Como é voar na AirAsia, a melhor low cost do mundo – segunda avaliação

Denis Carvalho 10 · abril · 2013

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Como você já viu aqui no Melhores Destinos, a AirAsia ganhou o bicampeonato como a melhor companhia aérea low cost do mundo pela conceituada consultoria internacional SkyTrax. Com sede na Malásia, a companhia é considerada a primeira companhia de baixa tarifa asiática e ainda é a maior no segmento no continente, voando para 88 destinos com frota de 120 aeronaves. A AirAsia, contudo, está em franca expansão, com pedidos de mais 355 aviões para os próximos anos, incluindo suas subsidiárias Ais Asia India, Air Asia Japan (em parceria com a ANA), Air Asia Philippines, Air Asia X, Indonesia Air Asia e Thai Air Asia. Nossa segunda avaliação da companhia é assinada pela leitora Louise Elali , autora do blog SOSViagem. Confira  como foi a experiência dela nos voos que fez com a Air Asia:

Em novembro de 2012, eu fui apresentar um trabalho em um congresso de comunicação em Singapura. Como nunca tinha ido à Ásia, aproveitei para passear um pouco. Foi assim que descobri a AirAsia, que é a maior companhia aérea low-cost da região. Acabei fazendo três voos com a empresa: Singapura-Bali, Bali-Bangkok e Bangkok-Singapura.

Depois de comparar os preços no skyscanner, comprei as passagens pela internet mesmo, no site airasia.com. Foi simples, tudo em inglês, e meu cartão de crédito brasileiro foi aceito sem problemas. Realmente, os preços da empresa são imbatíveis, principalmente para passagens
de última hora (como foi meu caso).

Como a AirAsia é uma empresa low-cost, confesso que estava esperando algo no “estilo RyanAir de ser”, mas acabei tendo uma surpresa agradável.

Check-in

No check-in, nada daquelas filas malucas da RyanAir. O sistema de check-in da AirAsia é moderno e todo automatizado. O passageiro se dirige até as telas, fornece as informações e sai com o bilhete. Tem funcionários para ajudar caso o passageiro tenha alguma dúvida, mas não precisei de auxílio.

 

Eu viajei só com a mala de mão, então também não precisei passar pelo guichê – a única exceção foi no vôo saindo de Singapura, onde os seguranças estavam fazendo todos os passageiros voltarem aos guichês das companhias para receberem um carimbo na passagem depois da verificação do passaporte. Mas acho que isso não é prática comum, já que fiz outro voo saindo de Singapura (por outra empresa) e não precisei fazer isso. O embarque foi tranquilo e sem aquela gritaria toda típica das low-cost europeias.

Voo

Achei o avião (Airbus A320) bem melhor que RyanAir ou EasyJet. Definitivamente as cadeiras eram mais confortáveis, e tive a impressão de ter um pouquinho mais de espaço, apesar de ser um desses modelos comuns de duas colunas de três cadeiras. Sem contar que parecia bem mais novo (ou pelo menos mais bem conservado) do que os das empresas europeias. Se a memória não me falha, os três vôos tiveram um pequeno atraso na decolagem, mas nunca mais que 20 minutos.

Como toda low-cost, os passageiros podiam comprar refeições, que ficavam na média de uns 10-15 dólares. Também tinha café, chocolates e outras bugigangas. Confesso que não provei, mas os passageiros do meu lado pediram (em todos os voos!) e parecia ser bom. O cardápio tem assinatura de Farah Quinn, uma chef conhecida na região.

Lembro que a foto dela está impressa na embalagem, e duas adolescentes que viajaram do meu lado a reconheceram logo de cara. Acho que ela tem um reality show de cozinha. Também seguindo a linha low-cost, não tinha travesseirinhos, mantas ou fones de ouvido. Nem tinha nenhum sistema de entretenimento. Tinha, sim, um catálogo de produtos duty free, que foi anunciado uma única vez (diferente da feira que a RyanAir anda fazendo nos últimos anos!).

O desembarque foi tranquilo como o embarque. Não precisei retirar mala, então não sei bem como foi esse processo.

No fim das contas, acho que vale a pena, sim, voar com a AirAsia, especialmente em trechos curtos (até três horas). Os preços são bem mais em conta que as companhias tradicionais da região, e o serviço é melhor que a média das low-cost. Eu recomendo!

Agradecemos a Louise pela ótima avaliação, que certamente vai ser importante para os demais leitores em suas viagens pela Ásia. Como vocês devem ter percebido, usamos imagens Creative Commons para ilustrar esta avaliação, já que infelizmente a câmera da leitora foi furtada no fim da viagem com as fotos que elas havia feito. E você, já voou pela AirAsia? Deixe suas impressões nos comentários!  Se você fez ou vai fazer uma viagem com alguma empresa aérea que ainda não foi avaliada aqui no Melhores Destinos ficaremos felizes em publicar sua avaliação: entre em contato pelo e-mail dicas@melhoresdestinos.com.br Você pode conferir todas as avaliações publicadas pelo MD neste post

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe