Alitalia pode deixar de voar a partir de sábado

Denis Carvalho 10 · outubro · 2013

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

A Alitalia, principal companhia aérea italiana, está com a corda no pescoço. Afundada em dívidas, ela pode deixar de voar a partir de sábado, caso não consiga pagar pelo menos pelo combustível para abastecer seus aviões. O governo italiano está mobilizado para tentar salvar a empresa, mas atá o momento não há saída aparente para a profunda crise financeira da empresa, que precisa de 500 milhões de euros.

“As regras são claras, se não houver recursos para a Alitalia cumprir suas obrigações, não haverá alternativa”, disse hoje Vito Riggio, chefe da autoridade de aviação do país, a Enac. Mais cedo, a agência recebeu executivos da Alitalia, que tenta um empréstimo de pelo menos 455 milhões de euros para se manter nos céus.

A companhia italiana vem tendo dificuldades de fechar um acordo com seus credores e acionistas. Alguns deles não têm condições ou intenções de investir mais na empresa. A Air France-KLM, por exemplo, maior acionista da Alitalia – com uma fatia de 25% -, está relutando em liberar mais dinheiro porque também enfrenta dificuldades financeiras.

Tempo ruim pelos lados da Alitalia
Tempo ruim pelos lados da Alitalia

Uma das principais credoras, a petrolífera ENI, é a fornecedora de combustível para os aviões da Alitalia e ameaça interromper o abastecimento caso não haja um pagamento até sábado. A dívida apenas de combustíveis é estimada em 30 milhões de euros. A companhia aérea, que não gera lucro desde 2002, acumulou cerca de 1 bilhão de euros em prejuízos e uma quantia similar em dívidas desde a sua privatização em 2009 e precisa de cerca de 500 milhões de euros para se manter e investir em uma nova estratégia de recuperação, segundo estimativas de analistas.

A grande esperança é que a Air France-KLM decida aumentar sua participação na companhia italiana ou mesmo comprá-la totalmente. Em 2008, o grupo tentou adquirir completamente a Alitalia que estava à beira da falência, mas foi impedido pelo então primeiro-ministro Silvio Berlusconi, que costurou um grupo de 21 investidores para manter a companhia.

Desde então a Alitalia tem perdido 700 mil euros por dia e se tornou um símbolo do declínio da economia italiana, obstruída por ingerência e intervenções políticas. Agora, o governo e os acionistas da Alitalia estão prontos para permitir que a Air France aumente sua participação e possivelmente até compre a empresa, mas não há acordo com a empresa franco-holandesa, que também não anda tão bem das pernas.

Com informações da Reuters e Exame

Dica do leitor Diego Ferreira

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe