Como é voar na CityJet, companhia regional da Air France

Denis Carvalho 21 · agosto · 2013

Nossa expedição de avaliações de companhias aéreas mundo a fora chega hoje à Irlanda para conhecermos mais uma low cost europeia: a CityJet. Quer dizer, low cost no preços já que na avaliação do nosso leitor Mendonça Júnior, autor da avaliação de hoje, a empresa oferece um serviço que nada lembra Ryanair e companhia. Acompanhe seu relato e saiba mais sobre essa simpática companhia que pertence ao grupo AirFrance/KLM e pode ser uma opção interessante para voos pela Europa. 

avaliacao-cityjet

Olá Leonardo, Denis e demais colegas do Melhores Destinos. Como eu havia prometido em um de meus comentários em um dos posts do blog, estou aqui para dar minha contribuição em mais uma avaliação de companhia aérea, a CityJet. 

A CityJet é a terceira companhia aérea irlandesa, sediada na cidade de Swords, vizinha à capital Dublin, sendo uma subsidiária pertencente ao grupo da Air France, operando diversos destinos na Europa com uma frota de Avro RJ85 e Fokker 50, aeronaves de pequeno alcance, que tem como diferencial a possibilidade de operar em aeroportos pequenos, como é o caso do London City, que foi meu destino, vindo de Amsterdã.

800px-Cityjet_bae146_ei-rjs_arp

A companhia é considerada low-cost, o que, ao meu ver, somente é perceptível no preço do bilhete, pois, como veremos adiante, o serviço é bem superior à categoria de baixo custo.

Compra
A opção pela companhia se deu, além do preço, pelo fato de eu poder ajudar a outros aqui do Melhores Destinos, que tanto já me ajudou nas minhas andanças por este mundo. Até havia opção de voos com preços semelhantes na famosa British, mas além do voo ser operado para o aeroporto de Heathrow, que é bem mais afastado que o London City, eu iria perder a oportunidade de contribuir com o blog. Então, paguei para ver.

A compra de bilhete não foi feita diretamente no site. Comprei no decolar.com, pois queria pelo menos uma intermediária brasileira, que facilitasse as coisas caso algum problema ocorresse, além do fato de o preço na agência estar mais atrativo do que no próprio site. Também não sujeitei minha compra a uma transação internacional, que me cobraria IOF e ficaria naquela apreensão da eventual alteração cambial.

De toda sorte, cheguei a fazer simulações no próprio site da companhia e achei super fácil a navegação, exclusivamente em inglês.O bilhete custou incríveis US$ 10, mas as taxas saíram por US$ 70, totalizando, assim, US$ 80.

562925_10151276898311102_847805055_n

O trecho foi apenas de ida, de Amsterdã para Londres (London City, que é o aeroporto mais central da cidade). Sendo assim, o preço foi uma bagatela.
Comprados os bilhetes, recebi a confirmação por e-mail e, pouco tempo depois, os dados do localizador e do e-ticket. Liguei diretamente para a Air France aqui do Brasil e eles confirmaram o voo e a compra: tudo ok.

Check-in
O aeroporto de Amsterdã é incrível. Tudo é prático, desde a chegada, que pode ser feita através de trens que partem a cada 15 minutos da Estação Central (Amsterdã Centraal) da capital holandesa, até o embarque.

Totens para check-in
Totens para check-in

Ao chegar no aeroporto, que é imenso, há diversos balcões de informações. Ao me dirigir a um deles para verificar onde ficavam os guichês de check-in da City Jet, a atendente pegou os dados do meu voo (companhia, horário e destino) e prontamente me informou para onde eu deveria me dirigir.

Toten de Check-in 3

Chegando ao local, percebi que era todo da KLM, companhia holandesa, também pertencente ao grupo da Air France. Havia várias atendentes da companhia e uma delas me direcionou a um dos diversos totens para fazer o check-in. Havia apenas alguns poucos guichês para check-in presencial, com a atendente, que acho que deveriam ser para voos com destinos fora da União Europeia.

Toten de Check-in 2

O toten é fácil de utilizar e há opções de diversos idiomas, inclusive o português — de Portugal. Ao fazer o check-in pude perceber que a marcação dos assentos já estava feita automaticamente e que eu estava sentado ao lado da minha esposa, mas era possível tentar alterar ali mesmo o assento.

Toten de Check-in
Toten de Check-in

Não consegui fazer a marcação dos assentos com antecedência. Quando liguei para a Air France para isso, me informaram que eu teria que ver com a agência onde comprei os bilhetes.
Também é possível fazer o check-in pela internet, no site, e pelo aplicativo para smartphone.

Bagagem

Máquinas para despacho de bagagem
Máquinas para despacho de bagagem

Em seguida, fui direcionado pela atendente para uma das diversas máquinas que haviam por lá para o despacho da bagagem, sendo muito prática e simples a utilização. Assim, como o toten do check-in, a máquina vai direcionando os passos até o final. Bastou passar o código de barras do bilhete no leitor da máquina, colocar a mala no local indicado, conferir o peso (a minha mala estava 1,5 Kg acima da franquia de 23 Kg, mas foi só tirar algumas coisas e colocar na bagagem de mão e pronto), colar a etiqueta da bagagem que é impressa e nada mais. A máquina puxa a mala e está encerrado o despacho.

M�quina para despacho de bagagem - foto 9

O diferencial da CityJet e demais companhias europeias no geral, está no peso da bagagem de mão, cuja permissão era de 10 Kg, além de uma peça adicional, ou seja, era permitido uma pequena mala e mais uma bolsa com laptop, por exemplo.

M�quina para despacho de bagagem - foto 10

Embarque

Feito o auto-check-in, fui ao portão de embarque, passando, antes disso pela imigração (isso mesmo, como o Reino Unido não aderiu ao Acordo de Schengen, é necessário o carimbo no passaporte, mas só pró-forma mesmo, pois o funcionário recolhe o passaporte, carimba e nada mais.

Portão de embarque
Portão de embarque

Interessante é que os equipamentos de raio-x ficam no portão de embarque, ou seja, a conferência das bagagens é feita ali mesmo na hora do embarque, o que é positivo, pois evita as filas enormes, já que somente estarão na fila aqueles que irão no voo do respectivo portão de embarque.

O voo

O voo estava marcado para as 19 horas, mas decolou com 10 minutos de atraso, por algum motivo que não sei, já que o embarque foi rápido. A aeronave não parecia ser nova por fora, mas por dentro aparentava ser mais novinha, mas nada de 0 km.

Aeronave

O voo foi operado em um Avro RJ85 com capacidade para 95 passageiros na configuração de seis poltronas por fileira. Os assentos eram revestidos em couro, mas achei a largura da poltrona um pouco apertada. Não era o espaço entre as poltronas, que me pareceu ter o mesmo aperto aqui do Brasil – ainda mais para mim que tenho 1,84 m de altura – mas a largura do assento.

Espaço entre poltronas
Espaço entre poltronas

Havia um senhor do meu lado que parecia muito desconfortável. Chegou até a ir para a fileira à nossa frente, que estava vazia, após a decolagem.

Atendimento

Interior da aeronave 2
Interior da aeronave

As comissárias eram super-simpáticas.Por ser considerada low-coast, pelo preço que paguei no bilhete e pelo tempo de voo, de pouco mais de uma hora, pensei que não serviriam nada no trajeto ou que, caso servissem, fosse pago. Ledo engano. Para minha surpresa, assim que os avisos de atar cintos foi desligado, as comissárias — num total de duas — começaram o serviço de bordo gratuito, com duas opções de sanduíche natural (misto ou com ovo), refrigerante, suco, água e cerveja. Muito bom o lanche!

Lanche

Em seguida, ainda passaram novamente oferecendo tabletes de chocolates belga (humm que saudade de Bruges e de seus chocolates, rsrs). O que achei impressionante foi a rapidez com que foi feito o serviço de bordo. Nunca vi tanta agilidade e rapidez na minha vida. O entretenimento ficou por conta das revistas disponíveis nos bolsões dos assentos.

Revistas

Apesar ter havido atraso de dez minutos na partida do voo, ele chegou pontualmente às 19h15 em Londres —havia uma hora de diferença de fuso em relação a Amsterdã. A imigração foi tranquila e a reposição das bagagens foi rapidíssima.

Interior da aeronave

Conclusão
Não me arrependi em nada por ter escolhido a CityJet. Pelo contrário, me surpreendi positivamente com o serviço em todos os seus aspectos, ainda mais pelo fato de a companhia ser considerada uma low-coast. Para mim isso se refere apenas no preço baixo do bilhete, já que o a franquia de bagagem de 23 kg e o serviço de bordo gratuito não combinam com a as autênticas low-coasts europeias.

Agradecemos ao Mendonça, um de nossos leitores mais participativos, por esta avaliação super detalhada, que certamente será muito útil para todos os que estão planejando voar pela Europa e poderão ter uma opção bem interessante com a CityJet! Quer saber mais sobre companhias de baixo custo europeias? Leia nosso Guia Especial sobre companhias Low Cost da Europa e tire suas dúvidas! Veja aqui todas as nossas avaliações de companhias aéreas – já mais de 100! 

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Eu fiz exatamente o mesmo roteiro, AMS para London City, porém estava vindo do Rio. E concordo com a avaliação, só não sei dizer sobre valores porque fazia uma conexão e o valor estava incluso no total já pago! Mas o serviço é bom e rápido mesmo, só tomei um susto com o tamanho avião de primeira, mas mesmo assim era super seguro!

  • Ricardo

    Muito bom mesmo o relato, parabéns !

  • Curti a franquia de bagagem! (y)

    • Marcos Sobral

      É mesmo. Acho que 23 Kg dá pro gasto numa boa. É só usar lavanderias da Europa.

  • Eu voei de CityJet fazendo CDG-Dublin. O preço estava incluído na passagem da Air France, então não sei quanto sairia o trecho isolado. Também fomos de Avro 85, mas acho que a configuração era de quatro ou cinco poltronas por fileira — lembro que minha namorada e eu fomos juntos, ela na janela e eu no corredor, não tinha uma terceira poltrona. Só tivemos que despachar nossas malas de mão, ali mesmo na pista do aeroporto, antes de embarcar. Fora isso, voo tranquilo, bom serviço de bordo, tudo ok.

  • Com certeza. Para mim foi suficiente. Talvez viajando no inverno seja apertado os 23 kg por causa dos pesados casados para o frio.

  • Achei interessante a ideia de comprar as passagens pelo decolar.com e pagar com reais.

  • Bom relato!

    A propósito, achei alguns erros:

    "Olá Leonardo, Denis de demais…" -> Olá Leonardo, Denis e demais"

    "A companhia é considerada low-coast" -> "A companhia é considerada low-cost"

    • "a conferência das bagagens é feia" -> "a conferência das bagagens é fetia"

      • Hehehehe. Acho que os erros foram meus Cleber, e não da galera do MD. Mesmo dando autorização para a correção, acho que eles preferiram publicar da forma que mandei. Tem mais erros. Sutis, mas tem. Tomara que você não os ache. Como fui escrevendo, o relato é grande e não parei para conferir depois, acabou com alguns errinhos. 😉

        • Marcia

          Muito legal o seu relato… e que graça de avião ! Parabens…já anotei a dica ! Abraços

      • Obrigado Cleber, já corrigi. Se encontrar mais algum por favor nos avise! 🙂

    • Edison

      O Colega faz uma Gentileza e o Cidadão vem com Regras da Língua Portuguesa.
      Pelo amor,vamos Curtir o Comentário do Amigo.

  • fredherikobr

    Mendonça muito bacana o seu relato! Obrigado por compartilhas conosco essa sua positiva surpresa.

    Grande abraço.

    • Eu é que fico feliz em poder ajudar essa grande família chamada Melhores Destinos. Perdi as contas das ajudas que tive graças aos posts aqui do blog. Por isso, sempre que puder irei ajudar também.

  • Muito bom ler esses relatos, têm sido muito útil, pois estou indo para a Europa em Novembro.

  • Feliciano

    É tipo a PASSAREDO ?

    • Não sei dizer porque nunca voei com a Passaredo. O que posso dizer é que os aviões utilizados pela passaredo são/eram bem diferentes daqueles utilizados pela CityJet.

  • Rafael Vidal de Lima

    Viajei com a Cityjet de Paris CDG para o aeroporto London city, com o mesmo modelo de aeronave. Foi um voo bem agradável e de curta duração. Mas também tivemos serviço de bordo ( bebidas e amendoim) gratuito e bagagem de 23kg gratuitos. Decolamos e pousamos no horário marcado. Só que isso era no inverno. Todos os passageiros estavam com casacos gigantes no corpo. A poltrona que já é um pouco apertada, ficou um pouco incomoda com os casacos. Mas no geral, foi uma boa experiencia.

  • Voei de CityJet, ano passado entre AMS e SXB num Embraer 190, adorei!
    O portugues da tela do self check-in ai da foto parecia brasileiro, porque estava escrito "imprimindo"… 😀

  • beto

    voei uma vez com a CityJet e minhas impressões em geral foram bem parecidas.
    apenas ressalto dois pontos:
    1. nem todas as tarifas da CityJet dão direito a mala despachada; se comprar pelo site deles e for a tarifa "CitySaver", terá que pagar 15 euros para despachar uma mala de 23kg por voo (isso se fizer online o pagto dessa taxa; se for no aeroporto sobe para 30 euros). muitas vezes vale a pena comprar uma tarifa um pouco mais cara que já tem o despacho da bagagem incluído no preço (e outras vantagens).

    2. não só a CityJet, mas várias cias europeias (e americanas) dão uma enganada no "preço" da passagem e embutem uma parte nas taxas quando vc compra no site delas fora do Brasil. Aqui no Brasil as taxas cobradas são realmente só as taxas de aeroporto/imigração/alfândega sobre as quais as cias não tem controle. A CityJet e outras europeias cobram muitas vezes um "fuel surcharge" (adicional de combustível) ou outras coisas no meio das taxas, para parecer que a passagem em si é mais barata. Como avião não voa sem combustível…. Agora mesmo vi uma passagem na CityJet que tinha 115 euros em taxas, mas 30 deles eram desse tipo, que aqui no Brasil apareceriam como parte do preço da passagem em si…Por isso o que interessa é sempre o preço final, com todas as taxas cobradas já na conta.

  • André Pessoa

    A pergunta que fica é a seguinte: como é possível uma companhia aérea ter lucro vendendo passagens a US$ 10?

    • Régis

      André, certamente poucos lugares são oferecidos a esse preço, pois servem como chamariz para a companhia (olha só o efeito de marketing que está dando aqui) e porque suprem uma eventual ociosidade.

    • André Pessoa

      É impressão minha ou existe uma contradição nesses dois trechos da matéria?

      "Até havia opção de voos com preços semelhantes na famosa British"

      "O bilhete custou incríveis US$ 10"

      A British estava vendendo passagens para a Inglaterra por cerca de US$ 10? Eu penso que não.

      Eu até consigo imaginar algumas explicações para a confusão, mas de qualquer maneira o texto, nesse trecho, está mal redigido.

  • Ana Fiorani

    Acabei de voltar da Europa e fiz vários vôos pela Easyjet. Cheguei a cotar pela City porém os valores estavam iguais aos das Cias grandes. Paguei incríveis 24 libras pelo vôo Veneza/Londres que, apesar de nos levar até o aeroporto de Southend-on-Sea, foi uma agradável experiência, pois é um lugar super charmosos e com guest houses encantadoras. Apesar de ter chegado tarde da noite, pago um taxi (8 libras) para ir a pousada e no dia seguinte ir de trem para Londres, ainda ficou mais barato que ir pelo Heathrow e pagar a diária do hotel de Londres que é bem mais cara e não tem metade do charme das pousadas de lá. Quanto a Easyjet, aviões não muito novos porém bastante estáveis. Porém parece que os comissários são verdadeiros vendedores ambulantes. Achei os pilotos muito profissionais, falando em todos os vôos com os passageiros, explicando o trajeto, a previsão do tempo. No vôo Amsterdan/Milão (48 libras) achei super simpático eles nos chamarem a atenção ao passarmos pela Suíça à queima de fogos em virtude do dia de aniversário daquele País. Foi um espetáculo que certamente perderíamos pois estaríamos dormindo. Achei no mínimo atencioso. Paguei antecipadamente 8 libras para ter direito a levar mais uma mala, tive que despachar outra e não tive nenhum problema.

  • Sandro

    Acabei de fazer uma pesquisa no mesmo trecho é o curioso que o valor de ida e volta e mais barato do que cotar somente ida …

    • Marcia C

      Normalmente é o que acontece; isso é a regra.

  • Thiago Castro

    Muito bom relato Mendonça. Com bastante foto e informações objetivas. Obrigado.

  • Já viajei algumas vezes na City Jet e não tenho do que reclamar, já fiz o trajeto Barcelona- Orly, Orly – London city- AMS. O serviço é muito bom, salvo engano, uma vez enviaram minha mala no vôo seguinte de Paris para Madrid, mas não estou muito certo se foi a City Jet ou a própria Air France que operou o vôo.
    Enfim, esta cia. aérea não deixa nada a desejar as demais concorrentes ou mesmos as maiores empresas.

  • Nara.d

    Já voei váarias vezes de city jet, a maioria em conexão de Dublin ou para Dublin. Das low costs, a cityjet é a mais carinha (#fato), com exceção de promoções muito boa que às vezes encontramos. Viajar de Ryanair ou Aer Lingus é mais barato mesmo, mas o serviço é inferior e dessas duas últimas, a Ryanair é a pior, farofa mesmo kkk

  • Fabio

    Também ja voei pela City. Isso sim é companhia Low cost, com serviços muito melhores que nossas cias aéreas high cost brasileiras..

  • Excelente dica.
    Todas as publicações do site são excelentes.
    Parabéns!

  • wilianmarcosoliveira

    poderiam me informar sobre a WOW AIR, comprei uma passagem de Londres para Reykjavick e irei em outubro.

  • Érico Muniz

    Excelente relato. Gostaria de saber como vocês selecionam textos de leitores nessas avaliações de cias. Recentemente voei com Airtran e Spirit entre EUA e México e acho que ainda não tem avaliações sobre elas publicadas por aqui. Enfim, se interessar, é só chamar.

  • vera

    Entao a bagagem de mao permitida era de 10kg e o servico de bordo (comissariado) eram bom? Quer dizer que nao sao mais? Ou a permissao foi de 10kg e o comissariado foi bom? Pelo que esta dito ao que entendo e que ambas ja nao sao.

  • vera

    Entao a bagagem de mao permitida era de 10kg e o servico de bordo (comissariado) era bom? Quer dizer que nao sao mais? Ou seria que a permissao foi de 10kg e o comissariado foi bom? Eu entendo que ja nao sao.. E isso, entao?

  • Joabe Coelho

    Eu fiz o trajeto Paris – Dublin pela cityjet.. Após 1 hora de vôo a aeronave aterrissa e eu ja levantei achando que estava em Dublin.. Como meu francês era precário e o inglês dos irlandeses difícil de entender, fui o único no aviao a levantar e ir pra porta; quando a aeromoça me avisa que por problemas técnicos tivemos que voltar a Paris.. Vergonha alheia a parte trocamos de aeronave e ae sim chegamos em Dublin.

  • Ro1

    Fiz o trajeto Amsterdam/Londres pela CityJet e minha impressão foi totalmente oposta da maioria!!! Sim, o atendimento é bom e tudo mais! Mas o piloto parecia que estava transportando boi!!! Fez manobras super bruscas para pousar e como sentei na última fileira, quando ele tocou o solo, batia a parte de trás da cabeça com tudo. O tempo estava ótimo, sem nuvens, sem vento… o cara era ruim mesmo. Só voei com eles porque era uma trecho da minha passagem original, na qual dizia que esse voo seria da KLM e não de uma empresa do grupo. Chamo isso de "economia na base da porcaria".

  • Erivelton

    Concordo com o comentário acima. O nome da companhia deveria ser " Seat and Ejet" (CityJet)

  • Gisele benedicto

    Voei de Paris CDG para Florença pela City Jet. O võo foi vendido em parceria com a Air France, desse modo, não saberia informar o valor do trecho. Mas o que posso afirmar é que tive uma grata surpresa com o tipo de serviço oferecido: excelente serviço de bordo, com lanche, bebidas, incluindo vinho e cerveja, café quentinho, chocolate e biscoitinhos para acompanhar. O vôo para Florença teve duração de 02 horas.
    Recomendo!

  • Jonathas

    Obrigado pela resenha! Estou precisando do trecho Londres (preferência LCY) a Dublin, e os preços estão próximos da Ryanair (5 libras de diferença). Meu maior medo de viajar com uma Ryanair da vida é levar algum susto, do tipo ter que pagar uma taxa absurda por alguma razão. Até acho vôos mais baratos na Ryanair, mas teria que sair muito mais cedo, tanto pelo horário do vôo quanto pela maior distância do Aeroporto de Stansted, onde operam o trecho Londres-Dublin. Sem contar que o próprio custo do trem até o aeroporto ficaria mais caro, o que acabaria zerando a vantagem da Ryanair.