Acelerador de pontos do cartão de crédito: bom negócio ou furada?

Leonardo Marques 12 · agosto · 2014

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

O Itaú lançou há pouco seu acelerador de pontos no cartão de crédito. A novidade já é conhecida dos clientes da Credicard e Diners e permite que você acumule o dobro de pontos por meio do pagamento de um adicional de 4% do valor da fatura.

Diante da publicidade enviada pelo banco e pela TAM, já que o benefício se estende ao cartão TAM Itaucard, muitos leitores nos pediram uma avaliação se vale a pena fazer uso do novo sistema. A princípio acreditamos que seja um mau negócio na maioria dos casos. Vamos aos cálculos: 

Você gasta no cartão 23.000 reais
Fazendo a conversão isso daria 10.000 dólares
Como o cartão dá 1,5 ponto por dólar você teria 15.000 pontos
Pagando mais 4% da fatura, ou seja, 920 reais
Você ganha mais 15.000 pontos

Levando em conta a pontuação do cartão TAM Itaucard, que oferece 1,5 ponto, vamos supor um gasto de 23 mil ao longo de alguns meses. Convertendo o valor para dólares saria aproximadamente US$ 10 mil, o que geraria 15 mil pontos.

Vamos supor que o cliente decida fazer uso do acelerados no período. Para isso ele teria desembolsado R$ 920 por outros 15 mil pontos, o que nos leva ao valor final de pouco mais de R$ 61 a cada lote de mil milhas.

Ocorre que pelo nosso acompanhamento do mercado o valor do lote de mil milhas normalmente é a metade disso, ou seja, para efeito de cálculo costumamos considerar o valor de mil milhas em R$ 30. Dessa forma, o pagamento para que o acelerador valesse a pena deveria ser próximo de 2% do valor da fatura e não 4%.

No caso dos cartões Black e Infinite, a conta não varia muito. Isso porque mesmo oferecendo 2 pontos por dólar seus pontos sofrem um deságio na hora de serem transferidos para as companhias aéreas e passam a valer 0,8 milha. Na prática eles oferecem 1,6 milha por dólar.

Quando vale a pena?

Dissemos de início que o acelerador era um mau negócio na maioria dos casos, mas em alguns pode ser interessante. Um exemplo é quando faltam poucos pontos para completar o valor para a emissão de uma passagem ou mesmo para aqueles que não conseguem acumular pontos suficientes para alcançar o mínimo para transferências e têm pontos vencendo.

O que queremos destacar é que se trata de um recurso para ser usado em ocasiões especiais e não uma estratégia para acumular mais pontos e milhas no longo prazo, já que nos parece mais viável poupar esse valor e comprar a passagem, acumulando milhas.

Aproveitando o tema, vale a pena conferir nosso novo ranking e escolher o melhor cartão de crédito para acumular pontos e milhas. Muitos oferecem ótimos benefícios de viagem!

Já usou o acelerador alguma vez? O que achou do novo recurso? Deixe sua opinião nois comentários e participe!

Sugestão dos leitores Vinícius Pereira, Ezer Siqueira, Flora Maravalhas, Fábio Viana, Carlos Eduardo e Leonardo Amattos.

Autor

Leonardo Marques - Diretor do Melhores Destinos