Como foi o voo inaugural da Latam direto de Guarulhos para Tel Aviv

Por Monique Renne
GRU Guarulhos
TLV Tel Aviv
LA 712
Avião Boeing 787-8 Dreamliner
Classe Econômica
Poltrona 26C
Data 12/12/2018
Partida 23:30
Chegada 16:26
Duração 13:56

A Latam realizou na última quarta-feira (12) o voo inaugural da rota que ligará direto o Brasil a Israel, sem escalas ou conexões. O voo partiu do Aeroporto Internacional de Guarulhos (GRU) rumo ao Aeroporto Internacional de Ben Gurion (TLV), em Tel Aviv. Com frequência de três voos semanais, a nova rota promete aumento significativo de visitantes entre Brasil e Israel. E nós já estamos em busca de promoções para você embarcar também!

As saídas de São Paulo são às segundas, quartas e sábados e o retorno de Tel Aviv aos domingos, segundas e quintas. O novo voo direto tem previsão de 13h30 de duração na ida e 15h na volta. E o mais importante é que a rota poupa os passageiros de fazer uma conexão que antes era obrigatória para chegar a Tel Aviv. Este é o primeiro voo da Latam para a Ásia e é o único a ligar diretamente a América Latina a Israel. Vale dizer que esse voo parte inicialmente de Santiago, no Chile, às 16h e faz escala em Guarulhos, de onde segue o trecho direto para Tel Aviv.

O Melhores Destinos foi conferir de perto o voo inaugural da Latam de São Paulo para Tel Aviv. Embarcamos na primeira viagem e contamos os detalhes de como foi a nossa viagem. Esperamos que os preços caiam e que o trecho se torne ainda mais acessível para os brasileiros que desejam embarcar rumo a Tel Aviv, Jerusalém e tantos outros destinos interessantes de Israel. Quem embarcou rumo a Israel foi a nossa Editora de Destinos, Monique Renne, que conta no review todos os detalhes do voo inaugural. Se quiser algumas dicas a mais, acesse o nosso exclusivo Guia de Israel e o post com 45 dicas para a sua primeira viagem a Israel.

Check-in

Check-in

O meu check-in não seguiu os trâmites regulares por ser um voo inaugural e estarmos viajando a convite da Latam. O procedimento de check-in foi realizado pela equipe da Latam. Recebi no e-mail o cartão de embarque já pronto com o assento escolhido. Como a minha poltrona era no meio, ao chegar ao aeroporto para despachar a bagagem solicitei no totem a troca do assento. Havia pouquíssimas opções disponíveis, entretanto, consegui um corredor quase no final da aeronave. Ao checar ao guichê para despachar a bagagem, tentei pessoalmente com o atendente um assento melhor e consegui uma poltrona no corredor mais à frente. Cheguei ao guichê por volta de 18h e fui atendida prontamente, faltando ainda 5 horas para o voo. Malas despachadas e tudo certo!

Embarque

Em comemoração ao voo inaugural, ao lado do portão de embarque havia um grande painel eletrônico com os nomes de todos os passageiros a bordo em português e também em hebraico. Um pequeno mimo que atraiu muitos viajantes para fotos. Antes do embarque, houve uma pequena cerimônia com discursos e o corte da fita para comemorar a nova rota. O embarque estava programado para 21h55 e começou pontualmente com a entrada dos passageiros por prioridades.

Depois de passar pelo controle do embarque e antes de chegar à aeronave, todos os passageiros foram presenteados com um chocolate e um carregador externo portátil que lembrava o lado tecnológico de Tel Aviv. Os embarque foi tranquilo mas houve diversas duplicidades de assentos próximos ao meu. Como a aeronave não estava lotada, os passageiros puderam ser realocados. O embarque terminou antes do horário de decolagem e estava tudo correndo bem para que o voo saísse no horário.

Decolagem

A aeronave começou a taxiar às 23h e a decolagem só aconteceu às 23h30, com 35 minutos de atraso do horário programado para o voo. Apesar de não haver motivo aparente para o atraso, não decolamos no tempo previsto. O tempo total de voo esperado para a rota é entre 13h e 13h30.

Cabine

O voo da Latam de Guarulhos para Tel-Aviv é operado no Boeing 787-8 Dreamliner. A classe executiva segue o padrão de poltronas 2 x 2 x 2, enquanto que a classe econômica, onde eu estava, segue o mapa de 3 x 3 x 3. Apesar que estar com lotação de 90%, voei com a poltrona ao meu lado vazia. Eu estava no corredor e havia uma passageira na janela. E, se tratando de econômica, qualquer espaço a mais é bem-vindo. A poltrona da classe econômica conta com apoio de pescoço, tomada entre os assentos, entrada USB no monitor de vídeo e porta copos sem necessidade de puxar a bandeja. Não são muitos acessórios. Eu mesma, que sou pequena, sempre sinto falta do apoio de pés.

Como o voo era noturno, as luzes foram mantidas desligadas em grande parte da viagem, com aumento de intensidade apenas durante as refeições. As janelas têm controle de luminosidade ao toque de um botão e permaneceram escuras durante todo o voo, o que ajudou a preservar o sono de quem queria dormir um pouco mais. Só bem próximo ao pouso é que as janelas eletrônicas foram abertas, o que permitiu acompanhar um pouco do entardecer e também o batismo do voo ao chegar ao Aeroporto de Ben Gurion.

Entretenimento

O sistema de entretenimento no voo era simples, porém eficiente. A aeronave conta com telas individuais controladas totalmente por toque, o que, a depender da delicadeza do passageiro da poltrona de trás, pode ser um problema. O sistema touch screen funcionava bem e não era preciso bater diversas vezes no monitor para ser atendido.

Havia no voo uma boa seleção de filmes, com diversos clássicos, lançamentos e opções para todos os gostos e idades. O sistema oferecia filmes com áudio em português, espanhol e inglês, sendo que nem todos tinham legenda, o que obriga assistir à versão dublada. Vale dizer que em todas as poltronas estava disponível um fone de ouvido, sendo que o meu não funcionava um dos lados e acabei usando um que eu tinha de reserva na bolsa.

Além dos filmes, havia ainda seriados, música e alguns jogos, sendo que era possível jogar em dupla com outros passageiros. Além do sistema de vídeo, estava disponível em cada uma das poltronas a revista de bordo da Latam. Não tinha internet WI-FI disponível no voo. 

Serviço de bordo

Refeições

Durante o voo foram oferecidas duas refeições, o jantar e o café da manhã. Logo depois da decolagem houve a distribuição do cardápio, o que ajuda muito a economizar tempo com a repetitiva pergunta “pasta ou frango”. Senti falta de uma garrafinha de água disponível a todos os passageiros, o que evitaria os pedidos constantes. São 13h de voo e ter sede é normal.

O jantar foi a primeira refeição e começou a ser servido à 1h da manhã, ainda em tempo de pegar os passageiros acordados. No cardápio havia ravioli recheado de queijo, ragu de tomate e parmesão; frango marinado grelhado, risoto de arroz com sete cereais e abóbora assada; e salmão defumado com salada de quinoa e verduras, molho de limão e mix de folhas (prato frio). Entre as opções fiquei com a massa por considerar que seria menos pesado para o horário. O ravioli estava saboroso e a porção foi suficiente pra mim. Imagino que alguém que coma um pouco mais ficaria com fome. Vi os outros pratos e pareciam apetitosos. Como opções de bebida havia água, suco, refrigerante, vinho (branco e tinto), espumante e cerveja.

Confesso que senti falta dos “entulhos” que vêm junto com o prato, como saladinha, pão e manteiga. Na Latam não havia nada além do previsto no cardápio. Só um pão de mel (sobremesa) e um sachê de sal (sem pimenta). Os talheres eram de plástico e a comida vinha servida em uma bandeja até charmosa.

O café da manhã foi servido às 9h30 (13h30 horário de Tel Aviv). As opções do cardápio eram omelete recheado com queijo e tomate ou sanduíche de presunto e queijo. Como acompanhamento havia a escolha entre frutas e iogurte. Eu escolhi o omelete com o iogurte. Confesso que achei o omelete bastante insosso e não vi o queijo mencionado no cardápio. Ajudou a tapar o buraco do estômago, mas não foi uma porção satisfatória. Novamente senti falta do pão e manteiga como acompanhamento.

Vi que o comissário de bordo, para agradar a uma criança sentada na fileira ao lado, buscou na classe executiva alguns croissants e entregou escondido ao pai. Tudo embrulhado em um guardanapo. Tráfico de croissants no voo! Meu olho cresceu e eu bem queria também, mas fiquei só no omelete mesmo (e o pai da criança comeu o croissant). Para beber, eu pedi um suco de laranja e um pouco de água quente para fazer um chá que eu tinha na bolsa. O comissário de bordo foi bem gentil e pegou para mim a água quente (também um tráfico da executiva). Ah! No final do voo, antes do pouso, serviram balinhas de caramelo.

Amenidades

Sou saudosista e sinto falta do tempo em que ganhávamos uma bolsinha com meia, protetor auricular, protetor labial e tapa olho. Cada dia me convenço que isso não nos pertence mais. E no voo da Latam não foi diferente. As únicas amenidades disponíveis eram um fone de ouvido (o meu estava com um lado sem funcionar), uma colcha e um travesseiro. Ainda bem que eu guardo um tapa olho dos bons tempos das bolsinhas. Ele foi bem útil!

Comissários e equipe de solo

O atendimento de toda a equipe da Latam foi excelente, desde o check-in até os comissários de bordo (feliz do rapazinho que ganhou o croissant traficado da classe executiva…). Sempre simpáticos e sorridentes, foram bem pacientes com os passageiros que muitas vezes não os entendiam falando espanhol. Me surpreendeu bastante o fato de que um voo direito do Brasil para Israel não tivesse na equipe mais comissários que falassem português. Para ser honesta, não vi nenhum. Presenciei muitos passageiros com dificuldade de comunicação e era uma situação inesperada para um voo direto do Brasil (por mais que saia inicialmente do Chile).

Mais tarde, soube que há uma restrição na legislação brasileira que não permite que os comissários brasileiros trabalhem em voos com mais de 14 horas, mesmo em sistema rodízio. Essa restrição não existe no Chile e por esse motivo o voo tem tripulação estrangeira. Entretanto, tal problema não isenta a Latam da responsabilidade de ter no voo tripulantes que falem português, sejam chilenos ou que qualquer outra nacionalidade.

Programa de fidelidade

É possível pontuar os voos da Latam no Latam Fidelidade/Multiplus ou nas companhias aéreas membros da Oneworld, como American Airlines, British Airways, Iberia, entre outras.

No Latam Fidelidade o acúmulo de pontos ocorre em função do valor pago na passagem, com 5 pontos a cada dólar gasto na tarifa, excluido as taxas. Clientes Latam Fidelidade Gold, Platinum, Black e Black Signature recebem, respectivamente, 8,10,11 e 12 pontos por dólar gasto. Clientes Latam Fidelidade com status Platinum, Black e Black Signature no programa podem solicitar o upgrade cortesia de cabine, desde que a tarifa seja elegível (tarifas Plus e a Top) e nas passagens emitidas com pontos.

É possível resgatar passagens da Latam para Tel Aviv com pontos Multiplus através do site.

Conclusão

O pouso em Israel estava previsto para 16h10 (hora de Tel Aviv) e o aeronave tocou o solo às 16h26. Um atraso bem pequeno, especialmente se comparado ao tempo de atraso na decolagem. O voo correu bem tranquilo, com poucas turbulências. Ao pousar, houve palmas dos passageiros e fomos recebidos no Aeroporto de Tel Aviv com um banho de batismo. Na saída da aeronave os passageiros ainda foram presenteados com moedinhas de chocolate.

A viagem entre Guarulhos e Tel Aviv durou 13h e para um voo tão longo assim considero que deveria haver um serviço de bordo mais caprichado. Apesar das condições da aeronave serem ok, o serviço de bordo e as amenidades deixam um pouco a desejar. Não é fácil encarar 13h de voo direto (na volta são 15h). Com um serviço mais caprichado os passageiros certamente chegariam ao destino mais tranquilos e felizes. É um voo inaugural e ainda vale adaptações para melhorar. Disponibilizar snacks e garrafas de água durante o voo já seria um bom começo.

A nova rota da LATAM que liga o Brasil a Israel em voo direto veio para facilitar e encurtar o caminho dos viajantes entre os dois países. Aproveite que agora está mais rápido, fique de olho nas promoções e não perca a oportunidade de conhecer esse país encantador. Veja mais no nosso Guia de Israel.

A Editora de Destinos Monique Renne viajou a convite da Latam e do Turismo de Israel.

Nota final

LATAM

Guarulhos - Tel Aviv

Voo LA 712

8,0
Embarque 8,0
Assento 8,0
Entretenimento 8,0
Amenidades 7,0
Equipe 9,0
Fidelidade 8,0