Empresas aéreas fundam associação e ameaçam aumentar preços das passagens

Denis Carvalho 22 · agosto · 2012

Avianca, Azul, GOL, TAM e Trip fundaram ontem a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), com o objetivo de representar as companhias em questões relacionadas aos custos e relações com o governo e mercado. A primeira impressão, pelo menos para os passageiros, não foi das melhores. No pomposo evento promovido em Brasília, os presidentes da TAM e da GOL, as duas maiores aéreas brasileiras, afinaram o discurso de que em breve poderão ser “obrigadas” a aumentar o preço das passagens, devido aos grandes prejuízos registrados no último trimestre.

O anúncio não é endereçado, em primeira análise, ao mercado. O interesse é colocar o governo em estado de alerta, a fim de alcançar alguns objetivos, como alterações no cálculo dos custos do querosene de avião, a revisão da política de desvalorização do real em frente ao dólar e a redução carga tributária sobre o setor e até sobre a folha de pagamento. Resta saber até que ponto as companhias estão dispostas a aumentar seus preços e arcar com o prejuízo de voar com aviões mais vazios.

“Não temos nenhuma projeção de curto prazo, mas, se permanecermos nesse patamar elevado de custo de combustível, é uma questão de tempo para vermos uma posição inevitável de aumento de tarifas”, disse Paulo Kakinoff, presidente da GOL. “Persistindo a alta de custos dessa maneira, uma recuperação tarifária poderá acontecer”, concordou Marco Antonio Bologna, da TAM.

Seria preocupante se essa cooperação amistosa das companhias gerasse resultados práticos fora dos holofotes, mas as chances de um aumento elevado das tarifas ou do fim das promoções são pequenos. As companhias sabem que onerar mais os passageiros não é o caminho para voltar a ter lucro, pois a medida pode surtir efeito no curto prazo, mas leva à retração do número de pessoas que viaja o que no futuro apenas agrava sua crise no setor.

Por outro lado, é interessante que as companhias se unam para negociar em conjunto medidas que reduzam seus custos sem aumentar a tarifa, como a redução dos impostos e taxas, por exemplo, além de cobrar uma infra-estrutura mais eficiente nos aeroportos e no sistema como um todo.

Em resumo: não acreditamos que as passagens estejam para subir, já que sempre temos anúncios como este, mas ninguém pode ignorar os grande prejuízos que as companhias registraram e a grande redução na concorrência após a compra da Webjet e da Trip. Vamos acompanhar o desenrolar dessas negociações, torcendo para que as empresas voltem a ter lucro e a oferecer mais promoções e ofertas.

Com informações do Estado de S. Paulo

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe
  • couto

    Espero que consigam diminuir a enorme carga tributária e consigam retornar para o passageiro os custos menores.

    Só assim eu veria com bons olhos essa associação.

  • Pra começar as empresas estão trabalhando no vermelho. O prejuízo parece ser bem grande e os preços dos combustiveis é o maior fator neste que será sem dúvida um caminho sem volta. A solução seria o governo baixar os impostos sobre o querosene, do contrário o passageiro vai mesmo pagar essa conta! alguém têm dúvidas?

  • Daniel Matos

    Absurdo esse tipo de coisa acontecendo com o Brasil sediando eventos de grande porte desde o Pan de 2007. Rio+20, Copa das Confederações, Copa do Mundo, Jogos Olímpicos, tudo com obras para longo prazo e poucas medidas efetivas para o setor. O resultado é esse mesmo: as maiores companhias operando no vermelho e ameaçando aumentar as tarifas.

    Parece que o Governo Brasileiro não consegue enxergar que o crescimento do país depende bastante do setor aéreo.

  • Marcello Sarmento

    Hum… Sinto cheirinho de cartel… Mas concordo com você João, é hora de redução nos impostos sobre o combustível aeronautico.

  • Fábio

    Pra subir preços elas se unem, né!

  • Danillo

    Aumento das passagens significa menos pessoas viajando, ou seja, mais prejuízos para eles. Eles esqueceram que, tirando algumas pessoas que viajam por obrigação, o poder de comprar passagens ou não está nas mãos dos consumidores.

  • João Rodrigue

    Vai ver na Europa o quanto que as companhias pagam de imposto, e vai ver o quanto cobram pela passagem!!!

    Todo mundo sofre com os impostos nesse país… vai ver se o microempresário tem a opção de ficar ameaçando aumentar os preços assim!

    • João Rodrigue

      Vale mencionar também que boa parte do prejuízo deles é por conta da compra de novos aviões ou de fusões, como no caso da Azul-Trip e da Gol-Webjet. Assim que esses custos se pagarem, com o aumento da demanda, os lucros vão voltar a ser astronômicos.

  • FALOU em prejuízo, já vem 10 caras munidos de documentos, querendo ou cobrar do governo, ou ainda pior, DO CONSUMIDOR!!!

    Cadê essa mesma galera, quando as empresas deles dão LUCRO ??!?!

    Pq eles não dividem conosco? Não temos que arcar com as despesas deles? E os lucros, e as passagens em conta?!

    Quando tudo é prejuízo, fica fácil cobrar DOS outros pra que ajudem.. Agora quando a empresa dá lucro, daí ninguém fala nada..

    TSC TSC TSC

  • SARA CARDOSO

    Caso esses aumentos aconteçam, espero que essas cia dê aos seus clientes assistência em caso de atrasos e cancelamento de voos. Porque já aconteceu comigo de ficar horas e horas no aeroporto sem informações e sem qualquer tipo de suporte da Companhia GOL.

    E já presenciei pessoas com esse e outros tipos de problemas nos aeroportos do brasil.

  • Pedro Daniel

    Cara Equipe Melhores Destinos, boa tarde!

    Tenho pensado em uma questão há algum tempo e resolvi compartilhar com vocês para que possam me ajudar a refletir sobre o tema e para que, na medida do possível, possam questionar as empresas aereas e, quem sabe, até mesmo a ANAC.

    Faço constantemente uma analogia da ANAC com a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). A ANTT regula, desde que me entendo por gente, o preço das passagens. Isso significa que viajar de ônibus de um ponto A a um ponto B custa sempre o mesmo preço, não dependendo nunca da data em que compramos a passagem, ou seja, posso comprar com 30 dias de antecedência, ou até com 5 minutos de antecedência que o preço será rigorosamente o mesmo! Isso nos dá a garantia e a liberdade de decidir quando e pra onde viajar, além de facilitar qualquer programação, facilita também qualquer imprevisto. Também desde que me entendo por gente nunca vi uma empresa de viação terrestre (ônibus rodoviários) decretar falência.

    Em contraponto a este exemplo, as empresas aereas do mundo inteiro trabalham com um modelo de negocios que foge ao meu entendimento, já que os preços sobem conforme se aproxima o horário de partida do voo. Isso afugenta muita gente de voar. É claroq ue aquela pessoa que precisa de um voo emergencial pagará muito mais por um voo, mas isso impede que uma pessoa decida ajustar sua agenda para visitar um amigo/familiar a um voo de distancia justamente porque não o pode fazer no repente.

    Ficamos, então, reféns de promoções, prazos, condições. Isso toma tempo e paciência.

    Prefiro eu que não existam as mega promoções tão gritantes que, ao mesmo tempo que nos dão grandes oportunidades, nos fazem perceber o quanto gastamos a mais em tempos normais! Poderiam haver preços regulares. Eu, particularmente, e todos com quem compartilho deste pensamento tem uma opinião em comum: com os preços regulares fixos viajaríamos muito mais do que hoje em dia viajo e veríamos voos mais cheios e companias mais lucrativas consequentemente.

    E aí faço um questionamento: Quantas empresas de ônibus rodoviários já viram em processo de falência? E quantas companias aereas?

    Será que só eu penso assim?

    Abraços e o desejo de muito mais sucesso ao MD!

  • Igor – Poa

    Eles aumentando os preços, apenas quem tem necessidade de voar é que vai mesmo viajar.Porque hoje muita gente voa pela oportunidade dos preços.Um exemplo da Tam e que devia gastar menos milhões em patrocínios de futebol e programa de Tv.Já tem nome só os comerciais bastaríam.Mas gasta horrores em patrocínios desnecessários.

  • @PRDANIEL_

    De acordo… Somente reduzindo a carga tributária é possivel as companhias aéreas reduzirem os prejuizos e não repassarem isso aos clientes. Lendo outros comentários também ressalvo que, às vésperas de Olimpíadas e Copa do Mundo, afastar passageiros com alta nas passagens creio ser um "tiro no pé" nas companhias.

    • Anderson Fláv

      Os preços já foram aumentados. Pelo menos na tarifa de São Paulo (Congonhas) para Uberlândia-MG constatei isso. Na Gol, custava cerca de R$ 120,00 o trecho. Agora não tem por menos de R$ 180,00. Resultado: viajarei menos.

  • MANOEL

    Nós consumidores que vamos pagar a fusao da Trip,Passaredo,Pantanal e Webjet,sem duvida.

    Valeu MD esperamos mais promoçoes.

  • Ana Regia

    Se a gol fugia de prejuízos, que nao comprasse a webjet!

    • Helvio

      Eles não enganam nem os "leigos" (no sentido de consumidor) que frequentam este blog com esses prejuízos maquiados nos balanços, curioso como conseguem enganar a grande mídia e o governo, não?

  • Carlos Wilker

    E alguém realmente acredita nesse prejuízo todo? Acredito sim em manipulação de informações para justificar um aumento de preços. E essa associação em Brasília? Lobby puro e simples, no estilo americano.

    • Thiago Castro

      Se for isso, avisa a CVM e o Ministério Publico!!! Mas, sinceramente, acho que não tem prejú inventado não. Talvez não sejam eficientes, mas fraude é demais né?!

  • THIAGO SSA

    Vão oficializar o cartel?

    É hora de se aproveitar da situação desfavorável e prevista, os bancos sabem fazer bem isso, poderiam chamar um consultor.

    É lamentável a forma que é conduzida os SERVIÇOS PÚBLICOS, isso se trata de uma CONCESSÃO, atividade que deveria der controlado/regulado pelo estado.

    A empresas tratam como se estivessem vendendo roupa e sapato, e a ANAC nada faz.

    • THIAGO SSA

      Caramba, relevem os erros de grafia, na revolta nem revisei. rsrsrs.

  • Pedro Daniel, desculpe mas seu raciocínio, apesar de ter lógica, está muito longe da realidade. Em primeiro lugar, o problema não é o a forma como o sistema aéreo é regulamentado, mas sim como o sistema terrestre é regulamentado. Sim, porque em nome dessa regularidade de preços, o que temos são cartéis que cobram caríssimo pelas passagens terrestres! Você não acha que tem nada de errado em uma passagem interestadual de avião ser mais barata que a de ônibus? Isso só é possível porque temos um sistema que é cruel com os passageiros do transporte terrestre aliado a uma grande massa de brasileiros que se sujeitam a viagens massacrantes por preços muito altos, pelo simples fato de desconhecerem opções aéreas. Minha família é um exemplo: De São Paulo a Ipatinga, terra dos meus pais, uma passagem pela Trip, sem nenhuma promoção, sai por R$ 159. Na Itapemirim sai por R$122! Praticamente o mesmo preço para você fazer um percurso em apenas 1h30 com serviço de bordo e entretenimento ou em 13h30 com no máximo um copo de água! Mesmo assim, os ônibus estão cheios, pois a maioria das pessoas não lê, não pesquisa, não se informa, não compara. Sempre viajou de ônibus e continua viajando. Agora, se sua sugestão fosse seguida, sabe o que aconteceria? A passagem de avião seria tabelada, mas custaria sempre a tarifa cheia ou algo próximo, ou seja, mais de R$ 500 no trecho de São Paulo a Ipatinga, já que todo o custo teria que ser nivelado igualmente. E ai, ainda acha que viajaríamos mais?

    Temos um post bacana sobre isso: http://www.melhoresdestinos.com.br/passagens-aere

    • Pedro Daniel

      Entendo perfeitamento seu posicionamento.

      Mas ainda assim acho que eu viajaria mais, porque nem sempre, ou quase nunca, eu posso me programar com mais de 15 dias de antecedência para uma viagem de avião.

      Estas pessoas que pagar R$ 122,00 de ônibus comprar a passagem já na rodoviária,a ntes de embarcarem. Se elas forem ao balcão do aeroporto pagariam quanto?

      Infelizmente, no Brasil muita gente ainda desconhece as compras online ou, pior, simplesmente não confiam.

      Eu já cheguei a pagar R$ 236,00 no trecho ida+volta Recife-Goiânia, mas já encontrei preços de mais de R$ 2.000,00 no mesmo trecho! O preço regular é de R$ 600,00 e, sinceramente, por este preço eu viajaria bem mais! Até porque nas promocionais são tantas regras de reembolso que raramente podemos sonhar em alterar ou ter qualquer maleabilidade!

      Mas entendo seu ponto de vista. Cada usuário tem sua necessidade! E não acredito que esta minha opinião valha de alguma coisa para estas companhias!! 😉

    • Pedro Daniel

      A propósito do link explicando as regras tarifárias, muito bom por sinal, aproveito aquele exemplo: eu voaria muito mais pelo preço médio de R$ 136,60, desde que eu pudesse decidir a qualquer momento!

      Grande abraço

      • Gilberto Souza

        AAH VAH !!!!

  • Adriano

    Esses presidentes só podem estar de sacanagem. Que aumentem então o preço das passagens. Como disse anteriormente um leitor, passagem mais alta é igual a menos passageiros e consequentemente mais prejuízo, estão forçando a barra e o governo não pode ceder. Bradesco, Ricardo Eletro, Casas Bahia e a própria GOl são exemplo de empresas que apostaram em quantidade(povão)e se deram bem. A GOL só afundou pq abandonou seu propósito e passou a ter passagens mais cara que a TAM. Isso é armadilha de empresários não caiam nessa.

  • Fabio

    Tudo tem os dois lados da moeda: As empresas se unindo pode ser sim o início de um cartel, o que seria uma pena para nós usuários. O outro lado, li há algum tempo atrás que A Petrobrás, monopolizadora da querosene de aviação, calcula TODA a querosene vendida para as Empresas Aéreas como se fosse importada, ou seja, com tributos e impostos bem mais altos do que o realmente devido, já que a produção nacional é superavitária. Resumindo, ao meu ver é sim o Governo que tem que parar de achar que todo mundo é trouxa!!!

    • Brum

      Tudo culpa dos corruPTos!

    • William B

      Gente, existe associação para tudo… até de blog de turismo tem associação, vários aliás, haha!

      Não é nenhum absurdo que as empresas se juntem para reivindicar junto ao governo.

  • José Ricardo

    Marcello

    Sem dúvidas. Podem até enfeitar o bicho, mas sempre vai ter cara de cartel.

    A questão é que existe uma necessidade de rever algumas coisas: custos com combustível, taxas, eficiência dos aeroportos, etc., que são itens que o governo consegue ter gestão.

  • Daniel Matos

    Bem-vindo ao Capitalismo, cara. rs

  • Rafael

    Se os preços no Brasil aumentarem, América do Norte e Europa aí vou eu

  • Brum

    Estão fazendo lobby p/ aumentar os pços e, como sempre, nós consumidores vms pagar a conta. Uma coisa é certa: se aumentarem mesmo as tarifas, correm sério risco de terem mais prejuízo já q muitas pessoas vão deixar de viajar (ou viajarão menos) por conta da redução de promoções e ofertas.

    Mas o governo tbm tem culpa nisso: a carga tributária no país é massacrante e o setor aéreo não ficaria de fora. Reduzir o IPI de fogão e geladeira por x meses é moleza; quero ver colocar em prática um verdadeiro ajuste no sistema tributário que reduza os custos de produção/operação das empresas e seja justo para o contribuinte.

  • titobosco

    O custo Brasil está em todas as areas. Desde o carrinho de mão até na operação dos aviões. Estamos mesmo na via crucis, carregando este país nas costas para que uma minoria possa continuar se abastecendo dos lucros crescente maquiados por prejuízos sazonais.

    Vá comprar passagem em alta temporada pra você ver se consegue… O crescimento é exponencial.

  • T3

    Quem entende um mínimo que seja de Análise Fundamentalista sabe o quanto padecem as empresas do setor aéreo.

    Tam: http://fundamentus.com.br/graficos.php?papel=TAMM

    Gol: http://fundamentus.com.br/graficos.php?papel=GOLL

    Não adianta tapar o sol com a peneira: ou elas tentam de alguma maneira minimizar custos ou em algum momento irão falir.

    E para ter certeza disso, basta olhar para o histórico da aviação nacional.

    • Flávio

      Os gráficos estão os mesmos pras duas companhias.

  • Daniel

    O ideal seria a diminuição da carga tributária, mas o governo não vai querer diminuir a fatia dele. É melhor onerar o passageiro, ele que pague a conta…

    • Rogerio

      Vai onerar alguns e outros vão parar de viajar ou viajar menos, conseqüentemente o retorno vai ser o mesmo ou pouco maior q o atual.

  • Lumis

    CARTEL!!!

  • Pedro

    Acho que você não entende de economia e não deve lembrar do histórico recente de falências das empresas aéreas. Em parte o responsável foi o governo tabelando os preços. isso sempre deu e sempre vai dar errado. Obviamente a empresa utiliza a tarifa para maximizar seus lucros, se um preço é fixado e aquela tarifa não vai dar o retorno pra empresa ela vai falir. A aviação civil é um mercado das mais difíceis modelagens do mercado, por isso tantos quebram… Elas estão sujeitas à variação cambial, preço de petróleo, pessoal, riscos altíssimos, acidentes aéreos, indenizações e etc etc etc… se elas tem dificuldades de sobreviver por si só, imagina com o governo dando uma "mãozinha", que não cuida nem do próprio umbigo… portanto, essa sua visão é completamente equivocada.

  • rafael araujo

    Seria uma pena realmente esse aumento, pois menos pessoas comprando passagens, é menos dinheiro no bolso deles, que logica isso têm.

  • Débora

    É claro que isso (aumento de preços) significa que as empresas aéreas, que vivem às custas da classe econômica (espremidíssima na frente e dos lados, desconfortável no último grau), vão melhorar seus aviões e oferecer cadeiras mais confortáveis e com bastante mais espaço, não é verdade?

    Sem contar que o serviço de bordo, que já é incluído nos custos e cobrado à parte em muitas empresas, também será gratuito, não?

    E não podemos esquecer de nossas pobres malas, que sempre se arrebentam, em maior ou menor grau, em cada voo… Tenho certeza de que terão melhor tratamento e não teremos dificuldade para que sejam reparadas pelas cias. aéreas, inteiramente às suas expensas (ex.: sem que vc tenha que levar suas malas danificadas ao aeroporto, que sempre é muito próximo da cidade [e depois ter que buscá-las], para que a cia. mande consertar, como é feito pela webjet).

    É muito 'interessante' a mania de jogar a culpa dos péssimos serviços prestados pelas empresas de todo tipo no país em cima do governo…

    E para completar também teremos outro cartel de plantão no Brasil, como dito pelo outro leitor. Já temos tão poucos, não?

    E o pior, muita gente acredita nessa encenação toda…

  • Christian

    Preços mais altos não vão fazer com que os aviões fiquem menos vazios.

    A irlandesa Ryanair sempre oferece voos pelo preço de uma passagem (dentro do município!) de onibus, sempre lota os aviões e nao para de crescer…

  • William B

    Meu camarada, não se esqueça de que a lucratividade é o princípio básico de qualquer empresa. Mas se você é contra, conte pra gente como você trabalha o mês inteiro e no final do mês distribui todo o seu dinheiro para os necessitados… talvez inspire mais gente a fazer o mesmo!

  • Ana Recalde

    O meu medo nessa notícia é a de uma formação de cartel.

    Onde elas combinem entre si um preço e não deixem o mercado se regular. Isso seria péssimo para o mercado e para nós, consumidores.

  • Anderson Fláv

    Mais uma vez as companhias aéreas se unem. Já vi esse filme antes. Senão vejam essa notícia de 2001 (o PT ainda nem tinha entrado no governo): http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91

    13/11/2001 – 08h03

    Empresas aéreas pedem isenção de impostos e taxas

    PEDRO SOARES

    da Folha de S.Paulo, no Rio

    As empresas aéreas, que afirmam não reivindicar socorro financeiro do governo para superar a atual crise, apresentaram à Casa Civil, no mês passado, uma lista de reivindicações que inclui a isenção ou redução de praticamente todos os impostos e taxas aeroportuárias.

    Em documento enviado à Casa Civil da Presidência, ao qual a Folha de S.Paulo teve acesso, as companhias pedem a extinção do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o transporte aéreo. Também querem a redução da alíquota desse tributo recolhido sobre os combustíveis _hoje, de 25%.

    Pleiteiam ainda o fim do recolhimento do PIS/Cofins (contribuições sociais) sobre os combustíveis e do Imposto de Renda sobre remessas para o exterior para pagamento de leasing (arrendamento) de aeronaves. Esses dois impostos são federais.

    Somente em tributos federais, as companhias aéreas recolheram R$ 271 milhões de janeiro a outubro deste ano, segundo a Receita Federal.

    O presidente do Snea (Sindicato Nacional das Empresas Aéreas) e da Rio Sul, George Ermakoff, afirmou que a carga tributária é "muito pesada, inviabilizando a competição com as empresas estrangeiras".

    Para ele, a aviação civil é um serviço federal e, por isso, não deveria recolher tributos estaduais, como o ICMS. "É assim nos Estados Unidos."

    No caso do PIS/Cofins, Ermakoff afirmou que existe uma bitributação, pois o imposto é recolhido tanto na refinaria como na distribuidora.

    O ministro Pedro Parente, da Casa Civil, recebeu as reivindicações e as encaminhou ao ministro da Defesa, Geraldo Quintão, que ainda analisa o assunto.

    Além dos impostos, as empresas querem deixar de pagar o adicional de 50% recolhido sobre as tarifas aeroportuárias, a Ataero, criado para financiar obras de infra-estrutura do setor.

    Ermakoff afirma que a Infraero (companhia estatal que administra os aeroportos) recolhe o adicional para construir aeroportos, que rendem a ela dinheiro com o aluguel de espaços e a venda de serviços.

    O presidente da Infraero, Fernando Perrone, disse que a empresa fica com menos da metade dos recursos do Ataero. Afirmou que o restante vai para a Aeronáutica e é utilizado para manter pequenos aeroportos _não administrados pela Infraero_ e na segurança dos vôos.

    As empresas afirmam que o Ataero encarece as passagens, uma vez que é repassado aos consumidores. Perrone rebate, dizendo que, nos principais trechos aéreos do país, o repasse é de somente R$ 4 a R$ 7.

    Para o presidente da Infraero, é justo que o usuário do sistema aéreo pague para mantê-lo e ampliá-lo.

    As companhias também querem a suspensão por três meses do pagamento das taxas aeroportuárias à Infraero.

    Perrone classificou o pleito das empresas de "inaceitável". Disse que as companhias aéreas iriam "fazer caixa e se financiar à custa da Infraero", pois não deixariam de cobrar dos passageiros as taxas e teriam os serviços aeroportuários cobrados.

  • Fabio

    Cartel não é crime?

  • JONATAS

    A atual política de preços das aéreas me agradam. Tenho a facilidade de viajar de acordo com as promoções, tá barato? tô indo. Ônibus do sul ao norte, nordeste nem de graça.

  • Rogerio

    Enxergar eles enxergam, porém o bolso deles cabe muita grana e não sobra para os investimentos e nem para corte na carga tributária.

  • Rogerio

    Consumo de um Boing 737-800:

    1 Hora de voo, consome 2970 litros de QAV m média

    1 Litro de QAV é R$ 2,24

    Logo, uma viagem de 1 hora tem um custo de R$ 6652,8

    Quantidade de passageiros no 737-800 = 182

    Se fizermos uma continha bem mais ou menos em uma viagem de uma hora, supondo q o avião está está com lotação média de 75% e com passagem média paga por passageiro de 120 reais, teremos o seguinte:

    Passageiros: 182 – 25%

    Média de lotação nos voos 75% = 182 passageis – 25% = 136,5 passageiros por voo

    Valor médio unitário pago por passagem: R$ 120,00

    Total valor pago em passagens: 136,5 * R$120,00 = R$16380

    Preço QAV: R$2,24

    Consumo em 1 hora de voo: 2970 litros

    Custo do combustível na viagem = 2970 * 2,24 = 6652,8

    Lucro da compainha antes dos impostos, taxas, manutenção da aeronave, pagamento de funcionários, etc = R$16380 – R$6652 = R$ 9728

    Não sei quanto paga em impostos uma empressa aérea e muito menos os custos com pessoal e taxas, se alguem tiver conhecimento pode completar o calculo ai.

    É uma conta bem por alto rss..

  • antonio alves da sil

    Aumentem as tarifas! Viajarei menos, irei de carro, ônibus ou a pé! Outro dia peguei um vôo da Trip Curitiba-Rio com meia-dúzia de passageiros! Poderia estar lotado se os preços fossem menores…

  • Eder

    Além da carga tarifária, acho que o grande problema do Brasil é a falta de infra-estrutura, que acarreta altos custos às empresas aéreas. Comparando o aumento de passageiros em 2012 em relação a 2011, é impressionante como mesmo assim as empresas ficam no vermelho. Também não me parece um problema de gestão, já que a maioria seguem modelos de suas empresas-mães.

  • tatiana

    também estou sentindo cheiro de cartel…só espero que os órgãos de defesa dos consumidores, bem como os próprios consumidores, fiquem de olhos bem abertos e boicotem qq atitude desleal…

  • Carlos Wilker

    "Estamos mesmo na via crucis, carregando este país nas costas para que uma minoria possa continuar se abastecendo dos lucros crescente maquiados por prejuízos sazonais." FALOU TUDO.

  • Carlos Wilker

    Por que lá fora as empresas conseguem manter preços baixos? Duas horas de vôo entre Bilbao e Madrid por 11 euros, e aqui, com preços bem mais altos e o sucateamento e equipamentos, as empresas ainda têm prejuízo! Há alguma coisa errada aí…

    • Pedro

      Talvez por que eles tenham uma moeda mais forte que o real já justifica isso. se você der uma olhada nos balanços da empresas perceberá q elas tiveram lucro quando o real estava valorizado.

  • Carlos Wilker

    Repetindo o comentário anterior: Por que lá fora as empresas conseguem manter preços baixos? Duas horas de vôo entre Bilbao e Madrid por 11 euros, e aqui, com preços bem mais altos e o sucateamento e equipamentos, as empresas ainda têm prejuízo! Há alguma coisa errada aí…

    • Pedro

      Essa análise sua é muito simplista. Está comparando laranjas com bananas.

  • Edson Schnaider

    Iremos voltar no tempo que só os ricos viajavam de avião.

    E isto era um enorme status.

    • Leo

      Edson,Realmente!!! concordo com vc!!!!

      Pelo jeito que vão as coisas!!!!

    • Bartira

      O lucro dessas empresas é absurdo. Na Europa você consegue comprar vôos entre países por 10 ou 15 euros, algo em torno de 25 reais. Ainda que o lucro dessas empresas tenha diminuído com o aumento dos preços do combustível etc, isso não significa prejuízo significativo, apenas deixaram de lucrar um pouco menos. Ridículo. Tomara que a ANAC faça alguma coisa pois num Estado intervencionista, é inconcebível que um grupinho econômico imponha seu preço ainda mais como uma estrutura e atendimentos da pior qualidade sem sofrer reprimenda.

      R E V O L T A N T E

  • Fabio

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…me desculpe Sara; tive que rir muito!ELES COBRAM OQ QUEREM E DAO ROSQUINHA MABEL COM AGUA PARA OS CLIENTES…IMAGINE A ASSISTENCIA…NEM COCHONETE NO SAGUAO

    • Suzan

      É mesmo "MABEL" ?

  • Rodrigo

    Essa ideia de 'dá todo seu dinheiro' é uma babaquice, até porque ele falou de dividir parte do lucro, não todo o capital da empresa.

    O cara só deu uma ideia que poderia cativar os consumidores, mas que raramente uma empresa faz. Se uma empresa anuncia "estamos baixando o preço de nossos produção em 5%, pois tivemos uma economia devido a blablabla…" eu compraria para sempre dela.

  • Pedro

    O consumo não varia com o peso e a quantidade de pessoas? Li um artigo em um blog, para um vôo com 100 pessoas, mais ou menos 40 passageiros são para combustível, 20 para pessoal, 10 para impostos… e mais outras coisas… no fim das contas sobrava 1 passageiro de lucro para as empresas…

  • beto

    a situação tá ruim pras cias aéreas em quase todo mundo. volta e meia aparece uma notícia como essa, agora na Austrália, onde a Qantas passou de lucro no ano passado pra prejuízo esse ano e já cancelou a encomenda de aviões novos (se ela esperasse que a situação fosse só temporariamente ruim, ela não cancelaria):

    http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2

  • Jean Góes

    Amigos, por favor não apoiem essas companhias aéreas culpando o governo ou a carga tributária. Pra mim está bem claro que os maiores corruptos são as companhias.

    Não posso acreditar nesse prejuízo absurdo em um país com distâncias continentais, onde os preços das passagens são abusivos e somente 2 companhias detêm quase 90% do mercado, além da crescente demanda por voos e aeroportos sobrecarregados!

    Pra mim isso já cheirava a maquiagem de dados (nunca vi uma companhia em vermelho na ordem de 1 bilhão comprar outra) e agora a gente pode ver o que eles querem com isso!

  • THIAGO SSA

    Comparar ANAC com a ANTT para quê? São a mesma coisa, as duas são inoperantes.

    E quanto a modalidade tarifária do transporte terrestre, está já está muito ultrapassada, e sabe porque as tarifas não ascilam? Porque o regime é de MONOPÓLIO, antes eram caríssimas, ou pagava ou não viajava, após a popularização do transporte aéreo tiveram que reduzir suas tarifas para preços justos, e agora choram por não mais lucrarem da forma exorbitante de antigamento. O setor de transportes terrestres já foi uma mina de ouro por muitos anos, extorquindo os usuários com um mal serviço a preços absurdos, tudo sob o manto da ANTT.

    Quem encontrar uma licitação de concessão de serviço de transporte interestadual, exigência da Constituição Federal desde 1988, vai ganhar uma passagem pro caribe.

    kkkkkkkkkkk

    E viva as agências DESreguladoras.

  • THIAGO SSA

    Comparar ANAC com a ANTT para quê? São a mesma coisa, as duas são inoperantes.

    E quanto a modalidade tarifária do transporte terrestre, está já está muito ultrapassada, e sabe porque as tarifas não ascilam? Porque o regime é de MONOPÓLIO, antes eram caríssimas, ou pagava ou não viajava, após a popularização do transporte aéreo tiveram que reduzir suas tarifas para preços justos, e agora choram por não mais lucrarem da forma exorbitante de antigamento. O setor de transportes terrestres já foi uma mina de ouro por muitos anos, extorquindo os usuários com um mal serviço a preços absurdos, tudo sob o manto da ANTT.

    Quem encontrar uma licitação de concessão de serviço de transporte interestadual, exigência da Constituição Federal desde 1988, vai ganhar uma passagem pro caribe.

    kkkkkkkkkkkkk

    E viva as agências DESreguladoras.

  • Márcio

    O Pedro está certíssimo. O início do fim de Varig, Vasp e Transbrasil foi congelamento de preço das passagens, por meio de planos econômicos. O assunto é tão sério que as massas falidas dessas empresas possuem processos no STF cobrando do Governo restituições bilionárias (e a AGU habilidosamente consegue empurrar tudo com a barriga).

    A Tam e a Gol cresceram/surgiram em uma época em que o Governo não se metia mais nisso, e alcançaram seus objetivos. São as 2 maiores companhias do país, e as outroras maiores já não existem. Quem não garante que daqui a 10 anos o mercado seja monopolizado pela Azul, por exemplo? Há 15 anos a Gol não existia e a Tam era uma regional tentando crescer nacionalmente com os Fokker 100…

  • Adelson

    A escala é diferente.

    Que abram o espaço aéreo para companhias internacionais operarem voos domésticos.

    Assim, todos os consumidores ganhariam, pois geraria mais empregos e acabava com o duopólio e diversificava as opções.

    Agora, todos os aeroportos brasileiros deveriam sofrer expansão pelo menos 5 vezes mais o tamanho atual de cada aeroporto.

    Fica a dica para os governantes.

  • Daniel Matos

    É. Quem vai ganhar com isso são as empresas estrangeiras que operam aqui. Aliás, as americanas já perceberam como brasileiro está disposto a despejar rios de dolares na terra deles e tem aumentado e facilitado cada vez mais as condições para irmos pra lá. Inclusive essa proposta que está quase saindo do papel do fim da exigência do visto. American, Delta, Continental, USAir, etc. Tudo fazendo promoções constantes e aumentando a malha de voos do Brasil pra la. Enquanto isso a gente comemora quando a careira TAM consegue um mísero voo direto a mais pra la. E torcendo para que as empresas brasileiras não precisem aumentar as tarifas.

  • Thiago Richter

    Muitas pessoas estão dizendo que 'podem' aumentar os preços, porém gostaria de relatar que no trecho que uso JÁ aumentaram.

    Após a fusão da Azul+Trip as passagens da Trip foram elevadas absurdamente, deve ter subido mais de 100%.

    Nesta semana, após as informações de prejuízo e etc., as passagens da Gol subiram aprox. 90%!!

    Estes foram os aumentos para o trecho Curitiba-Campinas!

    Se os preços se mantiverem neste patamar, perderão mais um cliente para o carro/ônibus…

  • Lucas

    Atenção, Ministério Público, o cheiro de cartelização no setor aéreo está ficando forte…

  • lais

    eles se enrolaram com a compra da trip/webjet ! Eu ainda não sei como o CADE autorizou a compra dessas empresas, já que TAM/GOL tem 90%do mercado .

  • Victor

    Palhaçada esse aumento de tarifas!!!

    Eu faço o trecho SP(CGH)- FLN(Florianópolis), ao menos 2 vezes por mês.

    O preço da GOL e TAM subiu mais de 70% no trecho que eu realizava indo sexta a noite e voltando segunda de manhazinha.

    É uma vergonha com o consumidor…

    O governo tem que agir de alguma forma. A oscilação do dólar e aumento do preço do petróleo, impactam a empresa, é fato.

    Porém, nós não podemos ser punidos por esses movimentos do setor.

    o Brasil é uma piada…

    Acabei de puxar o preço Barcelona-Roma… US$ 21 o preço mais baixo e US$ 78 o preço mais elevado!

    Alguém me explica como pode isso??????