Alaska Air vence disputa com a JetBlue e compra Virgin America por US$ 2,6 bilhões

Thayana Alvarenga 4 · abril · 2016

Após vencer a disputa com a JetBlue Airways, o Alaska Air Group comprou a Virgin America por 2,6 bilhões de dólares. A negociação foi bastante intensa, mas o balanço patrimonial limpo da Alaska influenciou no resultado da disputa, já que pode ajudar a intermediar empréstimos para financiar a aquisição. Esta fusão dá origem à quinta maior companhia aérea dos Estados Unidos. O objetivo principal da compra é ganhar mercado na costa oeste americana, especialmente na Califórnia, em cidades como Los Angeles e São Francisco. A Virgin tem forte presença na região, sendo a segunda maior transportadora em termos de lugares disponíveis.

O acordo deve ser finalizado até janeiro do ano que vem, podendo gerar 27% de aumento na receita anual da Alaska Air.  A combinação das duas empresas cria a quinta companhia aérea americana em tráfego, superando a JetBlue, que atualmente ocupa esta posição. O novo grupo irá operar voos em mais de cem cidades nos Estados Unidos, Canadá, Costa Rica e México.

A Virgin America começou a operar voos em 2007 e é administrada pelo Virgin Group. A companhia registrou lucros de 201,5 milhões de dólares, sendo o valor mais elevado em sua história. No ano passado, a empresa recebeu cinco novos aviões e ainda espera mais cinco Airbus A320 para 2016. A Alaska Air tem 84 anos e sua base fica em Seattle, cidade em Washington. A companhia não tem dívida líquida e tem 1,3 bilhão de dólares em caixa. A JetBlue, que começou a voar em 2000, tinha 876 milhões de dólares em caixa no fim do ano passado, além de uma linha de crédito não utilizada de 600 milhões e dívidas somadas em 1,8 bilhão.

Esta é a primeira fusão na aviação americana desde 2013, quando a American Airlines e a US Airways se juntaram para criar a maior transportadora aérea mundial.

Mais informações no site oficial da Alaska Airlines.

Agradecemos a dica enviada pelo leitor Bruno Almeida.

Publicado por

Thayana Alvarenga

Repórter

  • Lucas Ribeiro

    David Neeleman ainda vai dar muito trabalho.

  • Irineu

    “O objetivo principal da compra é ganhar mercado na costa leste americana, especialmente na Califórnia, em cidades como Los Angeles e São Francisco.”

    Não seria costa oeste?

  • everton

    Gente, a costa que corresponde a Califórnia é a Oeste, não!? a Leste não seria de NYC a Miami?

  • Leonardo Fernandes de Oliveira

    Pessoal, a empresa comprada se chama “Virgin America” sem o “n”. E a California fica na costa Oeste dos Estados Unidos. A costa Leste é onde fica NY e Miami.

    • Thayana Alvarenga

      Olá, Leonardo. Já corrigimos a informação. Muito obrigada!

  • Ricardo Cruz

    Califórnia na Costa Leste…. Tá de brincadeira o MD.

    Com todo respeito, queremos notícias relevantes, não deste tipo (aquisição de empresas estrangeiras ou passagens para a Ásia por milhares de reais anunciadas como “promoção”).

    Onde estão as mega promo nacionais??

    Desculpe a franqueza, mas a atratividade de vocês caiu muito!

    • Jefferson Paulo

      Quem faz promoção é cia aérea, eles só divulgam meu querida, a materia tem tudo a ver com a pagina, larga de ser chato.

    • Ricardo, já corrigimos o erro do post. Quanto a megapromos nacionais, é necessário que as companhias aéreas façam as promoções, infelizmente não temos como interferir nisso.

    • Bruno Bastos

      Meu amigo, menos. Você me pediu procuração pra dizer o que eu acho relevante? Então, vamo, maneirar.

      Quem gosta de viagens vem aqui olhar preço barato. Eu além disso gosto de aviação, então venho aqui (como em muitos outros lugares) saber sobre as companhias aéreas, ler reviews e tal.

    • Roger Bersch

      Não tem saído promoções mesmo. Não é culpa do Melhores Destinos. Eles postam todo dia várias coisas que não estão em promoções pois alguém pode comprar ou só de clicar e comprar qualquer outra passagem eles ganham o percentual disso. Se postarem só promoções eles lucram pouco.

    • Fábio

      Acho que o melhor “juiz” para isso é o público do site. Caso você não goste das promoções e conteúdo basta deixar de segui-lo e desinstalar o aplicativo.

      Além disso a página presta um serviço gratuito para seus leitores, e toda sua estrutura custa dinheiro. São necessários anúncios e também faturar via link para manter a página aberta, mas ninguém obriga você em clicar para ser redirecionado ao submarino viagens.

      Eu mesmo leio os posts daqui e caso tenha interesse faço a pesquisa com minhas datas diretamente no site da empresa aérea (para evitar cobrança de taxas adicionais), ou mesmo o skyscanner.

    • Thiago Castro

      Se vc se deu ao trabalho de entrar no post e ainda comentar é pq a atratividade não caiu tanto assim não é??? rs

  • Thayana Alvarenga

    Já corrigimos a informação. Muito obrigada!

  • Thayana Alvarenga

    Olá, Irineu. Já corrigimos a informação. Muito obrigada!

  • Thayana Alvarenga

    Olá, Everton. Já corrigimos a informação. Muito obrigada!