American Airlines anuncia cancelamento de rotas e grande redução de voos para o Brasil!

João Goldmeier 27 · março · 2018

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

A American Airlines anunciou hoje uma grande mudança nas suas rotas para a América latina, com novos voos, alterações de frequência e também cancelamentos. E o Brasil levou a pior, com um corte de duas rotas e a redução de voos em outras três.

A partir de 21 de agosto, serão cancelados todos os voos entre Belo Horizonte e Miami, o que representaria a retirada da empresa da cidade. Na mesma data, deixa de operar o voo diurno entre São Paulo e Miami, além de uma redução na frequência de voos entre o Rio de Janeiro e Nova York de 7 para 5 voos semanais, que passará a ser sazonal a partir de março de 2019.

A partir de 19 de dezembro, a frequência entre São Paulo e Los Angeles será reduzida de cinco para quatro voos semanais, e o voo Rio/Dallas passará a ser sazonal, com apenas três voos semanais. A empresa continuará atendendo o Rio de Janeiro com o voo para Miami e a frequência sazonal para Nova York.

Quem tiver reservas futuras com a empresa é bom verificar a realocação proposta e entrar em contato em caso de dúvidas.

Em nota enviada ao Melhores Destinos, a empresa informou que orgulhosamente serve o Brasil há 28 anos e que, mesmo com a mudança, continuará a ter mais voos para os Estados Unidos do que qualquer outra companhia aérea norte-americana. Serão 59 voos semanais atendendo São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Manaus. Destaca ainda que essa é uma adequação de capacidade às condições de mercado, que não teria se recuperado na velocidade que eles esperavam.

A decisão da American cita as condições de mercado como sendo determinantes para as alterações, algo que é intrigante, já que as cias aéreas concorrentes estão ampliando seus voos para os Estados Unidos. Por exemplo, a Avianca Brasil adicionou um voo diário para Nova York, a GOL vai iniciar dois novos voos diretos para a Flórida e a Latam vai voar para Boston e Las Vegas ainda esse ano, sem contar com os voos já implementados pela Azul.

E aí, o que acharam da decisão da American Airlines?


Nota oficial encaminhada pela assessoria de imprensa da American Airlines:

We have proudly served the country for almost 28 years and we continue to offer more flights between Brazil and the U.S. than any other U.S. carrier. We are simply managing our Brazil capacity in response to market conditions which have not recovered as quickly as we hoped. After these reductions we will continue to serve four destinations in the country with 59 weekly flights: Sao Paulo, Rio de Janeiro, Brasilia and Manaus. American Airlines evaluates its network based on supply and demand on each route, ensuring our long term success against global competition.”

Autor

João Goldmeier - Editor
  • Rafael Dos Santos

    Má notícia, principalmente para quem pontua direto no Aadvantage.

  • Pedro ACunha

    Vdd…que lixo…ainda bem q declinei do meu AA BLACK SANTANDER…pedi o SMILES BLACK…antes do prazo q acabava o bônus de 40000 milhas SMILES…

  • Vicente Cassepp-Borges

    Acho que a saúde financeira da AA não é lá tão boa…

    • Helio Carneiro

      Nao concordo, a Argentina vai ganhar 2 novas rotas (Buenos Aires-Los Angeles e Cordoba-Miami) e curiosamente tem 1/5 da populacao do Brasil

      • Pois é…o que conta é a “saúde financeira dos brasileiros” hehehe argentino não esta nem ai se o país esta em crise, viajam mesmo, sem pena. Brasileiro é mais conservador.

  • No blog do Seth Miller: “Another possible explanation is the expected imminent implementation of
    the joint venture agreement with LATAM. The arrangement will cover
    flights between the USA and Canada at the northern end and Brazil,
    Chile, Colombia, Paraguay, Peru and Uruguay in South America.”

    É bom ficar de olho, especialmente nos voos saindo de GRU e GIG.

  • E aquele acordo que o Brasil assinou de “céus livres”? Esqueci o nome, mas não era pra aumentar mais a frequência de voos entre os países?
    Me preocupa mais o corte de rodas de cidades já deficitárias. Me parece que a tendência é todos os voos internacionais se concentrarem em GRU, GIG e Recife, o que é péssimo pro país.

  • Jose

    Compensa para AA manter inúmeros voos pros EUA de diversas cidades brasileiras? Parece-me mais lógico vender os bilhetes de todas as cidades, com aeroportos do Brasil, servidas por sua parceira Oneworld, Latam, e manter as frequências pros EUA somente de GRU, maior mercado nacional. Não sou especialista no assunto, será que estou errado?

    • PauloHCM

      Mas até GRU teve redução de voos

    • Fabio

      A Copa pensa bem diferente

      • Jose

        Nunca voei de Copa, não saberia dizer. Pelos comentários que leio aqui no MD, ainda não me animei em experimentar.

        • Fabio

          Eh bem melhor que a AA, por exemplo.

      • Karl

        O pessoal evita a Copa porque eles usam aviões pequenos (737).
        Eu já voei muitas vezes pelas duas cias. e não tem comparação. Em termos de qualidade e conforto das aeronaves, pontualidade e atendimento, a Copa dá de 10 x 0 na AA. Para mim, a American é a última escolha.

        • Fabio

          Pois eh, neguinho fica preocupado com o tamanho do aviao e esquece que o que conta mesmo eh o pitch. E o pitch de ambas eh muito, muito semelhante. A diferenca seria mesmo so para quem voa na business.

  • Eduardo

    A má vontade com Confins é algo difícil de entender. Novo terminal, assim como o aeroporto em geral ficou ótimo e só cortam rotas de lá.

    • Rosiane Souza Carvalho

      Minha dúvida de sempre.

  • Rodrigo Aguiar

    Estranho… pois os voos principalmente de confins só saem cheios e tarifa cara…difícil ter promoção saindo de confins… enfim, só usam aeronaves velhas por aqui.. muita reclamação.. ela saindo alguma outra ira assumir e aprovitar o ótimo terminal de confins.. azul e latam no páreo!

    • Renato Silva

      Fato, mesmo mandando as latas velhas, inclusive sem entretenimento individual o vôo era bem cheio e as passagens cara, mas fato também que já tem muito mineiro que tava preferindo ir via GRU pois o preço é mais em conta, o público business podia usar sala vip o que inexiste em CNF. Mas assim como o mineiro lamentou a saída da Aerolineas que era cara, abriu espaço e depois ganhou duas frequências da Azul pra Buenos Aires com preços bem melhores (mas agora tá caro, mas nem tanto quanto da época da Aerolineas), bom pra Azul, que tem grandes chances de manter um mix de FLL e MCO diario, e abre espaço pra o namoro da United com a cidade voltar a ser casamento.

      • jorge moraes

        United eu duvido ela só voa pra centros consolidados, ou seja, Sp
        e Rj.

        • Renato Silva

          Ela já voou pra BH anos atrás.

      • THE GUNSLINGER

        Se o vôo era bem cheio e a passagem cara, por que cancelariam?

        • Renato Silva

          Política Oneworld, entenda-se Latam, nos foruns de aviação é dada como certa que tem dedo da Latam nisso.

    • Rosiane Souza Carvalho

      Exatamente. Aviões terríveis e tripulação idem. Promoções lançadas para quase todas as cidades nunca abrangiam BH.

  • Eduardo Irineu

    Talvez um acordo entre empresas. AA é parceira da Latam.

  • Jose

    Embora ache a Avianca Brasil, parceira da Star Alliance no Brasil, uma excelente companhia, ela possui uma atuação muito restrita em aeroportos e frequência de voos. Concordo com você: não vale meu raciocínio para TAP.

    • Fabio

      Mas a TAP agora tem toda a rede da Azul ao seu dispor.

      • Jose

        A lógica é meio diferente: os portugueses adoram nosso Nordeste, especialmente Fortaleza. No mínimo, faz sentido ter voo direto para lá. Portugal, como destino turístico, está se trabalhando para tanto. Não se vende sozinho como os EUA. Tenho dúvidas desta parceria…

        • Fabio

          A fluxo nos voos da TAP eh muito mais de brasileiros indo para a Europa que portugueses vindo para o Brasil. Eu acho que a parceria faz todo sentido. A Azul aproveita tambem a malha da TAP e pode escoar passageiros para diversos destinos na Europa.

  • Tiago Barauna

    Pessoal, quem tem voo comprado pra um desses trechos que serão cancelados vão ser remanejados correto?

    • Deyvisson F. R. Almeida

      Sempre

  • Vaguiner Rocha

    AA já havia retirado o voo SSA – MIA há tempos. Talvez a cia americana já está sabendo de algo que as cias brasileiras não sabem. Sinistro.

  • Fabio

    Nao tao lotado. Fiz esse voo em dezembro. Na ida para o Brasil tinham uns 50 passageiros a bordo, no maximo. Deu para todo mundo ficar com uma fila de assentos para si. Na volta para LAX talvez a ocupacao estivesse a 50%.

  • rkimwb

    No mesmo dia do corte, a AA começa a operar LAX-EZE, 3x semana (exatamente o corte da rota para GRU).

    • Helio Carneiro

      Correto. Na Argentina tambem vao criar a rota Cordoba – Miami utilizando 767

  • Ricardo

    Fiz o voo inaugural CNF/MIA há alguns anos atrás, e o VP da AA ja colocava que eles poderiam tirar esse voo a qualquer momento. Arrogante, como se fosse um favor! Não merecem os clientes que tem!

  • Marcelo Fercondiny

    É uma pena essas reduções o Brasil tem uma malha aérea com um potencial imenso, mas infelizmente nem todas as pessoas podem aproveitar disso, mas sempre vejo o pessoal reclamando da AA então acho que a culpa é deles mesmo quem sabe agora eles melhoram seus serviços com a Avianca-Brasil anunciando varias rotas a tendência é as outras cias fazerem o mesmo.

  • Leonardo BH

    Engraçado é que aumentaram a frequência MIA CNF para diária em dezembro e agora cancelam.

  • Jonatas Elias

    Sinceramente não consigo entender qual a dificuldade em se fazer conexão em GRU, posto que é o principal hub do país. No mundo inteiro é assim, ainda que alguns países tenham vários hubs.
    E definitivamente BR não pode ser comparado com EUA, muita inocência isso.
    Até países extremamente avançados têm grande parte dos voos concentrados numa única região, a exemplo da Austrália (SYD), Nova Zelândia (AKL), Alemanha (FRA), França (CDG) e por aí vai, e até países no mesmo nível do BR também, África do Sul (JNB), Índia (DEL e BOM), China (PVG, PEK, HKG), que são tudo menos pequenos.
    O que há em comum em tudo isso é que os hubs estão nas regiões mais ricas (e naturalmente mais populosas) de cadas país, no BR naturalmente esse hub vem a ser GRU. GIG, CNF e CWB padecem do fato de estar muito próximos de GRU.

  • Machado Oliveira

    É só tirar ela que melhora…

    • Ivan Ribeiro

      Completamente sem noção essa respósta…o que tem a ver?

  • Ricardo

    AA, pra compensar faz um saldão com aqueles preços errados que usufruímos em 2015.. hehe.

  • Bia Fortuna

    Nem ligo: passagens caras, aviões velhos, comida ruim e tripulação antipática.

  • Edson

    Já voei com a Copa diversas vezes. Aqui em Porto Alegre tem 2 horários de vôos com conexão rápida no Panamá. Nunca atrasou, tripulação educada.Em alguns vôos tem duas refeições. A Copa era até Fevereiro uma das poucas companhias com franquia de bagagem de duas malas de 32kg. Agora atualizaram para 2 malas de 23kg. Por aqui a AA não vai fazer falta.

  • Maurício Teixeira M. Rodrigues

    Eu já voei com a AA pros EUA e achei péssimo, como cita a reportagem outras cias ampliaram os voos, como a Avianca, no qual eu dei preferência em outros vôos por ter oferecido um serviço melhor. Talvez a realidade não seja diminuição de mercado, mas sim mudança na preferência dos consumidores. A American Airlines deveria melhorar o serviço, quem sabe assim, aumenta o número de passageiros.

  • Ricardo

    Concordo plenamente, já vai tarde.

    • Eduardo Honorato

      Isso mesmo! Parecem que estão fazendo um favor em voar para o Brasil.

      • Silvio C

        Toda razão, concordo!

  • Eduardo

    Não faz muita falta.
    Não viajo de AA nem com passagem a 300 reais.

  • Fabríccio Santos

    A.A. perdeu mercado pras outras cias e agora ta se adaptando pra manter a % de passageiros para continuar viavel ter voos pra os EUA.

  • Karl

    Concordo, todos os voos que fiz pela American para os EUA foram terríveis.

    • Silvio C

      TambeT nan tive sorte…

  • RABUGENTO SFQNS

    Ahn?

  • Cristiana Fenelon

    Os aviões que saíam de Belo Horizonte eram muito velhos. Já estavam na hora de parar de voar mesmo.

  • Jonatas Elias

    Justamente, alguns países têm mais de um hub, infelizmente não é o caso do BR. Sem contar que a distribuição de voos não se trata apenas de geografia, mas de densidade populacional e financeira, afora os estudos mercadológicos etc. Se o NE ou qualquer outra região fossem interessantes (do ponto de vista das cias), com certeza teríamos voos nessas cidades (a exemplo do que já ocorre com a TAP e Copa e que está começando com a AF-KLM). Talvez eu não tenha me expressado muito bem, mas acredito que a maioria dos leitores do MD viajam a turismo, onde o que importa é preço, e justamente se os menores preços são saindo de GRU, não consigo entender tanta reclamação.

  • Silvio C

    Corretíssimo!

  • Silvio C

    O Rio de Janeiro, embora seja uma das principais portas de entrada no pais, vive as margens da aviação nacional e internacional. O Galeão esta completamente subutilizado. AA??? é só uma das pequenas perdas…A malha aérea do pais, subutiliza o Galeão. Um grande exemplo, são as promoções de vôos saindo do RJ: pouquíssimas…quase tudo saí de Sao Paulo. Falta gestao.

  • Rafael Poggi

    Que aviões velhos? Voei pela última vez com ela em outubro de 2016 para NY num 777 novinho!

    • Euclydes Souza

      GIG e GRU para NYC operam os 777. De BH só tem para Miami. Os velhos 767 de interior azul…

  • Rafael Poggi

    “Chile espichado para os lados”!!!! AHAHAHAHHAHAHAHAHA Adorei!

  • Euclydes Souza

    A American não consegue entender o tiro que deu no próprio pé!!! Eu, que sou PLATINUM há muitos anos, nem olhava preços, condições ou horários das outras companhias!!! E induzia parentes e amigos a voarem de American!! Quantas e quantas vezes escolhi um trajeto mais longo (via Dallas ou Chicago, por exemplo) só para ganhar umas milhas a mais. Muitas vezes, até pagando mais por isso!!! Uma viagem do Rio para Orlando me rendia quase 20.000 milhas. Agora dá menos de 4.000!!! Será que não é por isso que os “Frequent Flyers” sumiram???? Passageiros esporádicos não são suficientes para lotar um avião. Só em época de férias ou feriados prolongados. Americanos são cabeça dura!!! Vão morrer pastando!!!