Aerolíneas Argentinas deixará de operar voos a Sydney em abril. Curitiba e Florianópolis estão nos planos

Denis Carvalho 14 · novembro · 2013

Já tratamos desse assunto neste post, mas agora é oficial. A Aerolíneas Argentinas anunciou que deixará de operar os voos de Buenos Aires a Sydney a partir do dia 12 de abril de 2014. Apesar da qualidade questionável dos voos e serviços prestados na rota – em especial quanto a atrasos e cancelamentos – a notícia é muito ruim para quem planeja uma viagem à Austrália e Nova Zelândia, já que a companhia argentina quase sempre oferecia os preços mais baixos e acabava forçando também a concorrência. Por outro lado, a companhia planeja novos voos para cidades brasileiras, como Curitiba e Florianópolis.

Com a decisão, a única companhia a operar voos da Oceania à América do Sul será a Qantas, que voa de Santiago a Sydney. Por outro lado, temos visto as grandes companhias árabes investindo com força na rota, com ótimas promoções de São Paulo a Melbourne ou Perth com a Etihad e Qatar Airways. 

A notícia é péssima para os argentinos, que deixarão de ter um voo direto à cidade australiana. É bom lembrar que até o ano passado eles tinham também a opção da Qantas, que acabou trocando seu hub em Buenos Aires para Santiago, de onde o acordo com a LAN permite uma distribuição excelente de passageiros para todos os países próximos.

A Aerolíneas informou que todos os bilhetes emitidos terão que ter a viagem concluída até 2 de abril. Quem já comprou viagens de ida ou volta após essa data deve solicitar o reembolso sem multa à companhia. Os passageiros que já estão em viagem pela Oceania com retorno após o dia 2 de abril se deram bem: a Aerolíneas vai reacomodá-los em voos da Etihad ou Emirates de volta ao Brasil!

 O fim da mais longa rota da Aerolíneas se deve a alguns fatores como a baixa rentabilidade dos voos e às restrições de peso no A340-200 para que pudesse cumprir a extensão do voo – 20% das poltronas precisam viajar vazias, além de restrições na carga transportada.Com um avião com mais de vinte anos de idade, a companhia não tem conseguido disputar mercado, mesmo com tarifas mais baixas.

Voos para o Brasil

A companhia afirmou que a decisão é parte de sua nova estratégia, que vai focar os voos na América do Sul, Estados Unidos e Europa, além de aumentar a malha doméstica em 22% no ano que vem.

Com relação ao Brasil, estão previstos novos voos a Florianópolis a partir de janeiro e a Curitiba em março. Resta saber se as rotas á capital catarinense serão mantidas após a temporada ou apenas operadas como charter.

Dica do leitor Diego Saraiva

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Marlos Sousa

    A capital da Austrália é Canberra, não Sydney como afirma a reportage.

    • Marlos Sousa

      reportagem

    • hehehe Vivo cometendo essa gafe! Valeu!

      • Marcio

        Eu também, assim com sempre digo que a capital da Florida é Miami e não Tallahassee.

        • Titobosco

          Eita essa eu nao sabia mesmo nao. Desencarnaria e nao aprenderia essa 😉 Vlw!

        • A capital da Florida é Tallahassee, Miami é a maior cidade da Florida, USA.

          • paluzoid

            SNME a maior cidade da Florida, USA é Jacksonville…

  • Daniel

    Merecido. A Aerolineas é um reflexo da Argentina como um todo. Merece e com todas as honras.

    Vou para a Argentina desde que nasci e viajei muito de Aerolineas e Austral desde 1975, e honestamente a empresa nunca foi algo digno ou de orgulho. Sempre achei a qualidade da Aerolineas de médio para ruim, e nos últimos anos, ganhou o status de lixo com os absurdos atrasos principalmente no Aeroparque e seu serviço de bordo historicamente ignorante. Há poucos anos atrás a South African, Malaysian, Lufthansa e a Qantas voavam para lá (uma vez eu mesmo fui para SYD via EZE com a Qantas), e veja agora … daqui a pouco só avião de papel aterrissa lá.
    Como eu disse: é reflexo do país. De verdade eu não entendo como a Qatar, Emirates e Turkish se prestam a pousar para lá – melhor usar os convênios globais (Star Alliance e One World) para atender esse mercado do que se prestar à pousar na Argentina, especialmente em Buenos Aires.
    PS: antes que mencionem qualquer coisa, tenho familia na Argentina, portanto sei bem do que estou falando.

    • Carlão

      Se o teu raciocínio está correto, o futuro da aviação no Brasil também está fadado à desgraça. Nossa política petista é muito semelhante às práticas da Sra. Cristina Kischner.

      • Mtorres

        Não confunda ESTILO de governo com tamanho do País. Somos BEM maiores que eles em PIB. Alem de uma população BEM maior e uma industria mais avançada.

        • Rafa

          Agora vai ver renda per capita, IDH e outros indicadores sociais da Argentina. Brasil só tem tamanho, é bonecão de Olinda, deixa de ser bobo

    • jorge

      Prezado Daniel. o fato de você ter família na Argentina, não te habilita a falar um montão de incongruências. Se o serviço que Aerolíneas Argentinas prestava para Austrália era ruim, você tinha outras possibilidades de chegar lá, apenas pagando um pouco mais caro. Se o serviço de bordo das ARG (gratuito) de Brasil para Buenos Aires é historicamente ignorante, vai de Gol que para teu conforto te brinda apenas 1 copo de água (gratuito) no seu serviço de bordo com atendimento mais que especial dos comissários.
      Se você não sabe, graças à Turkish que pousa em Buenos Aires, muitos passageiros puderam viajar de SAO para BUE por apenas 80 u$s. Não tem nada a ver que o país esteja passando por problemas econômico e financeiro, se as empresas voam para lá é porque tem clientes, elas não estão para fazer caridade nao?

      • Ariel

        Concordo plenamente, esse pensamento pseudo-nacionalista é totalmente ignorante. Claro, o serviço da Aerolineas não é grande coisa, mas isso não interfere no fato das empresas quererem pousar lá.
        Se fosse por isso o Brasil estaria duplamente atrás de TODOS os países da américa latina, no quesito infraestrutura aeroportuária e serviços de bordo

  • Guilherme

    A LAN também opera vôos entre a América do Sul (Santiago) e a Oceania (Sydney via Auckland) e não apenas a Qantas como foi citado na reportagem.

  • Mendonça Júnior

    A LAN também opera para a Oceania.

  • Uma pena, as ótimas promoções de U$ 999,00 ficarão muito escassas ou acabarão de vez. =o/

  • Poxa, agora que eu tenho em mãos meu visto da Australia =/

  • Marcia

    Uma pena. Ninguém merece voar de Aerolíneas, mas é sempre bom manter concorrência, né?

  • Luciana

    Um dos piores voos da minha vida! Paguem mais caro mas cheguem inteiros em Sydney!

  • LGA

    Já vai tarde. Não tem preço bom que compense viajar nessa bomba. Fui pra Nova Zelandia pelas Aerolineas e certamente foi a pior viagem da minha vida.

  • A Aerolíneas Argentinas é Péssima ! Todo mundo fala mal dela… Nunca voei com ela.

    Concordo totalmente com o relato do Daniel o "reflexo do País" – Argentina e sua crise.

    LGA e Luciana porque o vôo de vocês até a Austrália foi tão ruim ? Conte-nos.

  • Eu não sei se isso é lenda urbana ou se é verdade, se for é uma pena, mas dizem que a rota da Aerolíneas era a rota comercial a passar mais próxima da Antartica. Isso é uma coisa bacana que será perdida.

    Mas vê-se como a empresa está encolhendo. Se ela não consegue competitividade na rota, deveria renovar a frota, com novos A340 ou B777-300ER. Ela ganharia em custo operacional, e creio que o Boeing aguentaria a rota em condições de carga economicamente sustentáveis. Se não aguentar, apela pro LR. Mas obviamente nossa querida Aerolatas não tem grana pra comprar aviões novos.

    Uma coisa preocupante é olhar para a Argentina como se eles estivessem dizendo "eu sou você amanhã" no campo da aviação. companhias apenas com voos locais, no máximo dentro do continente… Não sei o caso da Argentina, mas o Brasil não ter uma companhia global é vergonhoso.

    • Marco

      É impossível que o Brasil tenha uma companhia global no sentido que você imagina, pois para uma cia aérea ganhar escala global, ela precisa ter um bom hub que sirva apenas de conexão entre origem e destino que não sejam o seu país (grande parte dos estrangeiros que circulam por Madri, Paris, Frankfurt tem como destino outros países da Europa). Trata-se de um problema basicamente geográfico, já que a América do Sul está fora das grandes rotas.

      Além disso temos o componente do próprio país. Embora tenhamos uma das maiores malhas aéreas do mundo, isso não se traduz nos vôos internacionais, que respondem por uma fatia muito pequena do nosso mercado aéreo, inviabilizando o aparecimento de uma cia aérea global brasileira…

      • eu sou meio sonhador com isso, confesso. Queria uma nova Varig. Mas estamos perdendo para outras companhias uma fatia importante do mercado. A América do Sul é nossa! Poderíamos em um aeroporto internacional do Brasil estabelecer um HUB, de preferência em um nordestino, e dali uma cia aérea ofertar voos para todo o país e América do Sul.

  • Rodrigo

    Que pena, viajei pra lá nessa rota em jun/2013, paguei só US$877 ida e volta saindo do RJ. Planejava voltar…

  • CARLOS EDUARDO POLLI

    PORQUE A AEROLINEAS NAO COMPRA AVIOES AIRBUS A340-500,QUE SAO MAIORES E OPERARIAM BEM A ROTA,2 OU 3 AVIOES DESSE MODELO JA DARIAM,CADA UM VOANDO 2 VEZES POR SEMANA EM MEDIA OU VOLTE A FAZER ESCALA EM RIO GALLEGOS,COMO NO PASSADO COM OS BOEING 747-200 QUE JA OPERARAM E TINHAM ESSE MESMO PROBLEMA,LAMENTAVEL ESSA DECISAO,A EMPRESA TERA NOVOS DESTINOS NA EUROPA PARA COMPENSAR O GRANDE NUMERO DE AVIOES DE GRANDE PORTE QUE OPERA?COMO PARIS,FRANKFURT,LONDRES E ZURICH,ALGUNS DELES POUSANDO EM SAO PAULO?

    • Antonio Eduardo

      Já viajei para Madrid com a Aerolíneas, achei muito bom.. Pontualidade e serviço.. Baixo custo é assim, não tem massagem nos pés.