Avaliação da Azul

Leonardo Cassol 23 · junho · 2016
Econômica
VCP - LIS
AD 8750
Airbus A330
22/06/2016

Embarque

Previsto: 16:00h
Efetivo: 16:00h

Partida

Previsto: 17:00h
Efetivo: 17:20h

Chegada

Previsto: 07:00h
Efetivo: 06:36h

A Azul começou ontem uma nova rota com voos diretos ligando Campinas (Viracopos) à Lisboa – Portugal. O Melhores Destinos esteve no voo inaugural e mostra como é ir do Brasil para a Europa com a Azul. Pousamos agora há pouco e esse review foi escrito durante o voo e editado imediatamente após o pouso. Tudo para levar aos nossos leitores a melhor informação, em primeira mão. Confira!

Sobre a Azul

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras é a companhia aérea com o maior número de destinos servidos no país. A empresa detém uma frota de 140 aeronaves, mais de 10.000 funcionários, um número superior a 900 voos diários, mais de 100 destinos servidos e um terço do total de decolagens do país. Opera voos para Fort Lauderdale – Miami, Orlando, Montevidéu e, agora, Lisboa.

Resumo do review

Destaques positivos: configuração da cabine, sistema de entretenimento e comissários

Pontos a melhorar: falta de Wi-Fi

Check-in

8,5

Conexão em Campinas

Embarquei no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino a Viracopos. Cheguei a Campinas às 14 horas. Era minha primeira vez desde a inauguração do novo terminal. Como tinha tempo de sobra, optei por desembarcar para tirar algumas fotos do novo terminal, bem como conferir como estava o check-in do voo de Lisboa.

Fiquei surpreso com a falta de sinalização do Aeroporto de Viracopos. Todas as placas indicativas que eu vi eram da Azul e pareciam improvisadas. Não vi nenhum funcionário do aeroporto para orientar os passageiros em conexão. Além disso, o novo terminal é estranho e pouco funcional. Saímos do avião num andar superior, mas para seguir para uma conexão ou pegar as bagagens e sair do aeroporto precisamos descer para o andar de embarque. Então, para que serve o andar superior? Não sou arquiteto, mas confesso que não entendi. E nunca vi isso em nenhum outro aeroporto no mundo.

O novo terminal impressiona pelo tamanho do pé direito (distância do chão para o teto). Tem um bom visual, mas na minha opinião ficou inferior em relação aos demais aeroportos concedidos para a iniciativa privada. Mas não está totalmente concluído. Claramente algumas obras estão inacabadas, como o teto, escadas rolantes e um bloco do setor de embarque. Mas isso fica para outro post.

Porém, se você vai fazer conexão em Campinas para viajar com a Azul para Europa ou para os Estados Unidos, não há com o que se preocupar. O novo terminal é muito melhor que o antigo, e isso é o que vale.

Check-in

O check-in internacional estava cheio. A Azul disponibilizou 6 posições, sendo duas para a classe executiva e prioridades comerciais (TudoAzul Safira e Diamante), duas para prioridades por Lei (idosos, pessoas com crianças de colo etc.) e apenas duas para o passageiro comum. Como o voo estava lotado, o resultado foi que a fila comum foi crescendo, crescendo, crescendo…

Nada que com 20-30 minutos de fila não fosse resolvido, ou seja, ainda dentro do padrão internacional. Mas bem que a Azul poderia deslocar alguns funcionários adicionais para atender os voos internacionais nos horários de maior movimento, pois na mesma hora o check-in doméstico da companhia estava completamente vazio.

Raio x e controle de passaportes

Uma das maiores vantagens de embarcar por Viracopos são as filas quase inexistentes para raio x e controle de passaportes. Menos de 5 minutos para os dois procedimentos. Um recorde!

A área de embarque internacional conta com um free shop logo depois do controle de passaporte. Não é tão grande como o de Guarulhos, mas tem os principais itens entre bebidas, perfumes, roupas e eletrônicos.

Sala Vip

A Azul ainda não tem sala vip no aeroporto de Viracopos. Mas no caminho para o portão de embarque vimos um banner informando que a Azul vai inaugurar seu lounge dia 11 de julho! Uma ótima notícia!

Embarque

A Azul caprichou na recepção dos passageiros em seu voo inaugural. O portão de embarque foi customizado, com direito a faixa de inauguração. A solenidade contou com a presença do presidente da Azul, Antonoaldo Neves, e de diretores da companhia, do prefeito de Campinas, bem como de representantes do Governo e da Concessionária que administra o aeroporto.

No breve discurso, o presidente da Azul destacou o orgulho da companhia de iniciar voos para a Europa, cuja aceitação têm surpreendido positivamente os executivos da empresa, da importância que Viracopos e Campinas têm para a empresa e do desejo de continuar oferecendo um bom serviço aos seus clientes. Neves também agradeceu a todos os colaboradores por tornarem o crescimento da Azul e o novo voo possíveis.

Ainda antes do embarque houve uma rápida apresentação de danças portuguesas. Em seguida, cada passageiro ganhou, antes de embarcar, uma caixa com deliciosos docinhos portugueses da tradicional Casa Mathilde, além dos petiscos tradicionais da Azul.

Detalhe importante: mesmo com todo “oba oba” pelo voo inaugural, o embarque começou pontualmente às 16h. Ponto pra Azul!

Cabine

8,0

Cabine – classe econômica

A configuração da cabine do Airbus A330 da Azul é no formato 2 x 4 x 2. O acabamento das poltronas é em couro e de muito bom gosto. Ficou bem agradável. A iluminação da cabine é outro show à parte. As lâmpadas de LED são delicadas tem quase que infinitas variações de intensidade. Durante o jantar, por exemplo, achei a luminosidade na medida, nem muito claro e nem escuro.

O espaço entre as poltronas é bom. A reclinação é apenas razoável. Não é das piores, como nas companhias aéreas norte-americanas, mas não espere reclinar muito (foto).

Um ponto que chamou atenção é que os braços das poltronas do corredor não são reclináveis, como tenho visto nas aeronaves mais modernas. Então, fica difícil levantar quando o passageiro da frente reclina a poltrona. Dependendo do tamanho e da idade do passageiro, pode ser uma operação inviável.

Economy Xtra

A diferença entre as duas classes basicamente é o espaço. Enquanto a econômica padrão oferece 78 centímetros entre as poltronas, a Xtra tem 86 centímetros. Além disso, a econômica premium oferece tomadas individuais em todas as poltronas, enquanto na comum elas são compartilhadas a cada duas poltronas.

Além disso, os passageiros que da Economy Xtra recebem um kit com protetores auriculares e máscara para olhos.

Entretenimento

8,0

Entretenimento e amenidades

Cada passageiro ao embarcar encontra nas poltronas um kit com travesseiro e cobertor higienizados. O cobertor é azul escuros com detalhes em azul claro nas bordas, cores da companhia. Além disso, após encerrado o embarque, os comissários distribuíram fones de ouvido, juntamente com um menu no formato de cartão postal.

A Azul possui um novo sistema de entretenimento nos Airbus A330 que foram reformados. É um sistema da Panasonic de última geração, com tela de 9 polegadas sensível ao toque, onde é possível assistir a diversos filmes (alguns deles bem recentes), séries americanas de TV, documentários, com duas telas independentes.

O sistema conta também com jogos, mapa do voo e com a possibilidade de assistir a duas câmeras instaladas na frente e abaixo da aeronave. Tem ainda porta USB onde é possível carregar o celular, além de tomada entre as poltronas. Infelizmente, não há TV ao vivo, como nos voos domésticos da Azul, nem Wi-Fi.

Uma observação aqui. Assisti a um filme americano. Tinha opção do áudio original ou dublado, mas não consegui colocar a legenda de jeito nenhum. Tentei em outros filmes e ocorreu a mesma coisa. Certamente não é uma limitação do sistema, que é de última geração, mas sim uma questão do abastecimento de conteúdo. Consegui ver o filme sem legenda sem problemas, mas para quem não entende bem inglês e gosta de ver filmes com o áudio original, a legenda faz falta.

Apesar do sistema permitir a exibição do cardápio e a escolha do prato pelo monitor, isso não estava disponível nesse primeiro voo.

Serviço de bordo

8,0

Jantar

O jantar foi servido 2 horas após a decolagem. A tripulação teve que aguardar a liberação do comandante, que acionou o aviso de atar cintos algumas vezes em função de risco de turbulência. A trepidação foi leve, mas é claro que a segurança de todos vem em primeiro lugar.

Foram duas opções de jantar: fricassê de frango com arroz e legumes ou ravióli de queijo com molho de tomate e parmesão. Como acompanhamentos, salada de alface com tomate e cenoura ralada, pão, manteiga e de sobremesa um bolo de pão de ló com mousse de limão. Os acompanhamentos vem numa embalagem diferenciada com a logo da Azul.

Optei pelo fricassê. Chegou bem quente e estava muito bom. O arroz tinha amêndoas e achei que a combinação do prato foi bem harmoniosa. A sobremesa estava bem leve e com açúcar na medida. Para beber, escolhi vinho tinto e água, dentre muitas opções entre sucos, refrigerantes, tônica, cerveja, vinho branco entre outros. O vinho também estava muito bom.

Depois de recolher os pratos, os comissários serviram uma segunda rodada de bebidas. Acho isso deveria ser obrigatório em todas as companhias, pois é uma cortesia de grande valia. Com o ar seco do avião, 200 ml seja lá do que for é pouco e acabamos precisando ingerir mais líquidos.

Durante o voo

Ficam à disposição dos passageiros água, suco e refrigerantes, além dos conhecidos snacks da Azul, aqueles mesmos dos voos domésticos. Mas só consegui fotografar no fim do voo, quando tudo já tinha acabado.

Café da manhã

Exatamente 90 minutos antes do pouso as luzes foram ligadas e os comissários passaram servindo o café da manhã, que vem numa caixinha personalizada. Havia uma única opção: um mini sanduíche de peito de peru e queijo, cracker, queijo, maçã e bolinho, acompanhados de bebidas variadas, como café, café com leite, sucos e água.

O mini sanduíche estava bom. Nos demais itens nenhuma surpresa. Pedi café com leite para acompanhar. Eles entregaram um copo com café junto com dois sachês de leite em pó.

Um fato engraçado. Antes de recolherem o serviço do café da manhã, os comissários anunciaram que não era permitido entrar com nenhum tipo de alimento em Portugal. Imediatamente dezenas de passageiros começaram a se mexer, abrindo bolsas e manuseando a maçã. Acho que a maior parte ficou com pena de desperdiçar a fruta e deixou pra comer depois. Mas nada feito. Todo mundo devolvendo a maçã! kkk.

Comissários e equipe de solo

9,5

Os comissários eram todos brasileiros. Pareciam bem felizes no voo. Foram simpáticos e cordiais em todos os momentos. Dois destaques positivos. O primeiro foi durante o período de turbulência, que durou mais de 30 minutos. Alguns passageiros acionaram a chamada de comissários e a comissária líder gentilmente explicou que a tripulação também tinha que respeitar o aviso de atar cintos, mas que tão logo fosse liberado eles atenderiam a todos os passageiros. Já vi inúmeras vezes, em situações semelhantes, os comissários simplesmente desligarem todas as chamadas, se fingindo de mortos!

O segundo destaque positivo foi durante o serviço de bordo. As comissárias que me serviram no jantar apresentaram o menu completo. Ou seja, ao invés de dizer apenas frango ou massa, elas apresentavam os pratos como “fricassê de frango com arroz e legumes” e “ravióli de queijo com molho de tomate e parmesão. Parece besteira, mas acredito que não só eu, mas muitos passageiros escolham o prato não só em função do item principal, mas também dos acompanhamentos. Não sei se é um padrão na Azul ou se dei sorte, mas valeu uma ressalva positiva.

Eu já tinha acabado de escrever essa seção e de dar a nota quando, pouco antes de pousar, fui surpreendido por uma das comissárias com um adorável cartão agradecendo a minha presença a bordo, como cliente TudoAzul. Os clientes com status Safira e Diamante desse voo também receberam um bilhete assinado por todos os comissários. Além disso, todos os passageiros ganharam um delicioso brigadeiro antes da aterrissagem, dentro de uma caixinha personalizada. Como não amar?

Um dos diretores da Azul que estava a bordo também sorteou uma passagem para qualquer lugar do Brasil operado pela Azul, inclusive Fernando de Noronha, bem como uma passagem para qualquer destino internacional da Azul. Dois sortudos comemoraram! Além disso, um terceiro passageiro levou uma bebida (acho que era um licor).

Programa de fidelidade

8,0

O TudoAzul é o programa de fidelidade da Azul. O acúmulo de pontos é feito em função do valor pago pela tarifa, entre 2 e 3,5 pontos por real gasto, conforme a tarifa e o status no programa.

É possível pontuar ainda no MileagePlus da United ou no Victoria da TAP Portugal. Confira as regras de pontuação da tarifa que consta em seu bilhete antes de decidir onde creditar seus pontos.

O TudoAzul tem feito boas promoções para o resgate de passagens nacionais, e nos últimos meses ficou bem competitivo nas passagens emitidas com pontos com antecedência maior do que 45 dias. Para voos próximos a data da viagem, o preço em pontos exigido tende a ser bem mais caro.

Nota final

8,3

Pousamos em Lisboa 25 minutos antes do horário previsto. O céu tinha acabado de ficar claro e estava um dia muito bonito.

Como reza a tradição, o avião foi recebido com jatos de água. E água na cor azul, para a alegria dos passageiros, que aplaudiram bastante tanto o pouso como a saudação com jatos de água.

Depois de um curto taxiamento, desembarcamos tranquilamente no coração da capital portuguesa, já que o aeroporto fica dentro da cidade, com fácil acesso ao centro de Lisboa. Os passageiros foram saudados com pastéis de Belém. Hum…

De uma maneira geral voar com a Azul para Lisboa foi uma experiência muito positiva. Temos mais uma opção conveniente e agradável de chegar à Europa, num momento em que muitas companhias estão seguindo na direção contrária, reduzindo suas operações. Parabéns à Azul pela coragem em empreender mais essa rota e sucesso para que esse voo seja apenas o primeiro de muitos!

Nota: os funcionários e comissários Azul não tiveram conhecimento sobre o review e não identificaram a equipe do Melhores Destinos a bordo. Não houve tratamento diferenciado em nenhum momento. O anonimato nos permite retratar a experiência real que um passageiro terá ao voar com a companhia aérea. Além disso, os comentários retratam não apenas como eu fui tratado, mas como vi os funcionários tratarem os demais passageiros.

E você, o que achou? Vai voar com a Azul para a Europa? Ficou com alguma dúvida? Comente e participe!

Veja também como foi voltar da Europa para o Brasil na Business Xtra, a nova classe executiva da Azul, num review completo e exclusivo.

Leonardo Cassol – é editor do Melhores Destinos e especialista em milhas e programas de fidelidade. Acumula e utiliza, em média, 1 milhão de milhas a cada ano. Possui status nos quatro programas de fidelidade nacionais: Black Latam Fidelidade (One World Emerald), Smiles Diamante, Amigo Diamante (Star Alliance Gold) e TudoAzul Safira. Também foi membro Premier 1K (Star Alliance Gold) no MileagePlus United por 6 anos consecutivos e Freccia Alata Plus (Sky Team Elite Plus) na Alitalia.

Autor

Leonardo Cassol - Editor Editor e especialista em programas de fidelização do Melhores Destinos.