Como é voar na boliviana Amaszonas Línea Aérea

Redação 01/07/2013 às 10:22h 35 Comentários

A Amaszonas Línea Aérea é uma companhia aérea boliviana, com base em La Paz. Com uma frota de quatro jatos Bombardier CRJ-200, ela voa para oito destinos na Bolívia e para Cusco, no Peru. A companhia, que acaba de renovar a frota, planeja expandir suas operações a outros países da América do Sul. Comenta-se em um voo para Cuiabá ou até São Paulo, na rota deixada pela Aerosur. Uma curiosidade é que o nome Amaszonas é uma junção entre o nome do maior rio do mundo e a frase em espanhol “a mas zonas”, indicando que a companhia pretende levar o passageiro a mais lugares. Nossa leitora Louise Elali, autora do blog SOS Viagem, voo com a pequena companhia de La Paz a Cusco e fez uma avaliação caprichada para o Melhores Destinos. Acompanhe:

avaliacao-amaszonas

Em abril eu fiz uma viagem por Bolívia e Peru. O roteiro inicial incluía um trajeto de ônibus, de La Paz até Cuzco, parando alguns dias na área do lago Titicaca. Só que alguns dias antes da viagem fiquei sabendo que estavam havendo greves na Bolívia e o trajeto de La Paz até Copacabana estava interrompido. Como a viagem não era muito longa, não quis arriscar e comecei a procurar maneiras alternativas de percorrer esse trecho. No final, acabei optando por “pular” o Lago Titicaca e pegar um voo direto de La Paz para Cuzco. E foi assim que eu descobri a companhia aérea Amaszonas, a única que faz voos diretos nesse trajeto.

Compra

Eu não sabia bem o que esperar, já que nunca tinha ouvido falar dessa companhia, e comecei a ter uma má impressão desde a hora da compra. Pesquisei o preço da passagem na internet, inclusive diretamente no site da empresa, e só encontrava valores que eu considerei altíssimos. Liguei para uma agência de viagens de confiança, de quem sou cliente há algum tempo, e eles conseguiram um valor 100 dólares mais barato, e com a vantagem que a compra seria dentro do Brasil e não teria a taxa do IOF. Achei uma diferença muito grande e fechei com a agência. Depois, eles começaram a ter problemas para emitir a passagem… Segundo a vendedora, simplesmente o sistema da Amaszonas não funcionava. Uns dois dias depois, quando eu estava quase desistindo, ela conseguiu emitir a passagem via uma outra operadora e no final eu tive que pagar uma taxa extra de 60 dólares. Ainda ficou mais em conta do que comprar direto do site, mas achei tudo meio confuso e ligeiramente estranho.

2013-04-21 09.22.24 HDR

Check-in

Cheguei ao aeroporto de La Paz quase três horas antes do voo. O check-in estava vazio, completamente sem filas e com duas atendentes a postos. Não tinha check-in nas maquininhas, era tudo direto no balcão mesmo. Não levei nada impresso, só o número da reserva e não tive nenhum tipo de problema. Fui tudo super rápido e a atendente foi bem simpática.

Já a espera no portão de embarque foi meio confusa. A telinha do portão começou a piscar com a mensagem de “embarcando”, mas não aparecia nenhum funcionário da empresa. Foi pelo menos uns vinte minutos assim. Cheguei a perguntar a funcionários do próprio aeroporto se estava acontecendo alguma coisa, mas todos me confirmaram que era assim mesmo. Eventualmente apareceu alguém e embarcamos.

2013-04-21 09.24.35 HDR
Voo

Eu entendi melhor a falta de preocupação com o embarque quando entrei no avião. Era bem pequenininho! Era um CRJ200, que só tem onze fileiras, com duas cadeiras de cada lado. Pra completar, estava super vazio. Tinha cerca de dez passageiros. E mais um ponto pro item confusão: apesar de não ter nem um passageiro por fileira, conseguiram dar o mesmo assento para duas pessoas. Como estava vazio, não houve grandes problemas.

2013-04-21 09.23.54 HDRMas voltando para o avião mesmo, achei muito bem conservado e limpinho. Apesar de a cadeira oferecer pouca inclinação, gostei bastante do espaço para as pernas. O ponto negativo foi o barulho do motor, que achei um pouquinho mais alto que o normal.

O voo era curto, o avião era pequeno e a quantidade de comissários era mínimo: só uma! Mas ela era super simpática, e falava inglês e espanhol. Nada de português. Não foi servida nenhuma refeição (o voo durou menos de uma hora), só água e refrigerantes. Além disso, uma das coisas que faltaram foi entretenimento a bordo, que foi inexistente. Não tinha telas, nem rádio, nem uma revista! Só tinha um jornalzinho da empresa, mas muito curtinho e bem sem graça.

2013-04-21 09.28.01 HDR

2013-04-21 09.45.38 HDRO melhor entretenimento do voo, na verdade, foram as janelinhas, já que o trajeto percorre uma área bem alta, então dava para ver paisagens relativamente próximas durante todo o voo. Fiquei com a sensação que tive vistas melhores do Lago Titicaca do que se eu tivesse passado por lá de ônibus!

Vale mencionar que a decolagem e a aterrisagem foram muito boas, apesar da dificuldade da altura (me contaram que é bem mais difícil decolar e aterrissar em lugares mais altos).

Chegada

A chegada aconteceu no aeroporto de Cuzco, que apesar de ser um “aeroporto internacional”, é bem pequeno. A retirada de bagagem foi rápida, mas talvez tenha sido só porque tivemos que passar pelo controle de passaportes antes de chegar às esteiras das malas. Não sei.

amaszonas-crj

Conclusão

Vale a pena voar pela empresa? Pergunta difícil. Sinceramente, não achei que o preço tenha sido compatível com o serviço, mas como é a única empresa que faz o trajeto direto, vale a pena pela economia de tempo… e pela paisagem na janelinha do avião.

Agradecemos à Louise por esta excelente avaliação, que certamente será muito útil para os leitores que estão planejando uma viagem pela Bolívia. E você? Já voou com a Amaszonas? Deixe suas impressões nos comentários! Se você fez ou vai fazer uma viagem com alguma empresa aérea que ainda não foi avaliada aqui no Melhores Destinos ficaremos felizes em publicar sua avaliação: entre em contato pelo e-mail dicas@melhoresdestinos.com.br Você pode conferir todas as avaliações publicadas pelo MD neste post. Não deixe de conferir também nosso Guia de Companhias Aéreas, com dezenas de avaliações e notas dos leitores.

 

35 comentários para “Como é voar na boliviana Amaszonas Línea Aérea

  1. David Cardoso

    Viajei pela Amaszonas em julho de 2012 no trajeto La Paz – Uyuni. A princípio, também faria o trecho de ônibus, mas devido a bloqueios nas estradas, a empresa de bus havia cancelado as viagens por tempo indeterminado.

    Não tive problemas com atrasos ou falta de informações, mas tb achei o preço caro pelo serviço oferecido. Na época paguei em torno de U$ 200 pelo voo com duração de 1h.

    O avião em que entrei era menor ainda, devia caber umas 14 pessoas no máximo!

    Responder
  2. Thiago Castro

    "No final, acabei optando por “pular” o Lago Titicaca e pegar um voo direto de La Paz para Cuzco. E foi assim que eu descobri a companhia aérea Amaszonas, a única que faz voos diretos nesse trajeto."

    Sério que é a única que faz esse trajeto direto? Achei que Avianca e Lan fizessem esse trajeto tb.

    Responder
    1. Louise Elali

      Oi, Thiago. Fui eu quem escreveu a avaliação. Eu pesquisei online e pedi para uma agência de viagens pesquisar também. Vôo direto, só tinha com essa empresa. A Lan e a Avianca, só achei com escala.

      Responder
      1. Thiago Castro

        Ah, confundi La Paz com Lima, por isso a surpresa. Realmente, agora faz sentido. Todos os vôos teriam conexão em Lima, eventualmente.

        Responder
  3. André Santos

    Acho engraçado esses comentários das pessoas que fazem um voo interno em outro país e ainda esperam que as aeromoças falem português…

    Responder
    1. Tássio Adrian

      E eu acho engraçado que não sabe nada de Geografia da América do Sul. Vá estudar um pouquinho mais amigo.

      Responder
      1. André Santos

        Embora eu tenha me confundido e o voo em questão fosse entre dois paises, ambos falam espanhol, logo meu raciocínio inicial continua se aplicando.

        Responder
    2. Louise Elali

      Oi, André. Só comentei porque tem gente que pergunta. Eu não estava esperando nada. Ah, e não é vôo interno (Bolívia-Peru).

      Responder
    3. Denis Carvalho

      André, todo mundo que faz avaliação de companhia aérea para o MD recebe um guia com os principais pontos a serem avaliados e este é um dos itens, se há atendimento em português. Por isso o comentário :-)

      Responder
      1. André Santos

        Louise e Denis vocês estão certos. Desculpem-me.

        Responder
        1. Fred K. Chagas

          E mais estranho ainda é que CRITICA os outros GRATUITAMENTE e, falador que é, acaba levando uma CHAMADA do administrador do site, com toda a elegância, é claro. // Quando você abrir seu site, sr. andré santos, coloque lá as regras ou, mais fácil, quando resolver ajudar ao próximo (hahaha, que piada…), escreva do seu jeito perfeito.

          Responder
  4. Roberta Giordano

    "Não foi servida nenhuma refeição (o voo durou menos de uma hora), só água e refrigerantes. Além disso, uma das coisas que faltaram foi entretenimento a bordo, que foi inexistente. Não tinha telas, nem rádio, nem uma revista! Só tinha um jornalzinho da empresa, mas muito curtinho e bem sem graça.""

    Qual a diferença desta cia. e a Gol???..A Gol tem coragem de fazer viagens muito mais longas, inclusive internacionais, com entretenimento zero..e alimentação quase insistente..

    Pelo seu relato achei que ela fez bem seu papel!!

    Responder
    1. Louise Elali

      Só podia ser mais em conta! :)

      Responder
      1. Roberta Giordano

        Sem dúvida..mas quando não existe concorrência, ficamos a mercê de preços pouco camaradas.

        Responder
    2. Mari Coke Motta

      Eu acho que a Roberta tem razão, poxa, foi um vôo curtinho, o avião parecia limpo e não caiu rs , tá excelente !! Leva seu smartphone, um pacote de bolacha e tá ótimo :p

      Responder
      1. Louise Elali

        Mari e Roberta, comida e entretenimento de bordo são dois ítens que o Melhores Destinos pedem para comentar quando você vai fazer uma avaliação. Eu concordo que o vôo foi curto e não era ítem indispensável. Mas pediram para comentar, então eu registrei. :)

        Responder
        1. Roberta Giordano

          Mas seu relato foi muito bom….!!

          Responder
        2. Fred K. Chagas

          Louise, liga não. O povo não ajudar ninguém e adora reclamar de quem se mexe. // Parabéns pelo relato.

          Responder
  5. João Luiz Cos

    Parabéns Louise pela avaliação, recordei da extinta Pluna com seus Bombardier CRJ-900.

    Responder
    1. Eduardo Azevedo

      Parabéns Louise pela avaliação, como o João Luiz falou ai em cima, tambem viajei muito de Pluna, e apesar das aeronaves serem um pouquinho maiores que as da Amaszonas, tambem tinha a turbina no leme, e como o Louise disse, fazem muito barulho para quem senta da asa para tras! Então fica a dica: A aeronaves da Bombardier são excelentes, mas vale a pena escolher a poltrona mais a frente possivel!

      Responder
  6. Léo Teixeira

    Meus amigos Denis e Leonardo e todos do melhores destinos, sei que o vou perguntar esta bem fora do tema, mas, Uma viagem na época de réveillon para o nordeste custando 20.000 milhas ida e volta, esta caro ou pela época esta normal mesmo. Agradeço muito se puderem me ajudar, no quesito viagens prêmio sou novato ainda. Abraco a todos . Valeu.

    Responder
      1. Léo Teixeira

        Valeu Leo! :)

        Responder
  7. Vinicius Garcia da S

    A dificuldade nas decolagens em altitudes elevadas se dá pela pressão atmosférica, ou melhor, a altitude-densidade como usam na aviação. Quanto maior a altitude, menor a pressão atmosférica, logo, menos partículas de ar por polegadas (ar rarefeito) e consequentemente menos empuxo nas turbinas do avião. Desta forma, o avião precisa percorrer mais tempo em solo até alcançar a sustentação necessária para a decolagem. Por isso, pistas com a extensão do Santos Dumont (nível do mar), por exemplo, são inviáveis para um avião à reação (com turbinas) decolar em Sucre, na Bolívia (2.800m acima do nível do mar).

    Responder
    1. Valquiria Dos Reis M

      Muito interessante, seus conhecimentos, parabens!

      Responder
  8. luciano deszo

    Nossa quanta mudança na companhia, voei pela Amaszonas no dia 25/12/2011, de La Paz a Uyuni, e naquela ocasião eles tinham apenas aviões turbohélice pequenos (cabiam 19 passageiros se não me falha a memória), eram aviões bastante "surrados", nem logo da empresa tinham…

    Responder
  9. Renan

    Leo, Dennis, galera MD

    Acho legal voces nao moderarem os comentarios, principalmente, pq agiliza pra gente e facilita pra voces

    Só que tem um povo aí que exagera na dose.

    Será que não seria interessante remover ja que nao contribui pra nada ou, de repente, criar algum tipo de punição para a falta de educação como nao permitir mais participar dos comentarios, por exemplo ?

    Responder
  10. Denis Carvalho

    Teremos algumas novidades neste sentido ainda neste mês ;-)

    Responder
    1. Renan

      é… inteligencia e agilidade nunca faltou mesmo em voces

      dificilmente isso ja nao teria passado por pela cabeça de uma galera tao afinada como voces

      parabens por tudo e muito sucesso pra voces, SEMPRE!

      grande abraço a todos ;-)

      Responder
  11. Antonio Alves da Sil

    Leo:

    Pra você ter uma idéia, em dezembro de 2012 comprei uma passa gem Curitiba – Natal (só ida) pela Gol por 20.000 milhas! Um verdadeiro roubo. Isso porque antes eu tinha comprado antecipadamente o mesmo trecho por 3.000 milhas, mas errei o último sobrenome do passageiro e a Gol não aceitou a correção e eu tive que cancelar a passagem anterior.

    Responder
  12. Vinicius Garcia da S

    Não sei de fato se o seus elogios são sinceros ou irônicos, pelo fato de meu comentário estar solto de uma curiosidade despertada pela autora da avaliação. De qualquer forma, quero esclarecer que deixei este comentário aqui para esclarecer a seguinte frase da autora: "me contaram que é bem mais difícil decolar e aterrissar em lugares mais altos".

    Não expliquei corretamente no primeiro comentário, mas fica aqui minha correção…

    Ahhh!! Caso os elogios sejam sinceros, obrigado!

    Responder
  13. Wagner Brito

    Acho lindo esses modelos de avião. É bem confortável, ao contrário do que acontece em nossos velhos conhecidos boeings e airbus. Em um desses, não há necessidade de se pedir licença para os dois passageiros ao lado – caso optou-se por um assento na janela, como eu sempre faço rs. É um obstáculo a menos. E essa história dessa cia aérea com vôo para CGB? Fiquei curioso…

    Responder
  14. Max Neves

    Voei La Paz p/ Santa Cruz. Paguei cerca de 650 bs comprando com umas 2 semanas de antecedência.

    Para fazer o checkin, ter em mãos passaporte/identidade e o cartão de crédito usado na compra.

    O avião é um bombardier que estava limpo e em bom estado:
    http://www.4gp.tw/b033/139817023938.jpg

    O avião decolou 5min antes do previsto e o serviço de bordo é de bebidas (nem ligo pois procuro é tarifa baixa). Só havia um comissário, muito educado por sinal.
    http://www.4gp.tw/b033/1398170699657.jpg

    Vôo tranqüilo mas sem entreterimento como mencionado. Tudo bem, tenho meu celular pra isso ;).

    Pouso, serviço de transporte de bagagens em Viru Viru foi muito rápido:
    http://www.4gp.tw/b033/1398171207310.jpg
    e:
    http://www.4gp.tw/b033/1398172201157.jpg

    Bagagem em mãos, tem uma funcionária que verifica a bagagem com o cartão de embarque (ótimo!).
    http://www.4gp.tw/b033/1398172554957.jpg

    É isso aí. Abs.

    Responder
  15. Camila

    Alguém sabe o limite de bagagem para voar pela Amaszonas? Senti falta dessa informação no relato e preciso muito saber isso! Obrigada! ;)

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>