Avaliação da SkyJet Airlines

Wendell Oliveira 11 · setembro · 2018
Econômica
MNL - USU
M8 715
BAe 146-100
03/06/2018

Embarque

Previsto: 07:40h
Efetivo: 08:01h

Partida

Previsto: 08:05h
Efetivo: 08:39h

Chegada

Previsto: 08:45h
Efetivo: 09:18h

A SkyJet Airlines é a primeira companhia aérea boutique das Filipinas, em operação desde 2012. Com uma pequena frota de quatro aeronaves modelo British Aerospace 146, a empresa sobrevoa o arquipélago filipino, encurtando as distâncias entre as ilhas mais famosas do país e garantindo vistas incríveis da janela do avião. Embarcamos com a companhia para avaliar seus serviços, confira na avaliação abaixo!


Resumo do review
Skyjet M8 715
Manila (MNL) – Busuanga (USU)
Aeronave: British Aerospace 146-100
Pontos positivos: franquia de bagagem e assentos espaçosos
Pontos a melhorar: preços e frequência de voos

Embora seja um destino paradisíaco e com boa infraestrutura turística, viajar para as Filipinas requer planejamento. Com 7.641 ilhas em seu território, deslocar-se por algumas regiões do país até pouco tempo se resumia a intermináveis horas de barco, em trajetos nada confortáveis e até perigosos. Felizmente isso é coisa do passado e companhias aéreas de pequeno e médio porte surgiram para surprir a demanda de transporte rápido e eficiente pelas ilhas.

Nosso roteiro era sair de Manila, a congestionada capital do país, até a ilha de Coron, uma das mais bonitas e preservadas do arquipélago, mas ainda não tão famosa como El Nido. De barco, a jornada levaria de 12 a 15 horas (dependendo das condições marítimas). Absolutamente inviável. Em nossas pesquisas, encontramos voos com as companhias Cebgo, Cebu PacificPhilippine Airlines e SkyJet – esta última com o melhor preço: US$75, para um trajeto de 40 minutos. Que diferença! Mesmo não sendo super barato, valia pela economia de tempo.

A compra foi feita pelo próprio site da SkyJet, de fácil acesso. A companhia aceita até 10 kg de bagagem despachada grátis e 5 kg como bagagem de mão. Não tivemos nenhum problema com o cartão de crédito e a confirmação da reserva chegou por e-mail tão logo a compra foi efetuada. Vale mencionar que é possível encontrar tarifas bem mais baratas fora da alta temporada, além de ações promocionais do tipo “passagens grátis para aniversariantes”.

Check-in

8

Até o momento a SkyJet não oferece a opção de check-in online, tampouco escolha de assentos. Todos os procedimentos de embarque devem ser realizados direto no guichê da companhia no aeroporto. Traduzindo: chegue cedo.

Os aeroportos filipinos estão frequentemente na lista de piores do mundo, e o da capital Manila – Ninoy Aquino International Airport (NAIA) – não é diferente. Atrasos e cancelamentos são bem comuns nessa parte do globo. Nosso embarque seria no Terminal 4, o mais antigo de todos, de onde partem os voos domésticos. Não há metrô ligando a cidade a nenhum dos quatro terminais, que também não são conectados entre si. É necessário pegar um shuttle (ou táxi) para ir de um ao outro, portanto o ideal é saber qual terminal ir para não perder tempo.

Chegamos com bastante antecedência e fomos um dos primeiros a serem atendidos. Aproveitamos a franquia grátis de bagagem, mais por medo do que por vontade própria: havia um aviso bem claro no balcão informando que bagagens com peso ou tamanho fora das especificações interceptadas durante o embarque seriam cobradas à parte, 1.500 pesos filipinos (~US$30) por peça.

O processo do check-in em si foi rápido, com marcação de assentos e despacho de bagagens sem maiores complicações. Duro foi passar pela vistoria de segurança do aeroporto. Aparentemente os padrões de um simples terminal doméstico filipino é mais rigoroso do que o de NY ou Dubai: fomos obrigados a nos livrar de um pequeno cortador de unha detectado no raio-x, que nunca nos deu problema em voos anteriores. No saguão, uma boa surpresa: havia várias tomadas disponíveis, grande variedade de lojas e lanchonetes, fraldários e até mesmo um pequeno santuário, em um dos países com o maior número de católicos no mundo.

Como já imaginávamos, o embarque atrasou cerca de 20 minutos. Não foi necessário ônibus, os passageiros seguiram caminhando por uma área reservada do pátio até chegar à aeronave, a pouco metros de distância. O British Aerospace 146-100 com capacidade para 80 pessoas era robusto e bem conservado, com destaque para as asas altas e os quatro pequenos motores sob elas. O embarque teve o auxílio de escadas, tanto na porta traseira quanto na dianteira. Em poucos minutos estavam todos a bordo, prontos para decolar.

Cabine

8,5

Entrei na aeronave com muitas expectativas, afinal era minha primeira vez em um BAe 146. A aeronave fabricada no Reino Unido foi produzida entre os anos 1983 a 2002, com 387 unidades construídas, tornando-se o jato civil britânico mais bem sucedido da história. O avião chegou a voar no Brasil na década de 80 com a extinta TABA (Transportes Aéreos da Bacia Amazônica), mas parece não ter se adaptado ao calor e umidade do local. O que não deixa de causar surpresa, já que o clima das Filipinas não é muito diferente.

Embora as poltronas já começassem a apresentar os sinais da idade, o interior da aeronave estava em excelente estado, com zelo e limpeza exemplar. A porta do cockpit permaneceu aberta até o início do taxiamento da aeronave, o que soou como um toque suave de hospitalidade: “entre, a casa é sua!”. O espaço para bagagens também me pareceu bem maior do que o esperado, bem como o generoso espaçamento entre os assentos. Alguns detalhes típicos de modelos antigos, como botões metálicos e janelas com duas aberturas (superior e inferior) chamam a atenção e dão um ar vintage à experiência.

Imaginei que a decolagem fosse um pouco mais rápida devido ao porte da aeronave, mas percorremos praticamente a pista toda até subir. Em um voo curto como esse, é comum manter uma altitude mais baixa do que o usual. Se por um lado ficamos mais sujeitos a turbulências, por outro temos vistas como essa nos acompanhando por toda a viagem:

Entretenimento

8

São 40 minutos de voo, não dá para exigir muito do entretenimento a bordo, não é mesmo? Ainda assim, a SkyJet parece se esforçar e deixa à disposição sua revistinha Dash com matérias surpreendentemente boas sobre as principais ilhas das Filipinas. Informativos da companhia e o safety card também estão presentes para passar o tempo, embora eu ainda prefira me distrair com a janela.

Serviço de bordo

9

Exatos cinco minutos após a decolagem, começou o serviço de bordo mais rápido que já vi. Nem esperava nada de um voo tão curto, mas as comissárias passaram distribuindo (sem carrinho!) uma garrafa pequena de água e um pãozinho. Mais do que eu esperava, melhor do que isso só se viesse um docinho! 🙂

Comissários e equipe de solo

8

O staff em solo da SkyJet foi bastante prestativo e procederam com o check-in de forma rápida e eficaz. A bordo, as comissárias – com uniformes ligeiramente mais curtos do que estamos acostumados – não tiveram muito tempo para serem simpáticas, mas realizaram os avisos de segurança e distribuição de lanches com perfeição.

Programa de fidelidade

5

Até o momento a SkyJet não possui programa de milhagens, tampouco pertence à alguma aliança global que permita o acúmulo e resgate de pontos.

A julgar pela sazonalidade, curta distância e duração de seus voos, não podemos julgá-los, embora haja outras maneiras de fidelização de clientes que a companhia possa elaborar no futuro.

Nota final

7,7

O pouso foi suave e tranquilo, com direito a palmas dos passageiros no final. O “aeroporto” de Busuanga, um pequeno vilarejo a 50 km do centro de Coron, é composto basicamente de uma pista e um galpão. Os passageiros se amontoam na hora de sair, registrando fotos e criando certo tráfego. Como há poucos voos, isso não chega a ser um problema de segurança.

O pessoal responsável pelas bagagens é bem rápido e em pouquíssimos minutos já estão com elas no galpão, onde serão distribuídas aos respectivos donos. A apresentação do ticket é obrigatória para garantir que a bagagem é sua mesmo. Apesar de seguro, o procedimento pode demorar alguns minutos a mais do que o desejável.

A poucos passos dali já estamos fora do aeroporto, na ilha paradisíaca de Coron. A SkyJet cumpriu bem o seu papel e transformou o que seria uma longa e cansativa jornada de barco em um voo curto e agradável. O custo-benefício é ótimo, e no geral os serviços foram melhores do que o esperado. Em uma próxima viagem às Filipinas, voaríamos com a companhia novamente sem dúvidas!


Quer ver a sua avaliação publicada no Melhores Destinos? Peça as instruções, capriche no texto e nas fotos e mande para a gente: avaliacao@melhoresdestinos.com.br