Companhia argentina Austral deve voar de São Paulo a Buenos Aires

Denis Carvalho 8 · março · 2012

A companhia argentina Austral solicitou autorização à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para operar uma nova rota entre São Paulo e Buenos Aires. A companhia, que pertence ao grupo Aerolíneas Argentinas quer operar voos diários entre os aeroportos de Guarulhos e Aeroparque Jorge Newbery.

Segundo a solicitação, a companhia pretende iniciar a nova rota em duas semanas, com o primeiro voo marcado para 22 de março. As decolagens em Buenos Aires devem ocorrer às 10h55 com chegada a São Paulo às 13h40. No sentido inverso, os voos sairão às 14h20 de Guarulhos, com chegada às 17h15 na capital portenha.

Dois pontos bem interessantes nestes novos voos. O primeiro é que eles serão operados com novos jatos Embraer 190, com 98 lugares. Os 20 jatos foram comprados em 2010 para modernizar a frota da companhia. Além disso, a chegada no Aeroparque, que é o terminal mais urbano de Buenos Aires, trará facilidade para quem deseja pegar conexões para outros destinos da Argentina, além de facilitar o deslocamento para os que visitam a capital do país.

Interessante que a Austral até agora era uma companhia apenas regional, mas está mudando seu foco de atuação. Além do voo para São Paulo outra rota internacional deve ser iniciada neste ano para Assunção, no Paraguai. Saiba mais sobre a Austral.

Com informações da Anac

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe
  • Gilberto Souza

    Voei no final de 2011 com eles em um trecho de Córdoba/Buenos Aires nesses novos Embraer. Os aviões são novos, muito confortáveis, possuem um serviço de bordo bom e o sistema de entretenimento tem audio e video com telas individuais. Nos dois voos (ida e volta) havia uma ampla programação. Eu fui e voltei assistindo Prision Break (Ingles ou Espanhol). Foi uma ótima experiência. Agora, AEROLINEAS ARGENTINAS… esquece.

  • Ótima notícia!!

  • Rafa

    Sempre Guarulhos… Acho que SP já está bem servida de voos para a Argentina. É um absurdo as capitais dos 2 maiores países da América do Sul não serem ligadas por um voo direto

    • Eduardo

      Concordo.

      Em Brasília já houve voo da TAM para Buenos Aires, inicialmente com escala em Porto Alegre e depois transformando-se direto. Mas este voo foi cancelado pela TAM. Provalvemente não foi por falta de demanda.

      • Vitor J. Nunes

        Caros, se não foi problema de demanda o que seria? Um complô contra BSB? Claro que não.

        Nenhuma empresa quer perder dinheiro.

  • Alisson

    Cade a Azul uma hora dessas!!!

  • Gustavo Vilela

    Isso é problema de demanda…..

    • Márcio

      Não concordo, Gustavo!

      É certo que São Paulo possui o maior mercado, mas muito da demanda vem da quase obrigatoriedade de conexão lá. Por exemplo, a maior parte dos passageiros das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste para BsAs fará a conexão em SP exatamente por ter mais vôos, ou seja, não são passageiros de SP. Para os EUA, tem 1 vôo AA p/ MIA e 1 da Delta p/ ATL, ambos de 757. Pouca demanda? Não! A maioria voa com conexão em GRU, GIG ou nas promoções da Copa e da Taca.

      É incrível ver companhias estrangeiras como Copa, Pluna, AA e TAP aproveitando um filão pouco explorado pelas cias brasileiras. Todas operam em pelo menos 6 cidades no país. Por que a TAM e a Gol não oferece vôos diretos de vários lugares, como BSB, REC, CWB, para BsAs ou Miami, que são os 2 principais destinos para o exterior? Brasília só possui 1 vôo direto para a Europa (TAP).

      Resumindo, o problema não é demanda! Talvez falta de visão, sei lá…

      • Mauro

        Concordo, acho que realmente deve haver mais alternativas. Temos um bom exemplo disso dentro de São Paulo, o pessoal que mora no interior não precisa ir até GRU para ir à Europa e os voos TAP que saem de Viracopos tem em média 90% de ocupação.

      • Nilson

        Porque a Pluna, por exemplo, oferece vôos de diversas capitais brasileiras para Montevidéu, que é seu hub.

        Mas a maior parte dos passageiros não tem destino final MVD mas sim conexões para Buenos Aires, Santiago, etc.

        Se criassem vôos da Gol de todas as maiores capitais do país para Montevidéu, iria chegar lá e ir pra onde, uma vez que elas não teriam as conexões para outros destinos?

        Toda empresa aérea leva vôos para o seu hub – e o hub das nacionais é Guarulhos. Se a Gol resolver criar um outro hub (no Caribe, por exemplo, como se tem especulado), certamente existirão vôos de boa parte das capitais para lá Sou de BH e gostaria que existissem mais vôos diretos aqui de Confins, mas é fácil entender o porque de não existirem.

  • Lucas

    Mais uma opção.. Muito bom!

  • Rafael Carvalho

    Mais uma boa opção, quem sabe com bons preços? Abs

  • Rodrigoclt

    kkkkk

  • William Boscardini

    Fiz Buenos Aires (Aeroparque) – Puerto Iguazu de Austral estes dias e a impressão que tive foi ótima. Na verdade havia comprado o trecho da Aerolineas Argentinas e nem sabia da existência da Austral, mas me surpreendeu positivamente: aeronaves muito mais novas que a Aerolineas, com telas individuais com conteúdo diversificado e em inglês, espanhol e português. Deram um fone de ouvido melhor que da TAM também e lanchinho razoável (sanduíche frio + barra de cereal + bebida).

    A parte ruim fica por conta do atraso de 2 horas no voo em questão e a equipe de solo somente dizia que estava tudo atrasado mas que iriam anunciar quando chegasse a hora, o que de fato fizeram.

  • André

    Alguém já voou Rio x Buenos Aires de Emirates?

    Fui tentar comprar uma passagem hoje e fiquei com dúvidas quanto ao documento que pode ser usado para embarcar ( no site eles só sitam o passaporte)e quanto ao preenchimento do nome dos passageiros… somente o primeiro nome e o último sobrenome bastam?

    • André

      *citam

    • Lucas

      Vá tranquilo, só o RG basta

      • beto

        complementando: RG com MENOS de 10 anos já passados desde a data de emissão.

      • Luiz Medeiros

        Não é bem assim! Em recente viagem ao Uruguai, tentei apresentar meu documento nacional, que é a carteira do Detran com o registro emitido pelo antigo Instituto Felix Pacheco do Rio de Janeiro. Não aceitaram. Eu tinha a carteira antiga, emitida pelo próprio instituto, mas de coloração amarela e verde, e novamente implicaram, dizendo que a carteira brasileira prevista no acordo é só verde, como de fato há entre alguns. Se eu não tivesse levado o passaporte, ficaria na imigração. Com tantas renovações de documentos no Brasil, já é hora do MRE renovar estes acordos, ampliando o leque de documentos previstos.

        • Raphael

          A CNH é a carteira NACIONAL de habitação. Evidente que não vale como documento em outro país.

    • Luiz Medeiros

      A Emirates certamente não está atenta ao acordo para uso da cédula de identidade. O primeiro e o último nome bastam para a reserva de passagem, mas no formulário de imigração deve-se preencher o nome completo, de acordo com o que estiver registrado no documento.

  • beto

    acho que a resposta é mais simples. BSB não é "hub" principal de nenhuma companhia, então fica limitada a oferta de vôos sem escalas saindo de lá.

    a aviação há algum tempo é baseada no sistema de "hubs", onde as companhias jogam os passageiros todos em alguns aeroportos e dali eles pegam conexões para seus destinos finais. deve funcionar, caso contrário não seria adotado pela grande maioria, certo?

    a Copa, TAP, AA, Pluna colocam voos para várias cidades brasileiras porque jogam os passageiros todos no Panamá, Lisboa, Dallas/Chicago/Miami, ou Montevideo, e dali se parte para as conexões. Ou alguém acha que o monte de gente voando para Panamá, Dubai, Lisboa, Dallas etc tem essas cidades como destino final?

    As brasileiras tem que fazer o mesmo. Mas BSB, não é o "hub" de nenhuma.

    • Márcio

      Entendo se ponto de vista, mas discordo em parte. BSB é hub secundário da TAM e da Gol, sim! É só ver a oferta de vôos nacionais, até para destinos que não possuem vôos diretos de GRU, como por exemplo Porto Velho. O pátio de BSB fica lotado no início da noite, várias vezes temos que aguardar na taxiway pq não há vagas… rsrsrs. Isto prova que BSB é hub secundário, como o Rio também é!

      E sobre hubs, o principal da AA é Dallas, Miami é secundário. Temos vôos de SP e Rio p/ Dallas, e concordo que neste caso não há demanda p/ Brasília – Dallas. Mas existe sim demanda, e muita, para Brasília – Miami. Então, se a AA pode ligar seu hub secundário para várias cidades, pq as nacionais tb não podem?

      Quer ver exemplo da falta de visão que eu falo? Concordo sobre os exemplos da Pluna, da Copa, etc, que usam seus hubs para conexões. Mas e BsAs? É o 1º ou 2º destino final mais procurado por brasileiros! O Nilson falou "Se criassem vôos da Gol de todas as maiores capitais do país para Montevidéu, iria chegar lá e ir pra onde, uma vez que elas não teriam as conexões para outros destinos?". Não estou falando de conexões, mas sim de vôos diretos para destino final, e temos MUITA demanda para BSB-EZE, CWB-EZE, BSB-MIA…

      E devemos lembrar que Portugal, Panamá, Uruguai, etc., são países pequenos, cujas maiores cidades não ficariam entre as 10 maiores do Brasil, e não possuem muitas companhias como os EUA. Assim, é claro que só possuem um hub cada! Pensemos o inverso, quantas cidades americanas possuem vôos diretos para GRU feito por companhias americanas? Várias! Então por que não podemos ter várias cidades brasileiras com vôos diretos para MIA e EZE operados por companhias brasileiras? É a mesma lógica!

  • Danillo Magalh&atild

    Eles querem começar a nova rota já dia 22… já começaram a vender as passagens? Acho que está muito em cima, uma vez que ainda nem houve a autorização da ANAC.

  • Feliciano Martins

    Quanto mais concorrência melhor! Valeu MD!

  • Adriano

    Se não me engano, o Brasil atingiu a quantidade limite de voos daqui pra Argentina (já que não temos o acordo de "open skies" – o mesmo que está sendo implantado gradualmente com os EUA e Europa) e a TAM preferiu transferir a frequência para SP, concentrando as conexões de todo o Brasil lá.

    Certa vez, conversando com um executivo da TAM, me foi explicado que a saída de SP é mais vantajosa porque nos períodos de grande demanda é mais fácil substituir os A320 por aviões maiores (os A330) para fazer os voos. Imagine: um A330 sai de SP, vai pra BSB, vai pra BUE, volta pra BSB e depois vai pra SP…

  • Igor – Poa

    Verdade, foi demanda.Logo porque cancelariam os vôos?

    Já aqui em Porto Alegre há vários vôos para Buenos Aires e todos lotados! Ou seja demanda forever!

  • beto

    Luiz, não sei como fica no caso do RJ, onde me parece que hoje em dia o próprio Detran emite os "RGs" (cédula de identidade). Me corrija se estiver errado sobre isso. Lembro que o antigo "RG" no Rio de Janeiro era amarelo, mas esses tem mais de 10 anos e talvez por isso tenha sido rejeitado?

    Pois em SP há duas coisas distintas… uma é o RG (carteira de identidade), emitido pela Secretaria de Segurança Pública e reconhecido como identificação nos países da América do Sul onde há esse convênio.

    Outra coisa é a carteira de motorista (CNH), emitida pelo Detran, que pode ser usada como identificação APENAS em voos domésticos, mas NÃO vale no exterior (como tb não vale OAB, CREA etc).

    Já vi gente sendo barrada em cruzeiro e voo pra Argentina pq tentou embarcar apenas com carteira do DETRAN.

    No fim, nada melhor que ir com um passaporte com mais de 6 meses de validade restante. Assim não há dúvidas.

    Pra ser sincero, acho que é querer demais que a imigração dos outros países conheça os diferentes formatos de RGs emitidos por cada um dos 26 estados brasileiros (mais o DF). Talvez por isso o oficial tenha exigido a "carteira verde"… Acredito que em muitos países o RG é um documento emitido por um órgão NACIONAL e não ESTADUAL. Assim a PF aqui tem que só reconhecer o "RG" argentino, colombiano etc e não o de cada província/estado/departamento do país.

  • beto

    O Brasil pode ser bem maior que Panamá, Uruguai, etc, mas, em termos de aviação, ainda não dá para comparar com os EUA.

    Apesar de todo o crescimento explosivo nos últimos anos, acho que o número de passageiros transportados no Brasil está perto de uns 80 milhões por ano, enquanto nos EUA são uns 730 milhões.

    É outra ordem de grandeza, que justifica a existência de mais companhias aéreas (e concorrência entre elas), de hubs secundários com volume de tráfego substancial e, consequentemente, mais rotas de voos.

    Não acho que as companhias brasileiras tenham essa falta de visão toda. E, como foi mencionado, há limitação no número de voos entre Brasil e Argentina. Acredito que as cias aéreas resolvam alocar esses voos da forma que sejam melhor aproveitados. O que, infelizmente para quem é de BSB, pode não ser saindo desse aeroporto.

    Quem sabe depois da conclusão definitiva da compra da TAM pela LAN não aparece um outro hub sul-americano, aqui no Brasil mesmo?

  • Max

    Pergunta: aqui em Brasília já estão emitindo apenas aquela carteira de identidade do modelo novo (branca, na horizontal e com chip). Alguém sabe se estão aceitando ela pra entrar nos outros países do Mercosul?

  • Márcio

    Luiz Medeiros,

    Minha identidade é igual a sua, do Detran com o antigo nº do IFP. Viajei sem problemas nos últimos 2 anos p/ Argentina, Chile e Uruguai.

  • Natasha

    Viajo com frequencia entre Buenos Aires e Sao Paulo e fiquei contente com esta notícia! Já viajei pela Austral e gostei. O que me confunde é que para fazer reservas é pelo site da Aerolíneas e os precos nao estao competitivos por enquanto. A pluna tem avioes limpos a precos muito baratos, mas os horários sao pessimos e as cadeiras tamanho infantil. O Aerolineas Argentinas e a TAM sao companhias que estao sempre atrasadas e o servico é medonho. Será que a Austral vai acertar na mosca? É esperar para ver…