Como é voar com a Royal Jordanian

Denis Carvalho 18 · março · 2013

A Royal Jordanian Airlines é a principal companhia aérea da Jordânia e opera voos para quatro continentes a partir de sua base principal, no Aeroporto Internacional de Amã (Queen Alia). Membro da aliança Oneworld, a companhia opera mais de 500 voos por semana, com frota de 33 aviões com uma bonita pintura, e tem três estrelas no ranking SkyTrax. Nosso leitor Fabio Gonçalves conheceu bem a companhia em sua viagem à Europa e Dubai e nos conta um pouco da experiência no relato de hoje, ilustrado com muitas fotos, que teve alguns episódios bem inusitados, como a aeromoça queimando o feijão em pleno voo! Acompanhe:

Olá galera do Melhores Destinos! Venho deixar algumas (várias) linhas sobre minha experiência em voar com a Royal Jordanian.

Montei uma viagem de 20 dias meio doida para mim e pra minha esposa agora em janeiro, cujo destino principal era Dubai. Fui de promoção de milhas graças ao Melhores Destinos pela Ibéria até Barcelona. De lá, voei EasyJet até Basel na Suíça. Fiz várias cidades na Suíça de trem até Munique, no sul da Alemanha, de onde parti para Istanbul pela Lufthansa. E aí então entram os quatro trechos voados pela Royal Jordanian.

Sempre monto e compro minhas viagens 100% on-line e desta vez não foi diferente. Após várias pesquisas, a Royal Jordanian tinha um preço imbatível, menos da metade do valor das concorrentes. Não pestanejei e comprei sem maiores problemas via web site da companhia.

Logo após a compra, é permitido reserva dos assentos e escolha de refeição por questões nutricionais, como por exemplo, sem lactose, diabética, sem sal, ou com restrições por questões religiosas (muito importante por aquelas bandas), com refeições hindus, kosher e – claro – mulçumanas.

Istanbul – Amã

Voo RJ 166, Embraer 175, 2:10h de duração, de (IST) Ataturk para (AMM) Queen Alia.

Minha estreia em voos com a Royal Jordanian realmente começou com o pé esquerdo. Já no check-in, um problemão enorme: o sistema da Royal Jordanian exigia visto para entrada em Dubai. Eu tenho passaporte da União Europeia, que tem livre entrada, mas o da minha esposa é do Brasil, país que não tem livre passagem pelos Emirados Árabes e se exige visto.

Logicamente eu já sabia disso e calmamente expliquei para a atendente que o visto se consegue direta e pessoalmente no aeroporto em Dubai. Nada feito. Argumentei que ficaria menos de 96 horas em Dubai e que me encaixava na categoria visto de trânsito… Nada feito, o sistema exige e não deixam embarcar.

Olhei bem pra cara da atendente turca e falei: “como você vai resolver isso?” Ela pediu uns minutos e deu um telefonema. Instantes depois aparecem 2 supervisores que logo de cara falam que se o sistema está exigindo o visto não há nada que eles possam fazer… Novamente expliquei que o visto pode ser adquirido lá no aeroporto de destino e que não era responsabilidade deles determinar se eu posso ou não entrar em Dubai, pra eles fazerem as contas e verificar que ficaria menos de 4 dias (96 horas), etc…

Olha, a coisa ferveu atrás daquele balcão por uns bons minutos com uma baita discussão entre eles sobre o que fazer, e eu sem entender uma palavra daquela confusão turca. Só sei que no final, um dos supervisores deu ombros, do tipo “joga a bomba pra frente” e falou pra liberar o embarque. Ufa! Conseguimos, mas passamos stress à toa, por falta de conhecimento da parte deles.

Painel Voo RJ 166 para Amã

Rumamos para o portão de embarque e chegando lá já pude ver que o avião ainda não tinha chegado. Chequei o relógio e faltava uma hora para o horário previsto de saída, que era 14h35. Sem ter mais o que fazer, restava esperar. Esperamos 30 minutos e nada do avião apontar. Uma hora e nada… A essa altura, já tinha dado a hora da decolagem e a aeronave nem tinha chegado! Resumindo, decolamos com 2 horas de atraso.

Até aí, pro meu caso específico, não tinha o menor problema pois teria quatro horas de espera em Amã pro meu próximo voo para Dubai. Então com esse atraso, fiquei somente 2 horas de conexão em Amã.

Embraer 175

Embraer 175

As negativas com esse voo continuaram: tripulação de bordo bem atrapalhada e desatenta em quesitos como assentos reclinados e crianças soltas (sem cinto) durante taxiamento e decolagem.

Minutos após a decolagem sentiu-se um forte cheiro de comida que se seguiu a uma leve fumaça que dominou e cabine: rra nosso almoço queimando! NUNCA vi coisa parecida… Depois ouvi as aeromoças conversando entre elas (em inglês) dizendo algo do tipo “sempre coloco 20, não sei como ficou 30 minutos…”

Assentos 2×2
Visão da cabine

O nosso Embraer estava surrado na mão da Royal Jordanian. Parte de trás da poltrona da frente estava rabiscada de caneta (tanto o meu como da minha esposa). Notava-se nas saídas do ar condicionado, marcas de poeira evidentes que bastava um paninho com sabão para limpar. E por falar em limpeza, o susto veio quando baixamos a bandeja… estava respingada ainda da refeição anterior! Por sorte (ou não), distribuíram lenços umedecidos para as mãos, que no meu caso usei para limpar a bandeja.

Encosto rabiscado

A coisa começou a melhorar pro lado da Royal Jordanian com o início do serviço de bordo. A refeição estava caprichada (dentro do possível para classe econômica). Duas opções (carne ou frango), salada, pão, sobremesa. Nas bebidas, além de suco e refrigerante, vinho e cerveja. Ponto positivo.

Refeição

O resto deste voo correu dentro dos conformes. Como não havia nenhum tipo de entretenimento a bordo, a saída foi uma dormidinha de uma hora.

De Amã a Dubai

Voo RJ 612, Airbus A321, 3:00h de duração, de (AMM) Queen Alia para (DXB) Dubai Intl.

O aeroporto de Amã, na Jordânia, é bem restrito, pequeno e com aspecto antiquado. Observa-se, no entanto à distância, lentas obras do que parecem ser um terminal mais moderno.

Aeroporto de Amã – Queen Alia

Eles têm um sistema de espera diferente do usual onde os passageiros aguardam todos misturados antes dos portões de embarque, e só quando já está quase na hora do embarque é que se passa pela vistoria e Raio-X. As mulheres têm um tratamento diferenciado, indo para uma sala específica para serem liberadas, haja visto que a imensa maioria delas usa vestimentas tradicionais mulçumanas, como Niqab, que cobre o corpo todo deixando somente os olhos a mostra, ou a Burca, que cobre totalmente o corpo. Então nessa sala especial, minha esposa descreveu que fiscais mulheres apalpam o corpo das passageiras procurando por algo suspeito, mas nada muito invasivo ou detalhado.

Painel Voo RJ 612 para Dubai – Detalhe para os demais destinos exibidos

Este voo agora foi muito diferente do anterior, tudo correu 100%. Decolagem pontual, serviço de bordo muito bom, entretenimento individual com filmes, séries, música, tudo on-demand. Detalhe para a programação mulçumana com a opção de ler e ouvir o Alcorão, livro sagrado do Islã.

Refeição

O pouso foi atrasado em 20 minutos pelo alto tráfego no aeroporto de Dubai, adicionado a uma densa e baixa neblina que ocasionalmente ocorre nesta época do ano durante a madrugada (pousamos às 2 horas).

Saguão do aeroporto de Dubai Intl.

O terminal em Dubai é gigantesco (como tudo por lá) e estava super vazio. Muito bonito e luxuoso. Lá, após uns trâmites legais, consegui o visto de trânsito para minha esposa sem maiores transtornos e partimos para curtir tudo que Dubai tem a oferecer.

Dubai – Amã
Voo RJ 613, Airbus A321, 3:30h de duração, de (DXB) Dubai Intl. Para (AMM) Queen Alia.

Aquela má impressão inicial da viagem de vinda pela Royal Jordanian já estava desaparecendo e eles realmente foram muito bons também neste trecho.

Check-in bem rápido com vários atendentes no aeroporto. Com um detalhe que o sistema de Dubai não se comunicava com o de Amã e, portanto, só deram o primeiro cartão de embarque, tendo eu que providenciar o cartão para o segundo voo lá em Amã.

O voo transcorreu dentro da normalidade, com aquelas opções de entretenimento e a refeição tipo café da manhã acima da média.

Café da Manhã

O cronograma de horário foi cumprido e desembarcamos na Jordânia para uma espera de menos de 2 horas para o próximo voo.

Neste período de espera para o próximo voo pudemos presenciar o Azaan, o chamamento para que os fieis compareçam à mesquita para orações. Isso ocorre seis vezes ao dia e em todos os locais (vimos por muitas e muitas vezes), inclusive nos shoppings e até no aeroporto… Então, visualizamos uma mini multidão se encaminhando para uma mesquita instalada dentro do saguão do aeroporto.

De Amã a Madrid

Voo RJ 109, Airbus A319, 5:30h de duração, de (AMM) Queen Alia para (MAD) Barajas

Processo de embarque foi tranquilo e sem atrasos. O voo transcorreu dentro da normalidade. Serviço de bordo como sempre acima da média, desta vez com opção de peixe entre os alimentos e, como de costume, oferta de vinho branco ou tinto e cerveja.

Terminal Queen Alia – Amã / Jordânia.

Em todos os trechos, os avisos dados pelo comandante e tripulação eram enormes quando falados em árabe, e curiosamente curtos quando eram falados em inglês e, para piorar, com um sotaque incompreensível.

Com duração de mais de 5 horas, um filmezinho ajuda a passar o tempo. Sempre no entretenimento individual, numa das telas de mapa, havia aquelas indicações padrão de distância para o destino, distância percorrida, altitude, etc… Mas o curioso fica pela indicação constante do posicionamento da cidade sagrada Meca, já que o fiel mulçumano tem que se ajoelhar e rezar em direção a essa cidade. Essa indicação também aparecia no meu quarto em Dubai, em uma plaquinha presa ao teto da saleta do quarto, com uma seta indicando a direção de Meca.

Sem maiores observações, chegamos dentro do prazo na capital espanhola.

Conclusão

Dos 4 trechos voados, somente o primeiro apresentou falhas tanto em terra como no ar, o que dava a impressão que tínhamos nos metido numa enorme furada. Mas felizmente isso não se concretizou nos demais voos, com a Royal Jordanian prestando um serviço a meu ver de qualidade superior. Recomendaria essa companhia logicamente se os preços forem convidativos.

Agradecemos ai Fabio por compartilhar conosco essa excelente avaliação e convidamos a todos os leitores que já voaram com a Royal Jordanian a deixar suas impressões nos comentários. Fez ou vai fazer algum voo com alguma companhia que ainda não foi avaliada aqui no Melhores Detinos? Entre em contato com a gente pelo e-mail dicas@melhoresdestinos.com.br para enviar sua avaliação!

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Felipe Rosa Machado

    Não é o sistema da RJ que não permite Brasileiros irem para os Emirados Arabes, é de todas companias, eu fui de Manilla nas Filipinas pra Dubai e comprei uma passagem da Qatar Airways por 500 dolares, e foram irredutiveis em me deixar embarcar mesmo eu mostrando o site da embaixada dos EAU dizendo que 96h eu podia, perdi o voo (mas o reembolso só perdi 50 dolares) e como não iriam me deixar embarcar comprei a da Emirates, que por ser de Dubai imaginei que eles deixariam, foi a mesma coisa, depois de quase chorar implorando pra ir (meu voo de volta pro Br era partindo de Dubai), o cara da Emirates me deixou embarcar com a condição que se eu fosse barrado nos EAU eu iria pedir para antecipar o voo, falei ok, e quando cehguei nos EAU tive problemas nenhum para entrar.

    o sistema pega a informação geral, Brasil precisa de visto. e não as obs onde diz que qualquer um pode até 96h.

    • Fabio Santarelli

      Agradeço a informação adicional e que sirva para outros viajantes que optem por visitar Dubai dessa forma.

    • Fabio

      Eu embarquei em Moscou com destino a Dubai pela Emirates sem visto e não tive problema algum . Sequer fui questionado sobre ter ou não visto . Chegando a DXB paguei os US$ 135 ( acho que foi isso ) pelo visto de 96h também sem problema algum.

      Aliás , foi o prórpio call center da Emirates que me orientou a proceder assim.

      • Fabio Santarelli

        Era de se supor que a Emirates soubesse dos procedimentos legais do seu próprio país! Porém, mesmo assim, o colega alí de cima encontrou dificuldades…

  • Guilherme Ortale

    Excelente Relato, muito bem detalhado e com ótimas fotos.

    Parabéns.

    • Fabio Santarelli

      Obrigado colega!

      Tinha até mais fotos, mas decidi cortar pra não ficar ainda mais longo o relato.

  • Daniel Matos

    Que maneiro! Eu tenho uma miniatura de um B747-200 da Royal Jordanian. Lindão esse avião.

  • beto

    Bem interessante o relato!

    dois comentários:

    * não é bem assim a coisa de "não era responsabilidade deles determinar se eu posso ou não entrar em Dubai".

    na maioria dos países, a cia aérea tem a responsabilidade de determinar se o passageiro tem toda a documentação exigida para entrar no país de destino. se eles deixam embarcar e a pessoa for barrada por causa disso, a cia aérea pode levar multa, tem que arcar com as despesas de mandar o passageiro de volta, etc.

    lógico que isso não explica a falta de informação no sistema deles (e de outras, pelo jeito) sobre a regra das 96 horas.

    * avisos em inglês incompreensível: isso é muito comum aqui no Brasil também (e em outros países). em vários voos da Tam, Gol etc, o que os comissários falam em o que eles imaginam ser inglês é tudo menos inglês… só quem fala português e está acostumado com o sotaque e erros que normalmente cometemos em inglês é que consegue entender, fico até com pena dos gringos.

  • Állan Friedri

    Um dos melhores relatos recentemente postados aqui no MD, rico em detalhes e ótimas fotos!

  • Bruno Feliciano

    Caramba, como você conseguiu ir a tantos lugares em apenas 20 dias?? O.o

    • Fabio Santarelli

      Olha, pra falar a verdade, acho que ficou meio corrido em Barcelona e Munich. O restante das cidades deu pra visitar o principal. Dubai 4 dias acho que foi até demais.

      Como sou profissional liberal, quando saio para viajar, além de gastar lá ainda fico sem receber aqui… então nunca posso esticar muito meus dias fora.

  • Felipe Rosa Machado

    sim, eu comprei a da Qatar pq tava 500 dolares,, e Emirates 700 dolares e já estava quebrado da viagem (28 dias pela asia),, nem acreditei que meu cartão passou,, quando todos da Qatar disseram que eu não iria sem visto, corri pra embaixada dos EAU em Manila mas já estava fechada,, ai com isso arrisquei a da Emirates com esse mesmo pensamento, ela é empresa local deve saber mais que as outras, mas foi mesma coisa,, é questão de sorte com o atendente, alguns são mais preparados que outros,,

  • Thiago Castro

    Qdo voo de Gol ou Tam tb não entendo nada do q elas falam em "inglês". Fico imaginando um turista. Imagina na Copa. rs

  • Kalynara Melo

    Voei de Amsterdã a Dubai e também a KLM não me pediu nada. Só uma correção, a mesquita chama 5 vezes ao dia. Fábio, seu relato foi ótimo, super engraçado, adorei!!! Parabéns.

  • livia

    Bom relato, minha irmã compro coma jordanian air

  • André França

    Achei eles perdidinhos, mas tiro o chapéu pro povo jordaniano, são super educados e prestativos, welcome to jordan, welcome to jordan o tempo todo! o meu voo saiu no horário, na volta eles cancelaram, teria que dormir em Amã, mas como tinha emitido com milhas da TAM, liguei pra TAM e me botaram na Qatar airways! nota 7 eu daria pra eles!