Argentina anuncia fim do piso tarifário e deve ter passagens mais baratas

Leila Aisen 4 · julho · 2018

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Boa notícia para quem está planejando viajar pela Argentina! O ministro dos Transportes argentino, Guillermo Dietrich, anunciou que a partir de 15 de agosto os voos locais não terão mais um piso tarifário, desde que sejam comprados com pelo menos 1 mês de antecedência, para que as empresas possam estabelecer o preço que desejam e competir livremente. Com isso, as novas low costs como FlyBondi planejam oferecer descontos de até 70% nas passagens entre cidades argentinas. A mudança, contudo, não afeta os voos internacionais.

Até o final de 2015, o mercado aéreo argentino tinha uma banda mínima e máxima de preço que eram reguladas pelo governo. Dentro desse intervalo, as companhias poderiam cobrar o que quisessem. Em janeiro de 2016, a banda máxima foi removida, mas a mínima permaneceu. A novidade é que agora quem vender as passagens com pelo menos um mês de antecedência poderá oferecê-las pelo preço que quiser, uma possibilidade que até agora era proibida. Nos últimos 30 dias da compra, o mínimo será aplicado como antes.

Imagine voar de Buenos Aires para Bariloche por apenas ARS $ 1! Parece um sonho, mas pode acontecer. Com a liberdade tarifária, a Argentina passará a ter o mesmo sistema adotado por quase todos os países do mundo, incluindo o Brasil, que eliminou o valor mínimo em 2001, o que possibilitou uma sensível queda nos preços dos voos desde então.

Passagens mais baratas

Várias empresas aéreas ficaram satisfeitas e agora precisam cumprir sua promessa de oferecer passagens baratas –  embora não sejam obrigadas a isso.

A empresa norueguesa Norwegian havia levantado a questão com o governo em repetidas ocasiões. A companhia aérea considerou a decisão do governo “acertada”. “É uma excelente notícia para todos, que contribuirá decisivamente para impulsionar o desenvolvimento do setor aéreo comercial na Argentina e, como resultado, muitos mais argentinos começarão a viajar e o turismo doméstico será revitalizado”, assegurou Ole Christian Melhus, CEO da companhia aérea que começaria a vender passagens em agosto e voar em outubro.

Melhus acrescentou que “a experiência na Europa indica que mesmo as companhias aéreas tradicionais são favorecidas e aumentam a venda de bilhetes pela entrada de companhias aéreas de baixo custo, uma vez que ajudam a estimular o mercado”.

Avião da Flybondi, companhia low cost a Argentina

Por sua parte, Julian Cook, CEO da Flybondi, a primeira e até agora única low cost que opera na Argentina, disse: “A remoção deste regulamento é uma notícia muito boa porque nos últimos anos o valor elevado das tarifas para viajar de avião transformaram este meio de transporte em uma opção viável apenas para um grupo muito pequeno da sociedade”.

O executivo disse ainda que a desregulamentação do mercado será sempre boa para os clientes: “Mais concorrência cria mais opções e melhores preços. Esta decisão permitirá à Flybondi oferecer passagens a preços acessíveis durante todo o ano e o preço mais baixo do mercado quando elas forem compradas com antecedência, já que para os modelos de baixo custo quanto mais cedo você compra, menos paga”.

Apesar de não ser considerado de baixo custo, a Avianca também falou sobre o assunto. “Isso vai estimular o mercado, agora será possível fazer promoções”, disse Hugo Díaz, gerente comercial da empresa. No entanto, o executivo acredita que preços muito agressivos são mais marketing do que ofertas reais. “Em todo o mundo, as companhias aéreas comunicam promoções muito baratas para atrair clientes, mas a realidade é que a disponibilidade desses assentos é mínima”, explicou.

Estamos ansiosos para que chegue 15 de agosto e ver com que preços incríveis as companhias aéreas nos surpreenderão para nos seduzir a voar por toda a Argentina!

Com informações do La Nación e Infobae.

Autor

Leila Aisen - Editora - Argentina