Avaliação da Southwest Airlines, a maior companhia doméstica dos Estados Unidos

Denis Carvalho 24 · setembro · 2012

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

O Melhores Destinos traz hoje a avaliação de uma companhia que certamente revolucionou o mundo da aviação. A Southwest Airlines foi a primeira companhia aérea do mundo a assumir o padrão “low cost, low fare”, isso em 1971. Com uma frota de 570 jatos, todos Boeings 737, ela é a maior companhia doméstica dos Estados Unidos e uma das maiores do mundo, operando mais de 3,4 mil voos por dia para 76 destinos em 39 estados. Ironicamente, a gigante hoje se destaca por oferecer alguns serviços a mais que as concorrentes, que foram ainda mais fundo no conceito de “no-frills” e cortaram benefícios como franquia maior de bagagem ou snacks gratuitos, que a Southwest oferece. Foram esses diferenciais, aliados a um preço promocional, que levaram nosso leitor Vicente Cassepp a escolher a companhia. Acompanhe seu relato e saiba um pouco mais sobre esta empresa, que poderá estar em sua próxima viagem aos Estados Unidos.

 

Sou leitor do Melhores Destinos a algum tempo e admiro bastante a qualidade do conteúdo do site. É sempre um prazer colaborar, já havia feito uma avaliação da Aerosur em outra ocasião. Ao fazer uma segunda viagem para os Estados Unidos neste ano de 2012, ofereci-me para avaliar alguns voos domésticos dentro do país. Fiquei ao todo 20 dias nos Estados Unidos, tendo passado por 13 estados americanos. Gostei muito do país. Uma viagem como esta traz diversas histórias interessantes, e a experiência de voar Southwest é uma delas. 

Escolha do voo

Peguei um voo da cidade de Omaha, em Nebraska (OMA), para a cidade de Chicago, Illinois (MDW). Meu voo ocorreu no dia 12/07/2012, saindo às 11 h40 e chegando às 13 horas. Fiz diversas buscas de passagens, em diversos trechos e, via de regra, os voos da Southwest eram os mais caros. De qualquer forma, esse em específico foi o mais barato. Escolhi a companhia também por que sabia que estaria levando muitas bagagens e nesse quesito a Southwest é imbatível, pois deixa despachar duas malas. Geralmente as outras companhias cobram uma taxa de 25 dólares por volume despachado (confira neste link ).

O site para fazer a compra da passagem foi bastante amigável. Eles aceitam diversas formas de pagamento e possuem seu programa de milhagens próprio. Morando no Brasil, dificilmente algum dia irei acumular milhas da Southwest suficientes para poder voar algum trecho. De qualquer forma, acredito que não seria burocrático fazer isso. Quando cheguei de volta ao Brasil, tive uma grata surpresa. Eu tinha recebido, via correio, o cartão do programa de milhagens deles, algo que nunca recebi das companhias aéreas brasileiras.

 

Check-in

Cheguei com alguma antecedência para fazer o check-in. Não havia nenhuma fila. Mesmo em horários próximos aos voos, a fila era pequena. Ao entregar meu passaporte brasileiro, tive a grata surpresa de que a pessoa que me atendeu arranhava um português. Claro, é muito difícil que outros compatriotas sejam atendidos em português também, ainda mais em Omaha, que é uma cidade de pequeno a médio porte. Foi apenas uma coincidência, mas demonstrou a simpatia do atendimento.

Após o check in, passeando pelo aeroporto de Omaha, fiquei com uma pequena inveja. A cidade tem uns 300 mil habitantes, mas o aeroporto tem um tamanho comparável ao de Porto Alegre. Passeando pelos Estados Unidos eu tive a clara noção do quanto o Brasil está atrasado nesse sentido.

 

Embarque

O embarque da Soutwest é algo bem diferente. Não consigo emitir uma opinião se é bom ou se é ruim, mas é diferente. Ocorre que, nos bilhetes de passagem, não existe o número do assento. A única coisa que existe é uma letra e um número. Esse código representa a ordem de embarque. Assim, existem totens espalhados na fila de embarque, com números de 5 em 5 , indicando em que lugar da fila cada passageiro deve ficar. Aí, cada um fica na fila no exato lugar que seu bilhete indica.

Na hora de entrar no avião, cada um escolhe o lugar mais conveniente desde que, obviamente, esteja vazio. Ninguém reserva o lugar, mas uma posição na fila para pegar o lugar. Por sinal, a gente não fica com o comprovante da passagem, eles recolhem todo o bilhete na hora do embarque. Esse bilhete não é necessário quando não se tem lugar marcado. Caso alguém precise comprovar esse gasto, imagino que haja alguma alternativa, pedindo ao pessoal de terra da companhia.

O avião

Geralmente os aviōes da Southwest são pintados de uma cor azul misturado com roxo. O Boeing 737 que me levou, especificamente, era dourado, não sei se para comemorar algo. Por isso, não posso dizer se é sempre assim, mas fiquei bastante impressionado com o interior da aeronave. Os assentos eram distribuídos no clássico 3 x 3, com um espaço enorme para as pernas e para os lados. Os assentos eram de couro, nas cores da empresa, muito elegantes e confortáveis.

Atendimento

A cordialidade foi a tônica de todo o atendimento. O piloto pediu desculpas por um atraso de cinco minutos, que se ele não tivesse falado eu nem teria percebido (ou teria achado que o meu relógio é que estava errado). Durante o voo, eles informam todas as conexões e para qual portão cada passageiro deve se dirigir ao chegar ao destino (Chicago – MDW).

Sobre o serviço de bordo, inicialmente cabe salientar o traje dos comissários. Tanto os homens quanto as mulheres utilizavam bermuda e camisa polo. Era um uniforme muito descontraído. Enfim, esses comissários serviam diversas opções, disponíveis em um cardápio no bolsão da aeronave. Havia opções pagas e gratuitas. As gratuitas eram bebidas não alcoólicas, mini-pretzels e amendoins (peanuts). Pedi somente uma água.

As opções de entretenimento eram poucas. Apenas algumas revistas. Isso é pouco em se tratando de Estados Unidos. De qualquer forma, o voo era curto e eu também não estava com vontade de ouvir música ou assistir TV. O bolsão da aeronave ainda possuía um catálogo para a venda de produtos diversos.

Conclusão

A experiência de voar Southwest foi muito boa. Somente pelo fato de poder despachar minha bagagem gratuitamente já seria um bom motivo para recomendar a companhia. Mas, do início ao fim da minha experiência, da compra dos bilhetes, check-in, voo e recebimento de um cartão físico na minha caixa de correio, pude perceber que o tratamento com o cliente é diferenciado. Se tiver oportunidade, darei preferência à Southwest nos Estados Unidos, mesmo que o preço seja um pouco mais caro, principalmente por que taxas “escondidas” na hora de despachar as malas são um barato que sai caro.

 

Agradecemos ao Vicente por mais este ótimo relato e convidamos a todos os leitores que já voaram com a Southwest a deixar sua impressão sobre a companhia norte-americana nos comentários. Se você fez ou vai fazer uma viagem com alguma empresa aérea que ainda não foi avaliada aqui no Melhores Destinos ficaremos felizes em publicar sua avaliação: entre em contato pelo e-mail dicas@melhoresdestinos.com.br Você pode conferir todas as avaliações publicadas pelo MD neste post.

 

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe