Avaliação da SriLankan

Leonardo Cassol 11 · abril · 2017
Econômica
MLE - CMB
UL 116
Airbus A330
04/03/2017

Embarque

Previsto: 14:25h
Efetivo: 14:10h

Partida

Previsto: 15:30h
Efetivo: 15:25h

Chegada

Previsto: 17:25h
Efetivo: 17:31h

Esse review é um dos trechos da minha viagem de férias, onde percorri 6 países, 3 continentes, viajando pela primeira vez em 5 companhias aéreas diferentes. Uma delas foi a SriLankan Airlines.

Sobre a SriLankan Airlines 

A SriLankan é a companhia aérea do Sri Lanka. Fundada em 1979, possui sede e seu centro de operações em Colombo. Possui 21 aeronaves, todas da fabricante Airbus, e voa para 42 destinos. É membro da aliança Oneworld, a mesma das companhias aéreas Latam. American Airlines, Qatar, British, Ibéria, entre outras.

Resumo do review

Duração da viagem: 1h25m

Destaques positivos: aeronave, serviço de bordo, comissários e amenidades

Check-in

8,5

Chegando ao Aeroporto de Malé – Maldivas

O acesso ao aeroporto de Malé, nas Ilhas Maldivas, ocorre através de barcos ou de hidroaviões, para quem está hospedado nos hotéis das ilhas. Próximo ao aeroporto é possível ver a cidade. É uma experiência diferente e bem legal!

Check-in

Fiz o check-in cerca de 90 minutos antes do horário de partida. A fila tinha uns 8 passageiros, mas utilizei o guichê das prioridades comerciais com o cartão Black do Latam Fidelidade – Oneworld Emerald, que não tinha ninguém. Esse é um dos benefícios oferecidos para passageiros frequentes das companhias aéreas dessa aliança.

Confirmei o assento 23A (janela) que eu havia reservado no momento da compra da passagem. Junto com o cartão de embarque, recebi gratuitamente o convite para a sala VIP do aeroporto – Leeli Lounge, um benefício do status Emerald na Oneworld.

O Sri Lanka não era o meu destino final. Eu teria uma conexão de três horas até pegar um novo voo da Sri Lankan até Tokyo, no Japão.

Depois da segurança, há controle de passaportes na saída das Maldivas. O simpático funcionário que carimbou meu passaporte falava algumas palavras de português. Segundo ele, tinha aprendido um pouco da língua com amigos brasileiros. O processo todo não levou mais de 10 minutos.

Sala VIP – Leeli Lounge

O aeroporto de Malé, apesar de pequeno, possui uma confortável sala vip. O lounge tem visão do pátio de aeronaves, de onde era possível ver o Airbus A330 que faria o voo até Colombo.

Na sala tem uma boa variedade de bebidas, pratos quentes e frios, salada e alguns doces, além de internet wi-fi gratuita. Foi uma prazerosa espera!

Mas não deu pra aproveitar muito o lounge. Uns 10 minutos depois de eu entrar, veio a chamada do voo. Ainda não era o horário oficial de embarque (como assim???). Pensei que seria algum erro, mas como eu queria fazer as fotos para o review, saí correndo deixando a bebida pela metade. Sábia decisão…

Embarque

O embarque começou 15 minutos antes do horário previsto, exatamente 1 hora e 15 minutos antes do voo. Isso é raro! E mesmo saindo correndo da sala VIP eu só embarquei no segundo ônibus. Ou seja, o embarque estava rolando já fazia um tempinho… Ainda assim, consegui fazer algumas fotos.

Cabine

9,0

A aeronave da SriLankan era novinha. O Airbus A330-300 tinha 269 assentos na classe econômica e 28 na classe executiva.

A configuração da classe econômica era 2-4-2, que particularmente eu gosto muito, pois permite que um casal viaje com mais privacidade junto, numa janela e corredor. Os assentos tinham acabamento na cor azul.

Nas saídas de emergência as poltronas têm bastante espaço, mas para viajar nesses assentos é preciso pagar! Nem perguntei quanto custava, pois a ideia era viajar e avaliar os assentos comuns.

A distância entre as poltronas e a reclinação eram razoáveis, mas para um voo com a duração tão curta, dá pra dizer que o conforto da classe econômica era bem acima da média, graças ao equipamento utilizado.

Detalhe para os apoio para os pés, um item importante para o descanso e o sono numa classe econômica.

Entretenimento

9,0

Cada poltrona dispõe de um monitor individual de 12 polegadas, bem novinho, sensível ao toque, e com porta USB. Há uma boa variedade de conteúdo sob demanda, com filmes (lançamentos e velhos conhecidos), séries, jogos, documentários e música, quase tudo com áudio e/ou legenda em inglês.

Só senti falta de um controle remoto. Mas, era possível acionar a luz ou chamar os comissários utilizando o monitor. Entre os assentos também tinha tomadas de energia.

Duas das coisas mais bacanas desse sistema eram as câmeras externas, onde foi possível acompanhar a decolagem e o pouso, além do air show, com todos os dados do voo. Deu até pena por ser uma viagem curtinha!

Serviço de bordo

9,5

Cada passageio recebeu um travesseiro e uma manta, mesmo sendo um voo de curta duração. Muitos passageiros sentem frio na aeronave, então acho bacana a companhia disponibilizar esse tipo de conforto durante o voo.

Os comissários distribuíram também fones de ouvido. Dentro dos bolsões, além das revistas e dos folhetos de segurança, algo interessante: um manual de boa conduta dentro do voo, mostrando os comportamentos que não seriam admitidos dentro da aeronave. Fiquei curioso… Será que eles tem muitos problemas com baderneiros, ou seria uma mera precaução?

Serviço de bordo

Cerca de 10 minutos após a decolagem o serviço de bordo começou. Estou falando de comida na mesa! Como estava entre as primeiras poltronas deu pra ver exatamente quando o primeiro prato tinha sido servido.

Foi o serviço de bordo de voo internacional (em aeronave de dois corredores) mais rápido de todos os tempos, pelo menos considerando os voos que eu fiz. As comissárias pareciam ninjas! Super ágeis, e sem demonstrar euforia. Falo isso porque não era um simples lanchinho. Acreditem se quiser, a Sri Lankan serviu almoço e sobremesa num voo com pouco mais de uma hora de duração! Incrível! Até então, o serviço mais rápido que eu tinha visto era com a companhia Thai.

Foram duas opções de prato principal: frango com arroz ou carne com legumes. Eu optei pelo frango, que veio acompanhado de uma sobremesa que parecia um arroz doce.

A comida estava boa e chegou quentinha. Aquele arroz bem branquinho me fez lembrar de casa! A sobremesa eu não comi, mas estava com uma aparência boa, de arroz doce mesmo (que eu não curto).

Depois do jantar foi servido chá e café! Sim, ainda deu tempo…

Acho que essas comissárias tinham que dar um treinamento para outras companhias aéreas, que às vezes deixam os passageiros horas e horas esperando pela comida. Bom demais!

Comissários e equipe de solo

10

Tenho que registrar meus elogios para a equipe de solo e, especialmente, para os comissários e comissárias da Sri Lankan. Apesar do uniforme meio esquisito (que certamente não é culpa delas e deve fazer elas passarem muito frio no voo), todos foram muito simpáticos e prestativos em todos os momentos.

O que mais me impressionou foi a organização e agilidade da equipe para servir o almoço. Incrível mesmo! Servir mais de 200 pessoas com calma e eficiência, em menos de 20 minutos, e depois ainda oferecer chá e café com toda paciência do mundo. Estão de parabéns!

Programa de fidelidade

8,0

O programa de fidelidade da SriLankan é o FlySmiles. Não tem grande utilidade para nós brasileiros, valendo apenas para quem mora no Sri Lanka ou viaja para o país. A grande vantagem é que a companhia é membro da Oneworld, permitindo acumular acumular milhas nos programas da Latam, bem como da American Airlines, British e Ibéria, entre outros.

Se for pontuar voos da Sri Lankan na Multiplus/Latam Fidelidade verifique a tabela de acúmulo.

Para utilizar pontos Multiplus/Latam Fidelidade na emissão de passagens na SriLanklan, utilize o call center 4002-5700. Infelizmente esse tipo de emissão não está disponível pelo site, o que é muito ruim, pois o atendimento pelo telefone costuma ser precário.

Eu gastei 20 mil pontos Multiplus + R$ 339 de taxas por pessoa para emitir um bilhete entre Malé e Tokyo, com conexão no Sri Lanka. O valor da taxa foi elevado porque o programa cobrou R$ 254 de taxa de combustível para esse bilhete.

Nota final

9,0

Pousamos no aeroporto de Colombo cerca de 6 minutos após o horário previsto, mesmo a aeronave tendo decolado cedo. Isso por causa do tráfego aéreo, já que o aeroporto está em obras de ampliação da pista e do pátio.

Ainda assim, foi um pouso tranquilo e eu tinha tempo para fazer a conexão com tranquilidade.

O aeroporto de Colombo tem uma infraestrutura muito limitada. Está completamente saturado e oferece poucas opções para o passageiro. Mas, para quem utilizava alguns aeroportos brasileiros na época do caos aéreo, ou antes das concessões, não há muita dificuldade para se virar…

Foi um grande prazer conhecer e voar com a SriLankan Airlines. É uma companhia regional, ainda bem desconhecida para a maioria dos brasileiros, mas que eu recomendo! Considere ela na sua próxima viagem para a Ásia ou adjacências.

E você, ficou com alguma dúvida? Já voou ou vai voar com a Sri Lankan? Comente e participe!

Veja também as avaliações dos voos da Korean AirEtihad, Qatar e Alitalia, realizadas durante essa viagem!

Leonardo Cassol – é editor do Melhores Destinos e especialista em programas de fidelidade. Acumulou em 2016 um total de 1.168.037 milhas com muitas viagens, cartões de crédito, clubes e promoções. Possui status nos quatro programas de fidelidade nacionais: Black Latam Fidelidade (One World Emerald), Smiles Diamante, Amigo Diamante (Star Alliance Gold) e TudoAzul Diamante. Além disso, possui status Medallion Platinum na Delta Airlines (Sky Team Elite Plus).

Autor

Leonardo Cassol - Editor Editor e especialista em programas de fidelização do Melhores Destinos.
  • João

    Muito bom o review!

  • rodrigo Resende

    Excelente emissão essa, hein, Leonardo. Parabéns!

  • Acho graça de se voar num A330 por um período de menos de 2h, enquanto se busca utilizar aviões menores para fazer trajetos curtos e ter um custo menor.

  • Rogério Cardoso

    Ótimo relato, parabéns! So uma correção na parte “Se for pontuar voos da Qatar na Multiplus/Latam Fidelidade verifique a tabela de acúmulo.” Seria “pontuar na SriLankan”, não?

  • Marget Luz

    Parabéns Leonardo me senti dentro do avião
    marget

  • Fabio, eles disseram que a cobrança era feita pela Sri Lankan e que não teriam como isentar. Como eu tinha pressa e esse era o único voo que os horários me atendiam e ainda tinha a menor tarifa em pontos, eu desisti de brigar e emiti. Mas vc está certo, tem que insistir ao máximo.

    • Fabio

      Digo isso porque comigo repetem essa mesma ladainha. Mas eu digo que vou para o JEC e a maldita YQ acaba sendo retirada.

  • Alan Rodrigo de Almeida

    Boa Cassol. Ansioso pelos outros trechos.