Air New Zealand terá voo direto para Buenos Aires e ligação com o Brasil via Aerolineas Argentinas

Leonardo Marques 12 · dezembro · 2014

A Air New Zealand acaba de anunciar que irá operar três voos semanais entre Buenos Aires e Auckland a partir de dezembro de 2015. A empresa também tem um acordo de codeshare com a Aerolineas Argentinas para conectar esse voo aos destinos brasileiros.

Os voos serão operados em aviões 777-200 e a venda das passagens deve começar em março, porém tudo ainda depende de aprovação das autoridades. 

Atualmente a forma mais rápida de chegar até Auckland é de TAM/LAN. Há um voo direto diário saindo de Santiago que é operado em aviões A340.

Veja o comunicado da empresa.

Dica enviada pelos leitores Gentil Meireles e Vitor Borges.

Publicado por

Leonardo Marques

Diretor do Melhores Destinos

  • Diego

    Que escolha bizarra, Buenos Aires ao invés de São Paulo nesse momento da economia/política argentina.

    Na contramão de todas as demais empresas, que vêm reduzindo a oferta para BUE e aumentando para GRU.

    Questão de automonia da aeronave, será?

    • Solrac

      Outro problema são as altas taxas de Ezeiza.

    • Maira

      Já ouviu falar em rota polar? Dá uma olhada no Mapa Mundi, é mais perto ir pra Auckland via Argentina ou via Brasil, Dubai, Perth e finalmente Auckland??

  • junior

    Lá me vou para Nova Zelândia e autrália via Buenos Aires com a rede Star Alliance.
    Não GRU porque foge da autonomia de segurança de voo, 777 12 horas mais 2 horas

    • Ramon Torres

      O voo RIo-Dubai tem mais de 14 horas e é operado com 777.

    • Flavio

      Mas a Emirates não faz GRU – DXB com um 777 e o trajeto leva mais de 14 horas?

    • Marlon Rodrigues

      O 777-200 da Air New Zealand é a versão -200ER que tem autonomia de 14.260 km,já a distância entre Auckland e São Paulo é de 12.019 km, ou seja o avião tem autonomia suficente para fazer o vôo sem problemas.

  • Guilherme Ricca

    O problema todo se chama Aerolineas Argentinas. Já voei de Air New Zealand e é ótimo. Eles tinham que ter feito um vôo com escala em Ezeiza ou em Santiago, mas com destino final GIG ou GRU. Precisamos que a Qantas faça o mesmo.

    • Thiago

      Achei a Aerolineas melhor que a Gol…

    • Fernando Viana

      Justamente, uma escala em EZE e de lá vinha pra GRU, seria até mais uma opção para ir até a Argentina!

      • jorge moraes

        Também achei mancada da AN. Vamos aguardar.

  • Alisson Vinicius

    Acredito que a escolha por buenos Aires deva ter sido por conta de custos de implementação da rota. Por exemplo, se os voos deles ao invés de terem destino final no Brasil, vão para buenos Aires, eles abastecem suas aeronaves com o preço praticado por lá (e haja combustível para um voo internacional) já para os passageiros que desejarem vir ao Brasil eles oferecem a opção do codeshares com a aerolineas.

    • keleskaras

      As aeronaves não tem autonomia para voarem direto carregadas com lotação alta de passageiros até GRU. Outra coisa, demanda daqui pra lá tem, só que como há a inviabilidade técnica de um voo desse tipo, a Air New Zealand se satisfaz até EZE, empurrando o trajeto AR-BR para a Aerolíneas em forma de parceiria.

      • RaffleHoff

        Acredito que o novo 787-9 da Air New Zealand tem autonomia suficiente para chegar a GRU, e eles inclusive estavam cogitando inaugurar a rota… mas isso era lá pelos idos de 2010 quando a nossa economia não estava tão sofrida quanto está agora…

        • keleskaras

          tem que ver o MTOW

        • Victor Andrade

          Justamente isso, o 789 pode ter autonomia suficiente mas tem que operar com algumas restrições.

  • Guilherme

    Ela usa o -300ER que tem autonomia para até 16 horas. As vezes (acho que para GIG) ela usa o -200LR que tem autonomia para 19 horas.

  • philip

    Acho que dura pouco esse voo. O hub da Air NZ em Auckland é fraco. E aerolineas é um parceiro de menor credibilidade. Vai afugentar turistas buscando algo mais VIP e vai pegar mochileiros que são os que se dispoem a gastar menos dinheiro.Acho que o fluxo de turistas da NZ para Argentina deve ser pequeno pelo tamanho da população. Tinha que ir para Sydney, do contrário leva de goleada da Qantas. Vai ter que concorrer via preço, o que vai acabar com a rentabilidade.

  • Márcio Sampaio

    O texto diz que tem codeshare com a Aerolineas, que fazia essa tota. Eis a explicação, uma rota já em plena execução e minimizando custos com os serviços locais de uma parceira.

  • Leopoldino

    Acho a rota feita pela lan e NZ Airlines muito ruim, parece q tem muita turbulência

    • Jean

      Faço esse trecho com frequencia (2x ao ano pelo menos) p/ Sydney, pela LAN e já peguei algumas turbulencias fortes, mas no geral não tem tanta turbulencia assim…
      O que mata nessa rota é justamente a parada em Auckland… Você fica lá no aeroporto, no meio da madrugada, 3 horas esperando para embarcar finalmente para o destino final…

  • Victor Andrade

    Ai vem a Qantas e opera SYD-SCL-GRU hehehehe! Não custa sonhar.

  • roberto

    Tomara que dê certo! Eu preciso disso… O Press Release diz em torno de 12h pra fazer o voo, mas o voo até Santiago é 13h30, tem como fazer mais rápido?

  • raphaela1

    Não tem sentido uma companhia da Nova Zelandia terminar o vôo em Sydney, e sem contar que a frequência entre Sydney e Auckland deve ser a mesma entre São Paulo-Buenos Aires

  • É uma boa opção para clientes Star Alliance para a Oceania. Até então as melhores rotas eram via África do Sul ou América do Norte.
    Entretanto, a escolha de parceria com Aerolíneas para o trecho do Brasil é algo que poderá de fato afugentar ou criar considerações entre nós brasileiros, especialmente considerando que não teremos a opção de acesso ao lounge e check-in prioritário utilizando nosso status Star Alliance.

  • Vanessa

    Bem mais caro, partindo de POA, em comparação ao voo da LAN… Quase dois mil reais de diferença!

  • Rafael gomes

    E a Etihad e a Emirates e a Qatar? Serviços e preços e a qualidade dos aviões?