavam as limitações impostas pela companhia.

Apesar de não haver uma checagem pré-embarque, os avisos estavam muito claros. Melhor não arriscar.

V1d4 L0k4 – Não seja esse passageiro. Evite taxas extras. Respeite as regras.

Desde 2012 o Terminal 1 do Aeroporto de Budapeste foi fechado, restando apenas o Terminal 2, subdividido em 2A (para voos internos na Área Schengen) e 2B (demais voos internacionais). Chamar o 2A de “terminal” é quase um elogio, já que o galpão de metal é desorganizado e com cheiro de mofo. Mas pelo preço da passagem, nem dá para reclamar.

Terminal 2A do Aeroporto de Budapeste: Basicamente um container gigante.

Após uma rápida checagem de documentos, segue-se a pé para a aeronave pela via de pedestres, através do pátio do aeroporto. O caminho não é longo, mas pode ser cansativo para quem carrega muito peso. Mais um motivo para respeitar as regras de bagagem da companhia.

O embarque foi realizado com o auxílio de escadas, tanto pela porta dianteira quanto a traseira, conforme orientação do próprio cartão de embarque.

Cabine

8

Ao contrário de algumas companhias low cost (estou olhando para você, Ryanair), o interior da aeronave era bem clean, sem anúncios coloridos poluindo o visual. O Airbus A320 parecia estar em bom estado de conservação e com limpeza impecável.

Mesmo o espaçamento das poltronas – uma reclamação recorrente entre os passageiros de companhias de baixo custo – parecia ser o suficiente, o que para mim foi uma surpresa. Uma vistoria de rotina tomou um pouco mais de tempo do que o habitual e atrasou a decolagem em exatos 20 minutos, sem grandes prejuízos para o horário estimado de chegada.

Entretenimento

6

A única opção de entretenimento disponível é a revista da companhia (Wizz Magazine), surpreendentemente interessante, com bons artigos, dicas de viagem e fotos de qualidade. Fora isso, é melhor levar seu smartphone ou admirar a paisagem da janela.

Serviço de bordo

7

Por padrão de companhias low cost, não há kit amenidades nem refeições gratuitas servidas a bordo. Para quem não pré-reservou nenhuma opção online, é possível comprar na hora. Os preços no menu são acessíveis e não variam muito dos valores praticados no aeroporto.

Comissários e equipe de solo

7,5

Como fiz o check-in online, quase não tive contato com a equipe de solo da companhia, exceto pelo pessoal responsável pela conferência dos cartões de embarque e passaportes. Eles me pareceram um pouco despreocupados demais, a ponto de somente checar o boarding pass no celular e não verificar o passaporte. Por costume, dou muita atenção à essas falhas de segurança e invariavelmente isso se reflete na minha avaliação pessoal da companhia, embora acredito não ser uma rotina.

Já os comissários executaram o trabalho com perfeição, apesar de certa apatia. Interessante notar que a maior parte da tripulação era masculina, talvez tenha faltado um toque feminino à companhia, que curiosamente tem o uniforme azul embora suas cores oficiais sejam o rosa e o roxo.

Todos os avisos foram feitos em inglês e um outro idioma, que acredito ser húngaro.

Programa de fidelidade

7

A Wizz Air não possui nenhum programa de milhagem, tampouco faz parte de alguma aliança aérea onde seja possível pontuar. Entretanto, possui um clube de descontos bem vantajoso. Por €29,99 ao ano é possível garantir descontos de no mínimo €10 por bilhete (sujeito a disponibilidade), além de um desconto mínimo de €5 nas bagagens e ofertas exclusivas somente para os membros.

Para quem vive na Europa ou vai passar algum tempo viajando pelo continente nas rotas operadas pela companhia, acredito que valha a pena.

Nota final

7,2

Apesar do ligeiro atraso na decolagem, chegamos dentro do horário na ilha grega. Como é de se esperar, a vista da janela é deslumbrante para esse tipo de voo. Durante parte do trajeto foi possível admirar a costa albanesa, visível nos últimos minutos de voo em baixa altitude.

O pouso foi suave, com direito a palmas dos passageiros no final. Assim como o embarque, a saída também teve o auxílio de escadas nas duas portas. Dessa vez foi disponibilizado um ônibus do aeroporto para o trajeto até o terminal.

Por ser um voo entre dois países signatários do Acordo de Schengen, não houve burocracias de imigração. Sem bagagens despachadas para retirar, saímos tranquilos prontos para aproveitar o finzinho de verão europeu. No geral o voo não teve grandes destaques negativos e o custo-benefício valeu muito a pena. Sem dúvidas voaríamos novamente com a Wizz Air, ainda mais aproveitando as promoções com descontos e passagens super baratas.

Ah, já ia me esquecendo: A pronúncia correta é “Vízz”, não “Uízz” 🙂


Quer ver a sua avaliação publicada no Melhores Destinos? Peça as instruções, capriche no texto e nas fotos e mande para a gente: avaliacao@melhoresdestinos.com.br

Autor

Wendell Oliveira - Editor - Ásia Viajante profissional, está no fuso horário da Tailândia procurando as passagens mais baratas — e vai te acordar de madrugada quando encontrar :)