10 dicas de sobrevivência atualizadas em Buenos Aires para quem nunca foi e para quem sempre vai!

Redação 19 · fevereiro · 2015

Ernesto Lippman*

Você vai para Buenos Aires em alguma promoção do MD, vale a pena conferir o novo guia de sobrevivência da cidade. Mesmo que você já seja expert na cidade, algumas coisas mudaram e com certeza você vai descobrir dicas que não conhece. Ainda que não seja mais uma grande pechincha, pois com a inflação argentina, que está triste como o tango e a desvalorização do real, os preços agora são apenas um pouco mais baratos do que em São Paulo, a cidade continua com seu charme retrô e decadente, as carnes são as melhores do mundo, e os alfajores continuam irresistíveis. Desta vez, porém, notei uma grande diferença: ao contrário de tempos anteriores, os argentinos estão recebendo os brasileiros com uma simpatia digna do Papa Francisco. Sejam bem vindos às nossas dicas, vindas diretamente da viagem em que desembarquei há poucos dias:

1) Free Shop com 40% de desconto, na volta

Provavelmente, a maior barbada da Argentina! Você compra/troca reais ou dólares por pesos no paralelo, conforme descrito na dica 3, onde eles valem 40% a mais e paga suas compras com pesos na cotação oficial. Assim, você tem uma economia de 40%., fazendo deste o free shop o mais barato do mundo. Ninguém lhe pede comprovante de compra da moeda ou algo assim. Todos os argentinos pagam suas compras em pesos. Atenção: esta barbada pode mudar a qualquer momento, e nem o autor, nem o MD se responsabilizam por uma eventual mudança destas regras. Consulte junto ao caixa no free shop da chegada, se ainda estão aceitando pesos, e no site http://www.freeshop.com.ar. Esta é uma situação tão boa que pode mudar a qualquer momento.

free-shop-buenos-aires

2) Escolha: classe, ou praticidade?

Estas são duas melhores maneiras de se ir para Buenos. A com classe, pelos voos das excelentes companhias árabes como Qatar, Emirates e Turkish, com poltronas espaçosas e ótimos serviços de bordo, tornando voar uma experiência agradável (é incrível mas isto ainda acontece…) mas que chegam a Ezeiza, ou a outra pelas concorrentes, onde o serviço de bordo se resume a um sanduíche e a água/refrigerante. Mas, se for por outras companhias, fique atento e escolha a opção AEROPARQUE (AEP), que fica a 10 /15 minutos do Centro, e evite os voos marcados EZE (Ezeiza), onde você vai demorar no mínimo uma hora para chegar a seu destino e pagar um táxi bem mais caro.

Se você chegar pelo Aeroparque, uma novidade econômica e bem vinda é o ArBus. Vá até o final do aeroporto e por menos de 3 dólares você vai sentado, com lugar para a sua bagagem ir bem acomodada, a várias localidades do Centro ou a Palermo. Se quiser pegar um táxi, vá ate a fila e recuse terminante aqueles que ficam oferecendo serviços no aeroporto. Se por acaso o voo pelo Aeroparque for mais caro, procure programar a volta por Ezeiza, pois será bem mais barato pegar um táxi na volta, pagando no mercado paralelo, do que ter as poucas opções disponíveis no Aeroporto, na ida. Dica: Voos das Aerolineas agora marcam pontos no Smiles, não deixe de dar seu número no embarque e na reserva.

3) Câmbio

O câmbio negro ou blue está um pouco mais disfarçado do que antes, quando era praticado de maneira aberta. Nos hotéis maiores, muitas vezes sequer o assunto é mencionado e se você fala em trocar dinheiro, irão recomendar alguma casa de câmbio oficial. As casas de câmbio paralelo operam escondidas como pequenas lojas de artesanato, camisetas ou de coleção de “notas antigas”. Mas há uma significativa diferença entre o oficial e o paralelo, de mais de 40%, que torna atrativa esta opção. Confira antes da chegada o valor da cotação do paralelo no site dolarblue net , e troque no aeroporto, onde irão lhe pagar pelo oficial apenas o necessário para o táxi ou transfer. Leve notas de 100 dólares novas, que tem cotação melhor do que as de 10, 20 e 50. Se quiser levar Reais, eles também são trocados, mas você terá uma pequena perda entre 3% e 5%, além da possibilidade dele se desvalorizar durante sua viagem.

Há diversos cambistas anunciando “câmbio”, principalmente na Rua Florida, os arbolitos, mas eu não recomendo trocar dinheiro na rua, acho sempre mais arriscado. Usei uma na galeria da Florida 670, onde a casa de cambio esta disfarçada como uma loja de camisetas da Mafalda, foram corretos nas contas e não houve qualquer problema com notas falsificadas. Tenha atenção ao sair da casa de cambio, pois há relatos de furtos por “trombadinhas”, assim eu sugiro que você dê uma passadinha na bela livraria Atheneu do lado, tome um café, escute um disco, ou escolha um livro. Uma alternativa e fazer um contato por Facebook, por MP pela pagina “Boston Cash”, que troca e entrega seu dinheiro no hotel. Nunca usei, mas já vi vários relatos positivos.

 

Ah, mas o câmbio negro, não é ilegal? Teoricamente falando, sim, mas ele é bastante tolerado, e nos tempos politicamente corretos, ele se chama “blue” e não “negro”. Eu acompanho regularmente na internet jornais argentinos como o Clarim e o Agenda 18, e nunca vi noticia de um turista que fosse preso por trocar dólares no paralelo, embora de vez em quando a policia finja que trabalhe e feche as casas de cambio. Aliás, acredito que uma das razões do dólar paralelo ser tolerado é o fato de que sem ele, milhares de empregados do setor de turismo na Argentina perderiam seus empregos, pois viajar para a Argentina com a cotação do dólar oficial ficaria inviável, o que murcharia um dos poucos setores onde ainda há dinamismo na economia do país. E o cambio negro existe em países de economia instável, como o Brasil dos anos 80, o Chile dos anos 90, o Uzbequistão de hoje. Se os cidadãos querem comprar dólares para proteger suas economias de um índice de inflação manipulado, e isto não é aceito pelo governo, eu não sinto com nenhum drama na consciência de usar o mercado paralelo, pois a diferença é brutal. Hoje, são aproximadamente 8,41 pesos por dólar no oficial e 12,50 no paralelo, mas o cambio argentino e mais desequilibrado que bêbado de ressaca, pelo que você deve consultar o site dolarblue.net, que traz as cotações e uma mapa dos “arbolitos“, como são conhecidos os cambistas.

“Ah, mas eu me sinto mal com isto”, “não gosto de agir fora da lei”, “como um site reconhecido, incentiva práticas ilegais?” Bem, neste caso eu respeito seu modo de pensar. Se você se sente mal com isto, troque seus dólares no Banco de la Nación, no aeroporto, pelo câmbio oficial. Mas tenha consciência de que neste caso Buenos Aires será mais cara do que cidades como Paris ou Nova York. Dica: Não use cartão de credito, debito, ou pré-pago, pois a conversão será pelo dólar oficial. Cartão na Argentina, só para emergências.

o-que-fazer-buenos-aires

4) Restaurantes

Uma das grandes atrações locais, carnes excelentes, mas não estão mais tão baratos. Espere pagar 30 dólares por pessoa numa churrascaria de preço médio, com vinho, e pelo menos 50 nas mais caras. Uma dica para reduzir a conta é que muitas vezes a porção de carne e tão grande que dá para repartir, especialmente para um casal. Veja sempre antes e entrar quanto cobram de cubierto, ou servicio de mesa que e um couvert, que ao contrario do Brasil é obrigatório. Atenção: este valor não é uma gorjeta para o garçom. Os argentinos não costumam deixar gorjeta, mas agora ela vem sendo cobrada nos restaurantes mais turísticos na base de 10%, embora não seja obrigatória. Particularmente, acho que se você foi bem atendido, deve deixar uma gorjeta, se ela não for cobrada na conta, pois se você tem dinheiro para viajar não há porque ser mesquinho. Nos botecos, e na barra (balcão) não se espera gorjeta, e em geral os preços são mais baratos, sendo uma ótima opção para uma empanada ou uma pizza. Dica: Procure pelas recomendações no Guía Oleo que são melhores do que o Tripadvisor, pois foram resenhados pelos portenhos, embora o site seja em espanhol, assim “esquisito” é uma grande recomendação !

5) Táxis

É a cidade com o maior numero de táxis no mundo. Não estão mais tão baratos como eram, mas raramente uma corrida custará mais de 10 dólares. É simpático arredondar a conta para os próximos 5 pesos, assim uma corrida de 83 pesos passa para 85. Esqueça o mito de que não se pode pagar com notas de 100 pesos, pois como qualquer corrida fica entre 30 e 70 pesos, 100 pesos são trocados normalmente pelos taxistas. Se você for muito desconfiado, peça para o hotel ou restaurante chamarem o táxi, ou o remisse, que é um táxi sem identificação, o que sai 10% mais caro que o táxi normal. Dica: já viajei várias vezes para Buenos Aires, fiz dezenas de corridas e nunca, mas nunca tive qualquer problema com um taxista, simplesmente seguindo esta tática: ao escolher o táxi, somente pegue aqueles que tem a marca de “radio taxi”, que com uma marca na porta traseira, ou no letreiro de táxi. Parece bobeira, mas não é! E, o preço do radio táxi é o mesmo do táxi comum.

Táxis em Buenos Aires
Táxis em Buenos Aires

6) Ônibus

Uma boa alternativa aos táxis, especialmente fora dos horários de pico. Quase sempre são vazios e a tarifa é barata: 0,75 centavos de dólar. Muitos deles foram modernizados e têm ar condicionado. Há um pequeno problema, os ônibus não aceitam mais dinheiro, só funcionam com o “bilhete único”, o sube (www.sube.gob.ar), que se compra em qualquer loja da Loteria Nacional, sem a necessidade do cadastro pela internet que chegou a ser necessário.Mas infelizmente é frequente que sistema esteja fora do ar ou que não haja cartões novos para compra. Atenção: Se for a sua primeira vez em Buenos Aires ou se você estiver sozinho o ônibus turístico buenosairesbus.com que é bastante frequente e cobre todas as atrações da cidade a 20 dólares por ida, é uma boa opção para conhecer os principais pontos da cidade, embora pelo preço cobrado, uma família com 3 pessoas possa fazer o mesmo percurso de táxi por um preço menor. Dica : Se quiser andar de ônibus faça e carregue o cartão Sube no guichê do Arbus, no Aeroparque logo ao chegar.

7) Metrô

Vale a viagem, é muito barato, menos de meio dólar por viagens. Pode-se comprar o bilhete em dinheiro na estação, assim você pode usar mesmo que não queira fazer o cartão do bilhete único Dica: Não deixe de conhecer a estação Peru, que foi restaurada, com o estilo do começo do século, inclusive com anúncios de mural. Considero uma das mais charmosas estações de metrô que conheci até hoje.

8) Violência e segurança

De uma maneira geral, a Argentina é bem mais tranquila do que qualquer grande cidade brasileira. Não tenha paranoias! Assaltos e crimes violentos são raros, mas muito cuidado na Rua Flórida, que e uma das preferidas dos batedores de carteira e celulares e dos trombadinhas. Evite ficar andando com câmeras enormes e com “cara de turista”, o que é sempre visado pelos maus elementos de plantão. Seja bem atento com bolsas e celulares nos restaurantes. Por via das dúvidas, evite andar à noite nas pequenas ruas escuras do Centro, prefira as ruas principais. Se quiser mais tranquilidade à noite, procure um hotel em Palermo ou na Recoleta, que são zonas mais residenciais do que o Centro que “morre” a partir das 22 horas. Dica: A zona de La Boca, onde fica o Caminito é uma área folclórica, mas pobre. Perto do Caminito e bem policiada, mas fora desta região, convém não se arriscar, e é melhor visitá-la de dia.

9) Muito além de Buenos Aires

Além da conhecida Bariloche, e do recomendadíssimo tour pelos vinhos e Andes em Mendoza, vale a pena conhecer destinos menos conhecidos, como Salta e a quebrada da Huamaca, ao norte, o fantástico parque Lanin a partir de Junin, ou San Martin de Los Andes, que podem ser combinadas com Pucón no Chile, fazer uma dobradinha Calafate – Torres del Paine, e as belezas naturais de Ushuaia e da Península de Valdez. Dica: Quem sabe um dia você não se anima a uma road trip pela mítica Ruta 40 que cobre a Argentina de Norte a Sul?

Ushuaia
Ushuaia

10) Para viagens internas, se o avião estiver muito caro, considere o ônibus

Se você for para outras cidades além de Buenos, procure comprar seu bilhete com todas os destinos, pelas Aerolíneas ou Lan-Tam. Mas, se você usou milhas, ou nas promoções da Catar, Turkish e Emirates, que levam apenas até a capital e não até uma segunda cidade, vale considerar a possibilidade de uma viagem de ônibus se seu segundo destino for Córdoba, Mendoza, Bariloche ou Trelew. Pelas confusas regras argentinas, as passagens aéreas promocionais muitas vezes não estão disponíveis para estrangeiros, tornando caros os deslocamentos aéreos. Por exemplo, na alta estação a tarifa que paguei num bom ônibus leito de Buenos Aires a Bariloche de ida foi de 90 dólares, mas a passagem de avião com taxas estava em 400 dólares por trecho. Os ônibus costumam ser de dois andares, propiciando ótimas paisagens para quem curte ouvir uma trilha sonora na estrada, além de economizar uma diária de hotel. Dê preferencia às empresas que oferecem primeira classe, super cama, ou cama Premium, que são leitos bem melhores do que os leitos que estamos acostumados, pois reclinam 180 Graus, como uma bussines class de avião, e dá para “sobreviver” bem à noite do ônibus. Geralmente o jantar é incluído, e consiste em uma massa ou milanesa e água, refrigerantes e vinho.

Dica: As passagens devem ser compradas na hora, na rodoviária do terminal Retiro, e não pela internet, pois neste caso você pagará o câmbio pelo preço oficial. Se estiver na baixa temporada, pergunte se há uma “promocional” ao atendente, pois há tarifas promocionais, que também são disponíveis para estrangeiros. Se você curte paisagens, peça um lugar no piso superior, e na frente.

E você tem mais alguma dica? Tem algum lugar para indicar? Uma roubada para ser evitada? Comente, curta, compartilhe!

*Ernesto Lippmann, conhecido como o Pato Econômico, é advogado e autor de vários livros na área do Direito, mas também é especialista em dicas fantásticas para economizar nas viagens mundo a fora.

Leia mais sobre Buenos Aires:

O que fazer em Buenos Aires: 37 dicas para a sua primeira viagem à capital Argentina
Guia completo de Buenos Aires no Melhores Destinos
Como escolher seu aeroporto em Buenos Aires

 

Publicado por

Redação

redacao

  • jogador

    “Ah, mas o câmbio negro, não é ilegal? Teoricamente falando, sim, mas ele é bastante tolerado, e nos tempos politicamente corretos, ele se chama “blue” e não “negro”
    Ilegal é o que o governo argentino faz com o câmbio e os índices de inflação deles…

    • Leandro

      sejamos desonestos sem utilizar a desonestidade dos governantes como justificativa! É mais honesto! Compramos no “blue pq é melhor e pronto!

      • Jardel Peres

        Ilegal e ilegítimo são coisa completamente diferentes.

        Para algo ser ilegal, basta algum político ou burocrata criar alguma lei ou regulação arbitrária, exdrúxula.
        O mercado negro é ilegal, mas longe de ser ilegítimo. Se não fosse por ele, muito mais pessoas já teriam padecido de fome na Coréia do Norte.

  • Leandro Silva

    MD, vocês são insuperáveis!!! Meus parabéns, nunca nos deixam na mão. Estou pensando em ir pela primeira vez a BsAs comprando justamente pela promoção da QATAR que vi aqui ontem, olhei agora e ainda está valendo… e aí vocês resolvem fazer o pacote completo e colocam essas excelentes dicas… muito fera… valeu MD, obg ao colaborador Ernesto tb, texto ficou ótimo.

    • Luz

      Fui pela Qatar foi uma viagem ótima, troquei dólares numa galeria na calle florida 1 USD por 14,50 PESOS ARGENTINOS

      • Tenisson

        tem como passa com melhor descrição o local ao qual vc realizou essa troca ? Desde já valeu

  • Roberto Jorge Dummar

    Muito boa a matéria. Só algumas correções para o texto:

    1) O nome da companhia é Qatar, não Catar.

    2) “AEROPARQUE (AEP), que fica a 10 /15 minutos do CentRo, […]”

    3) Exquisito é com X, não com S.

    De resto, parabéns mais uma vez.

    • Diego

      “3) Exquisito é com X, não com S”

      ?????????

      • Márcio

        Ele deve ser carioca….

    • Carlos

      Boas correções, porém Esquisito é com S mesmo

    • Coelho

      A forma correta de escrita da palavra é esquisito. As palavras isquisito e exquisito estão erradas, não existindo no português. Devemos utilizar o adjetivo esquisito sempre que quisermos referir algo fora do comum, desconhecido e com aspecto feito, bem como algo difícil de explicar ou de encontrar. Esquisito pode se referir também a alguma coisa que tem requinte, a um lugar ermo ou a um caminho difícil. Assim, esquisito pode ser sinônimo de incomum, diferente, estranho, feio, incompreensível, raro, requintado, deserto e difícil, entre outros.

      • Heron

        O texto refere-se à palavra “exquisito “, em espanhol, que é grafado com “x” e tem significado diverso do esquisito no português brasileiro. Por isso houve a correção, devida no contexto em que foi expressa.

    • Marcos

      Aonde que ESQUISITO é com X??????

      • Ernesto Lippmann

        Sim, se pensarmos no exquisito em espanhol, que quer dizer “bom, saboroso, delicioso”.

        • Elias Alisson Meneses

          Não sei se usam na argentina, mas isso também se diz com “rico”. Inclusive para pessoas, Hehehe.

      • Bruno

        Não é aonde e sim onde, neste caso. E exquisito é com x sim em espanhol.

      • Patricia

        Na Argentina e nos demais países cujo idioma é o Espanhol.

    • Carol

      Esquisito é com S sim.

    • Carol

      Mas acho que a intenção era escrever a palavra em espanhol, “exquisito”, que significa “requintado”. Em espanhol tem um significado positivo, não é como nosso “esquisito”, que significa estranho.

    • Ernesto Lippmann

      Obrigado, voce tem razão.

    • Taís

      E o nome da rua é Florida e não Flórida! 😉

  • Camila

    Vou a Buenos Aires por 2 dias, em um cruzeiro… Qual a melhor forma de fazer cambio, uma vez que não chego pelas casas de cambio oficiais?

    • Tailane Barcellos

      Camila, fiz um cruzeiro em dezembro e contrarei por conta própria um guia. Não vá pelos passeios do cruzeiro, são muito caros. O guia é super legal, conheci bastante lugares, não cobrou caro e ainda trocou o dinheiro, tanto faz dólares ou reais. Meu namorado voltou em janeiro para fazer um curso e marcou com esse guia para trocar dinheiro.

      O facebook dele do guia Pablo é: https://www.facebook.com/buenosaires.tours?ref=ts&fref=ts

      Em janeiro a troca foi a seguinte:
      4.20 pesos por Real
      12 pesos por dolar

      • Camila

        Obrigado Tailane… vou falar com ele…

  • Marcelo Guimarães

    Discordo das coisas “baratas” no free shop. Estou na Argentina por esses dias. Fiz reserva de cx de whisky pra retirar no Dufry em GRU e comecei a comparar preços nos outros free shop. Os daqui, custam 25% a mais, sendo que o preço eh em dólar! Uma caixa de Red custou US$ 204 em SP enquanto que aqui custa US$ 255. Perfume que lá custa 60 aqui custa 70.

    Moro em BH, e nao acho que os preços sejam mais baratos que SP, mas com a inflação os preços daqui subiram demais. Exemplo uma corrida de taxi do aeroporto ate BsAs. Em 2012 era 150 pesos, hoje custa 400. Em 2012 o câmbio oficial era de 2,5 pesos pra 1 real. Hoje eh de 3,2 pra 1. No câmbio paralelo, o real vale 4,3 pesos.

    Ou seja, na corrida de taxi houve um aumento de 150%. Já o câmbio oficial aumentou uns 30%

    Uma cerveja Quilmes Cristal de 600ml custa 70 pesos num bar qualquer. Isso, a câmbio paralelo sai a quase R$ 18. Se pensarmos que uma cerveja no Brasil custa R$ 8, aqui ta o dobro.

    São raros os casos em que as coisas estão mais baratas. Na média, esta no mesmo preço ou um pouquinho mais caro que no Brasil.

    • Ernesto Lippmann

      Quanto aos preços de bebidas em bares, concordo com voce, estão no patamar do Brasil, e a Argentina encareceu desde o último ano.
      Repito que para a Argentina valer a pena é necessario usar o cambio paralelo, no oficial, os preços sao equivalentes a New York, ou Paris.
      Quanto ao free shop só vale a pena se voce trocar os dólares por pesos no paralelo, e usar os pesos no free shop que são cotados na cotação oficial. Assim, seu perfume de 70 dolares, sairia por mais ou menos 50.

    • Bruno

      Marcelo, você poderia explicar melhor como se faz o procedimento para poder reservar produtos no Dufry? Reserva num lugar e pode retirar num outro, é isso?

      • Marcelo Guimarães

        Bruno, vc faz a reserva pelo site. E pode tanto pegar “na ida” quanto “na volta”. Eu fiz qdo ainda estava no Brasil, pelo site. E eh sem compromisso.

        Coloca a cia aérea, número do vôo, data, que com esses dados o Dufry já faz a reserva com base no terminal que vc vão chegar. No meu caso, fizeram pra loja 9 k no TPS 3 (terminal 3).

      • Guest

        Bruno, vc faz pelo site! Fiz qdo estava em BH. A reserva eh sem compromisso. Vc coloca se quer retirar na dia ou na volta. Indica os dados do vôo (data, cia, número, etc) e eles já fazem a reserva pra loja do terminal (qdo existir mais de 1, que eh o caso de SP) que vc vai desembarcar ou embarcar.

    • Carlos

      Realmente o Ernesto está certo Marcelo:

      Você que não fez as contas:

      Eis elas:

      – Perfume de US$ 70 no câmbio oficial argentino sai por 609 pesos; e

      – No entanto para conseguir esses mesmos 609 pesos no paralelo são precisos apenas US$ 47. Logo, mais barato que os US$ 60 aqui de SP.

      Com o mesmo raciocínio o Lindt sai a US$ 17 e a caixa de Red US$ 170.

      Portanto, só nós 3 itens expostos a economia seria de US$ 107, ou seja, por volta de R$ 300,00!!!

      Bela dica!!!

      Abraços

    • Gisele

      BsAs está MUITO cara, desde o táxi até a comida. Até as coisinhas cacarecas da Feria de San Telmo… Agora entendo melhor como era viver no Brasil na época da inflação a 50%… dinheiro não dá pra nada. Nem a Farmacity tá salvando mais e olha que eu gastava muito lá, comprava produtos de higiene pra usar por seis meses até eu voltar e dessa vez não trouxe quase nada…é uma cidade que eu amo e vou sempre, mas como o preço batendo com o Brasil, acho que vou alterar meus destinos.

    • Daniela Braga

      Quanto aos restaurantes, acredito que seja importante um roteiro antecipado sobre eles. Por exemplo, na minha última ida a BsAs dei uma pesquisada nos melhores rests do mundo e havia um Argentino (http://www.theworlds50best.com/latinamerica/br/The-List/21-30/oviedo.html). Paguei cerca de 180 reais para duas pessoas a seleção do chef com 5 pratos (duas entradas, primeiro prato, segundo prato, sobremesa e café ou chá) e vinhos a vontade, harmonizando com os pratos. Isso definitivamente não é caro! Enfim, em outros rests paguei bem em conta tbm, mas pesquisei bastante com antecedência, não sai entrando em qualquer restaurante aleatoriamente na hora da fome, rs. Abs

  • flavio

    Vale pelas dicas.

  • Marcelo Guimarães

    Câmbio, HOJE (19/02/2015) eh mais vantajoso trocar real (4,3 peso por real) do que dólar (10,4 peso por dólar). Basta fazermos um paralelo entre as moedas. O dólar valeria a pena se tivesse com cotação no Brasil ABAIXO de R$ 2,25

    • Daniela Braga

      Na minha concepção desde o ano passado vale mais a pena trocar real ao invés de dólares. Quando fui pela ultima vez (junho) estava 5 por 1 real e o dólar 12, no más 13… ou seja, real era mais jogo. Hoje com o dólar a quase 3, não tenho dúvidas que o real é a melhor opção. Abs

      • Marcelo Guimarães

        Tb acho, principalmente se vc nao tiver o dólar, e tiver que comprá-lo.

        Em cada “compra” e venda vc perde algo pra casa de câmbio. E qualquer coisa que sobrar, ao fazer câmbio pra transformar em real, vc perde novamente.

        Usando a cotação que se paga no dólar em casas de câmbio brasileiras, e no que te pagarão aqui, se houver diferença positiva (pelo menos na data de hoje) será uma porcentagem muito baixa. No que eu achei ate agora, o real leva uma ligeira vantagem (4 pesos por real e 11.8 por dólar, sendo que deveria ser 12 pra ficar pau a pau). Sem contar todo o “trabalho” de fazer a conversão do real pra dólar.

        Quem já tem, aí vale a pena. Parte do câmbio que eu fiz, usei euros que sobraram de uma viagem. Mas comprar dólar pra transformar em peso, nao animei a fazer nem acho que valha a pena.

  • Alexandre

    O dinheiro falso e os taxistas malandros são os que me desanimam a visitar novamente a cidade.
    Na última vez, do Aeroparque para o centro o motorista deu uma volta desnecessária pro dentro da Recoleta! E argumentar contra isso em espanhol, que não domino, fica complicado.
    abraços

    • ivan

      Exatamente. Na minha última viagem peguei um taxista no AEP que ficava me apontando coisas pelo caminho, sendo que eu nunca entendia o que ele queria mostrar. Na verdade era só para distrair minha atenção enquanto ele “pedalava” um dispositivo que acelera o medidor loucamente. A corrida até o centro teria custado mais de dez vezes o preço normal não fosse a tremenda briga que eu armei. No fim deu tudo certo, mas depois deste episódio eu realmente desanimei de voltar.

      • Daniele Alves

        Uma boa solução pra isso é tentar negociar o valor antes da corrida, eles sempre tem uma base de quanto dá. Sempre faço isso em qualquer taxi que pego em qualquer lugar, seja brasil ou fora. Outra coisa é ver antes a distancias entre o aeroporto e onde vai ficar e os nomes de algumas ruas principais pra não ir com cara de que não sabe nada meso. Acho que isso ajuda a evitar taxista enrolão.

    • Welton

      O taxi é tão barato, que mesmo que ele dê voltas e voltas, ainda custa metade de qualquer cidade brasileira. Nunca tive problemas em BsAs.

  • Francieli

    Comprar no free shop em pesos é maravilhoso. Para quem vai para Foz do Iguaçu, a dica é ir até Puerto Iguazu (ao lado), há um free shop novinho, grande, com várias lojas e dá pra pagar tudo em pesos. Fui em dezembro e realmente vale muito a viagem! Mesmo quem não vai para Buenos Aires pode aproveitar essa dica. Dá para comprar muito gastando pouco.

    • Ernesto Lippmann

      Otima dica! Não sabia dela! Boa desculpa para voltar para Foz!

    • Welton

      E qual o câmbio de real/pesos em Foz, a média???

    • Nemo

      Já fiz a mesma coisa em Foz, e valeu muito a pena principalmente a parte de bebidas que neste freeshop é muito barato, e também aceitam reais. Em relação a FreeShop em especial já fui também para o Macapá no Brasil que é Zona de livre comercio e tem uma loja chamada Top Internacional, que tem preços excelentes, com imposto mega reduzido. E de rebarba você visita várias belezas naturais. 😉 . Aproveitando voltei no começo do mês da Europa e chegando em SP o FreeShop da volta estava bem carinho.

  • Bruno

    A questão de pagar táxis com notas de 100 pesos não é mito e não tem maior relação com a falta de troco e sim com o golpe de troca da nota por outra falsa, até o NatGeo já fez um documentário sobre o assunto. Não tive problemas com isso pois sempre carreguei notas pequenas mas, apesar de só pegar rádio táxis de cooperativas, em uma das corridas percebi o taxímetro avançando muito mais rápido na volta que na ida, em mesmo horário. Olhei com atenção o taxímetro e havia uma fitinha, como estas da bahia, bem onde fica o lacre do aparelho. Pedi p/ o taxista parar na próxima esquina dizendo que mudei de ideia, e peguei outro táxi. O problema foi resolvido mas perdi alguns pesos pela nova bandeirada e pelas quadras percorridas com o taxímetro adulterado.

  • fábio pereira

    Alguém sabe informar onde encontro esse câmbio blue em Mendoza?

    • Guilherme Roca

      Fábio, é bem fácil achar.
      O local que você deve ir para trocar grana em Mendoza
      é na Av. San Martin, acho que esquina com a Peatonal Sarmineto. É uma
      galeria que fica ao lado de um McDonalds e dá pra rua lateral onde tem
      um banco Galícia.
      Mas cuidado, lá a taxa de câmbio varia muito de cambista pra cambista. Você pode achar taxas iguais, melhores ou piores da que encontra em Buenos Aires. Então quando for negociar, puxa a pechincha sem dó, e pule para o próximo cambista se não gostar.

  • Marcelo Guimarães

    Pra quem vem sozinho ou em ate 2 pessoas, a melhor opção de ir do aeroporto (EZE) ate a cidade de Buenos Aires eh pegar o Tienda León – serviço de translado do aeroporto a BsAs via ônibus com ar-condicionado. Vc vem de ônibus ate o terminal Puerto Madero e depois te colocam num carro comum, junto com outros passageiros (ate o limite de 4). Custa $ 140 pesos por pessoa (já incluso o transfer).

    • Patricia Carvalho

      Usei esse serviço da última vez que estive por aí e recomendo! E se o voo é noturno e a diária vence no meio do dia vale muito a pena deixar a bagagem nos bagageiros de locação e curtir um pouco mais a cidade!

  • Julio

    Realmente acho que não é legal aconselhar o uso do cambio paralelo. E o Melhores Destinos como um site de referência não deveria respaldar esse tipo de atitude, um erro não justifica o outro…
    Se o governo se não concorda com o cambio artificial não vai pra lá…

  • Enio Araujo

    Otimas dicas…Moro em Buenos Aires faz 5 anos e trabalho com turismo e sempre estou dando essas dicas pro meus clientes que chegam com pouca informacao da cidade e a meus amigos do Brasil estou sempre compartilhando os links do MD.

  • Marcelo Guimarães

    Muitos restaurantes aceitam reais. Alguns na citação “oficial” (nesse caso eh fria). Noutros na cotação paralela (aí vale a pena).

    Ontem fomos jantar no La Banca Café, na Av Córdoba. Pedimos um Bife de cuadril ($ 106), um Bife de costeletas ( bisteca – $ 107), uma garrafa de vinho (375 ml a $78), uma cerveja Quilmes Cristal 600 ml ($ 66), além de uma água e pães que vem qdo se sente a mesa (eh cobrado a parte, mesmo se nao consumidos).

    OBS: Todos os pratos acompanham uma única guarnição, que pode ser arroz, salada mista, batata frita ou purê de batata. O meu prato veio arroz e carne. Da minha noiva carne e batata frita. Me satisfez pois nao estava com muita fome, mas nao me satisfaria num almoço, tampouco da pra “dividir” o bife.

    A conta ficou em R$ 95 ou AR$ 417. Sem os 10%. Preferi pagar em peso e dei 450 pesos já com os 10%. Esse nem eh considerado um “restaurante” (apesar de tb ser). Como o nome diz, eh um Café!

    Em bons restaurantes, vc gasta pelo menos 400 pesos por pessoa pra pedir um prato e uma bebida (sem exageros).

  • Carol

    Amei visitar Buenos Aires! Eu e meu noivo fomos em outubro do ano passado. Todos foram incrivelmente simpáticos conosco, desde o pessoal do aeroporto, até o pessoal do hotel e dos restaurantes, os vendedores de rua, das lojinhas 24h, todos mesmo!
    Recomendo fortemente o Europlaza, pois fica no centro, dá para fazer tudo a pé, além dos quartos confortáveis com banheira, por um preço ótimo.
    Tive sorte pois quando fui o real estava valendo AR$ 5,60, então tudo se tornou muito barato, desde o hotel até os passeios.
    É uma boa reservar o hotel e pagar quando chegar lá, diretamente para eles, assim é possível que o câmbio seja mais vantajoso.
    Troquei meu dinheiro na Rua Florida, 142, sala 36 (disfarçada de loja de notas antigas), só levei reais mesmo.

    Aiai que saudade de Buenos Aires!!!

    • Piriri

      Oi Carol, vc reservou direto no site do hotel ou usou decolar.com?? obrigada!

  • Carol

    Ah! Uma boa dica são as farmácias FARMACITY, lá tem muitas makes difíceis de encontrar no Brasil e que quando achamos o preço é péssimo. Lá é tudo bem em conta e sai mais barato que pegar no freeshop. Aliás, o freeshop não tinha nada barato.

  • Carol

    Para ver show de Tango, recomendo o El Querandí. Quando fui, reservei com o Hotel. Gostei muito!!!
    Pagamos 900 pesos por pessoa para assistir o show de Tango no Querandí. O valor incluiu o show, transfer de ida e volta, jantar com entrada, prato principal, sobremesa, uma garrafa de vinho p/ cada um e outras bebidas como água e refrigerante à vontade. Como o câmbio blue estava AR$ 5,60, acabou saindo R$ 160 por pessoa, o que achei fantástico, pois o show durou cerca de 3 horas, o restaurante era muito chique, fomos muito bem tratados e ainda ganhamos uma fotografia nossa, tirada durante o show.
    Aqui em SP mesmo, se eu for jantar em algum lugar mais chique já gasto muito mais do que isso.

    Agora imagino que o câmbio não está tão bom quanto antes, mas ainda assim vale o preço!

  • Ernesto Lippmann

    Bruno, isto relamente existia, mas quando a nota de 100 pesos tinha efetivamente um valor alto, o que não ocorre mais Atualmene ela vale cerca de 8 dólares, e é basnte comum que um corrida fique entre 40 e80 pesos, de modo a que não há mais sentido neste golpe, nos dia de hoje. Acho que voce deu azar, nunca tive este problema.

    • Heron

      Eu já passei por esse golpe, em 2008, primeiro vez que fui em BsAs, no tempo que 100 pesos ainda era muito dinheiro. E era um táxi oficial. Quase acabou com minha viagem, pois perdi a graça no país na mesma hora. Mas, depois de um dia a raiva passou e consegui aproveitar. Mas lhe digo: não tenho mais vontade de voltar lá não. Prefiro ir em Santiago.

      • BuenosAiresNemMePagando

        Meu…isso é desolador. De verdade. Sempre vejo as pessoas falarem tão
        bem de Buenos Aires que sempre tento acredita que fui à cidade errada
        [repeti o mesmo erro por três vezes depois da primeira vez].
        Infelizmente a tal Buenos Aires de contos de fadas deve ter existido ou
        existir noutra dimensão que não a minha. Só pode. Motorista de táxi
        ladrão é ‘phueda’, mas, acho que estão em todos os lugares [desconfio
        que não existam em Londres, pois os de lá foram os mais perfeitos que já
        conheci – e morei lá por mais de uma década]. Em relação à capital
        argentina, realmente, desejo apenas ‘suerte’ aos que vão. ‘Que disfruten
        mucho y que la pasen lindo’ mas, para mim, ‘no, gracias’.

  • Ernesto Lippmann

    Trocar apenas o valor mínimo no aeroporto para o Taxi, ou seja 50 reais se voce for para Aerparque, ou 100 Reais para Ezeiza. Não há cambio paralelo no aeroporto.

    • Marcelo Guimarães

      Ernesto, onde recomenda fazer câmbio?

      Fiz no aeroporto do Paraguai e consegui 3,875 pesos por real. Aqui em BsAs, fiz câmbio na Boston Cash (Calle Florida, 142, loja 36, subsolo) e pagaram na data de hoje, 4 pesos por real. Em alguns restaurantes que aceitam real, consegui pagar em real e receber o troco em pesos, onde usaram a cotação de 4,3 pesos – melhor que já encontrei ate agora, porém o restaurante nao era dos mais baratos (o que deixa de ser vantajoso). Sabe dizer se o câmbio da que você indicou (Florida 670) eh bom? Indica alguma outra loja? Obrigado! Abraços

  • Ernesto Lippmann

    Obrigado!

    • Ernesto Malta

      Concordo plenamente com Leandro. As dicas e o texto do meu xará Ernesto são excelentes.

  • Mara Santos

    Só uma correção! Aqui os Argentinos deixam gorjeta sim e é cultural, realmente não é obrigatório mas aqui até em um cafe eles deixam alguma coisa! E total falta de educação e grosseiro não deixar gorjeta.

  • Mariana

    Olá,
    vou em março para Buenos Aires e estou considerando estender a viagem para Mendoza. Fico um pouco receosa em reservar hoteis e deixar para comprar passagem de ônibus (o trecho do voo está caríssimo!) na hora. Realmente é vantajoso correr esse risco? Obrigada!

    • Ernesto Lippmann

      Mariana, se voce não conseguir uma passagem promocional, acho que dá para comprar o onibus com tranquilidade ao chegar no terminal do retiro, pois é muito mais barato do que o avião, pois a passagem é em pesos. Apenas fique atenta aos feriados argentinos, basta fazer uma pesquisa no google.

    • Jorge

      Pode consultar no site http://www.plataforma10.com.ar (tem a opção português) e ver os horários, preços e empresas de ônibus que fazem Retiro x Mendoza.

  • Carla Maragno

    Dica no.11 – Não abrir a boca pra falar comparar Messi com Neymar, ou Pelé com Maradona, principalmente em La Boca. Eles não aceitam comparações, e você pode se meter em sérios problemas…

  • Ruan

    Só acrescentando ao item 9, Tigre fica a uma hora de trem de Buenos Aires e é linda! Cheia de canais!

  • Antes tivesse lido essa dica quando fui à Buenos Aires…rsrs… Caí no golpe da troca de notas. Peguei um táxi não oficial na saída do Ezeiza (muito burra). E ao chegar no meu destino, o suposto “taxista”, me deixou um pouco longe do hotel, disse que a viagem tinha custado 212 pesos. Aí já começou o assalto! Nenhuma corrida daria isso tudo, mas a inocente aqui sacou 2 notas de 100, uma nota de 10 e uma nota de 2 pesos. Ao que, rapidamente, o “taxista trocou uma nota de 100 por uma nota de 2, e disse que eu havia dado o dinheiro errado…eu resisti insisitindo que tinha dado o valor certo, mas o golpista começou a ser grosseiro… Com medo eu dei outra nota de 100… Somente quando cheguei ao hotel, fui ler um folder que havia sido entregue no aeroporto falando dos golpes comuns que ocorrem na cidade. Esse da troca de notas é um deles. Então, cuidado! Nunca entregue as notas fechadas, sempre entregue contando junto com quem as receberá. E nunca! Nunca mesmo, pegue um táxi que não seja oficial!!!!

  • Felipe Perdiz

    Tem gente que viaja com os precos em restaurantes. Onde já viu pagar $400/pessoa em uma boa comida em Buenos Aires? Exceto que vc vá ao restaurante do Hotel Alvear. Vc vai a Las Cholas (Las Cañitas), Las Cabras (Palermo),Campo Bravo (Las Cañitas e Palermo), La Payuca (Barrio Norte e Alto Palermo) e gasta no mááááximo $250/pessoa comendo um bom bife, entraña etc. Viajam na maionese!!!

    • Marcelo

      Estive em Buenos Aires em janeiro pela primeira vez. Também não vi esses preços absurdos, e olha que fui em vários restaurantes bons e recomendados (La Dorita, La Cabrera, La Cabaña Villegas, etc.). Estávamos eu, minha esposa e meus dois filhos (7 e 10 anos). A conta, para três pratos, variou entre 120 a 200 reais, sempre com vinho incluído.

  • Elisa

    Alguém tem dicas de câmbio blue em Ushuaia?

  • Leandro Godinho

    Ninguém leu? O autor se referiu a uma palavra em espanhol. O correto é com X mesmo!

  • Sheila

    No ano passado, fiz o câmbio com o Turismo Baires (Facebook). Foi muito cômodo porque eles vão no hotel e as notas são marcadas para evitar “trocas” maldosas.

  • Miguelito Garcia

    Bem falado sobre La Boca.

    Vale lembrar que não é recomendado de maneira alguma ir ou voltar pela rua que tem a ponte em cima. Duas vezes que passei por lá os ladrões paraguaios tentaram nos roubar, uma a pé e outra de moto. Felizmente conseguimos sair bem.

  • Paulina

    1. Trocar dolares ou reais no mercado “blue” (apelido pro mercado negro) é crime. Vc pode achar que nao tá bem que seja crime, que a inflacao é um absurdo, mas a realidade é que quando vc troca suas notas no mercado negro, ta indo em contra da lei. E quando vc anima ao pessoal vir na Argentina e fazer isso é apologia de crime, que tambem é crime. Sendo advogado voce deveria saber, Ernesto.
    2. O cartao SUBE pode se pegar em muitas bancas de jornais e kioskes, geralmente no centro da cidade. Eu acho que é o melhor: voce no tem que sofrer procurando 7 pesos em moedas e a tarifa fica no maximo 3.5 pesos dentro da cidade (40 centavos de dolar oficial).
    3. Se voce tem a SUBE pode ir de onibus pro Aeroporto de Ezeiza por volta de 8 pesos. Sao quase 2 horas de viagem – com sorte e sem trafego. Eu acho que a opcao é melhor quando se chega a Buenos Aires. O onibus é o 8 e vai direito tudo pela Av. Rivadavia.
    4. Em temporada alta, esperar ao ultimo segundo pra comprar passagen de onibus pode ser un risco. Voce pode ver se tem ainda poltronas livres en http://www.plataforma10.com
    5. Nao sei aonde voce foi jantar, mas tem “parrillas” muito boas que dan muuuuuuito menos de 30 dolares/pessoa. Eu sempre acho que procurar lugares que nao estejam cheios de turistas mas sim de porteños é uma boa dica de se o restaurante tem precos “locais” ou nao. Saiba que em Palermo, Puerto Madero e Recoleta sempre vai ficar mais caro. Se voce caminha um pouco ate Almagro, por exemplo, com 4 quarterois a mais o preco desce, e muito, e a qualidade nao muda.
    6. Buenos Aires é muito mas que Puerto Madero, Florida, San Telmo e Recoleta (assim como o Rio é mas que Copacabana, Ipanema, o Cristo e Lapa), e tem muito mas que oferecer que um “shopping spree”. Tem muita coisa boa pra experimentar, e se voces deixam as areas turisticas vao encontrar muitos lugares lindos, lindos, lindos. 🙂

    • Professor

      “Se uma lei é injusta, um homem está não apenas certo em desobedecê-la, ele é obrigado a fazê-lo”
      Thomas Jefferson (um dos pais fundadores do EUA).

      Crime é o que o governo argentino está fazendo com a economia. O câmbio negro é apenas uma das maneiras que o povo encontrou para se proteger dos desmandos desse governo. Não há lei que impeça as leis da economia de agirem, é como querer proibir a lei da gravidade por decreto.

      • Jardel Peres

        Ilegal e ilegítimo são coisa completamente diferentes.
        Para algo ser ilegal, basta algum político ou burocrata criar alguma lei ou regulação arbitrária, exdrúxula.
        O mercado negro é ilegal, mas longe de ser ilegítimo. Se não fosse por ele, muito mais pessoas já teriam padecido de fome na Coréia do Norte.

  • Renata

    Voltei de lá agora no carnaval 😀
    Uma informação extra: os ônibus aceitam, além do SUBE, moedas. Mas tem que pedir de troco no restaurante, porque não é comum.

  • Paulina

    1. Trocar dolares ou reais no mercado “blue” (apelido pro mercado negro) é crime. Vc pode achar que nao tá bem que seja crime, que a inflacao é um absurdo, mas a realidade é que quando vc troca suas notas no mercado negro, ta indo em contra da lei. E quando vc anima ao pessoal vir na Argentina e fazer isso é apologia de crime, que tambem é crime. Sendo advogado voce deveria saber, Ernesto.
    2. O cartao SUBE pode se pegar em muitas bancas de jornais e kioskes, geralmente no centro da cidade. Eu acho que é o melhor: voce no tem que sofrer procurando 7 pesos em moedas e a tarifa fica no maximo 3.5 pesos dentro da cidade (40 centavos de dolar oficial).
    3. Se voce tem a SUBE pode ir de onibus pro Aeroporto de Ezeiza por volta de 8 pesos. Sao quase 2 horas de viagem – com sorte e sem trafego. Eu acho que a opcao é melhor quando se chega a Buenos Aires. O onibus é o 8 e vai direito tudo pela Av. Rivadavia.
    4. Em temporada alta, esperar ao ultimo segundo pra comprar passagen de onibus pode ser un risco. Voce pode ver se tem ainda poltronas livres en http://www.plataforma10.com
    5. Nao sei aonde voce foi jantar, mas tem “parrillas” muito boas que dan muuuuuuito menos de 30 dolares/pessoa. Eu sempre acho que procurar lugares que nao estejam cheios de turistas mas sim de porteños é uma boa dica de se o restaurante tem precos “locais” ou nao. Saiba que em Palermo, Puerto Madero e Recoleta sempre vai ficar mais caro. Se voce caminha um pouco ate Almagro, por exemplo, com 4 quarterois a mais o preco desce, e muito, e a qualidade nao muda.
    6. Buenos Aires é muito mas que Puerto Madero, Florida, San Telmo e Recoleta (assim como o Rio é mas que Copacabana, Ipanema, o Cristo e Lapa), e tem muito mas que oferecer que um “shopping spree”. Tem muita coisa boa pra experimentar, e se voces deixam as areas turisticas vao encontrar muitos lugares lindos, lindos, lindos. 🙂

    • Ernesto Lippmann

      Paulina, pode até ser apologia de crime na Argentina, no Brasil não é . E, como já lhe falei nunca li noticia em um jornal argentino de um turista ser preso por trocar dolares no cambio paralelo. Me corrija se eu estiver errado. Pariculamrente eu consegui comprar passagem de ultima hora proximo ao natal sem qualquer problema, e no site voce vai pagar a passagem pelo cambio oficial. Ha churrascarias de todosos preços, claro, mas se voce pede um vinho razoável, um a agua e uma carne por pessoa, e com gorjeta, eu raramente achei nesta última viagem abaixo deste preço. No passado era bem mais barato. O onibus comum de EZeiza é uma mão de vaquiceque eu fiz uma vez e desrecomendo. Não é perigoso, maao trajeto e muito mais demorado,embora seja seguro. .

  • Júlio César

    Vocês que levam dolares e trocam por pesos, onde trocam reais por dolares aqui no Brasil ?

  • Gheiza

    Mas é bom tomar cuidado com os taxistas porque eles costumam passar notas falsas de 10 pesos. Fui vítima desse golpe e passei a andar de taxi sempre com dinheiro trocado e claro,quando a corrida era grande eu sempre calculava o valor a dar para não ser sernecessário troco de notas de 10 pesos

  • Giuseppe Zuliani Martin

    Muito obrigado Lippmann pelas valiosas dicas. Estou indo no final de Agosto com minha família(mãe, pai, esposa, filho, sogra, etc.) em uma promo da Qatar. Vamos em 9 pessoas. E ficaremos 15 dias. Nossa ideia é ficar uns 5 dias em Buenos Aires, e depois seguir para Mendoza ou Bariloche. Estamos na dúvida se vamos de carro, onibus ou avião. O que acha mais interessante e economico? Qual o melhor destino para passar os proximos 9 dias? Pensei em Mendoza por ser mais perto, e por ter mais atrativos(vinícolas, estações de esqui, Andes, Proximidade com o Chile). Qual sua opinião?

    • Ernesto Lippmann

      Guiissepe, veja que em Agosto poderá estar um pouco frio em Bariloche, e portanto isto depende do seu gosto quanto a isto. Pessoalmente acho 9 dias demais em Mendoza, pois em 2 voce vai as vincolas, em mais 1 aos Andes e não há tanto o que fazer. Se eu tivesse 9 dias, iria para Bariloche,ficaria 1 dia na Cidade e depois alugaria um carro indo pela ruta dos site lagos até San Martin de Los Andes via Villa Angostura, e iria ao Parque Lanin e até mesmo ao Chile para Pucon (converse antes com a locadora pra pedir o permisso, e confira as condições das estradas ) De Buenos para Barilche são quase 2000 kilometros,é puxado para ir de carro, e só os últimos 400 depois de Neuqem tem paisagens bonitas, e mais barato ir de onibus.

  • Raquel

    Cambio negro devia se chamar as casas de cambios legais, pois essas sim exploram!!!!!

  • Marcelo Guimarães

    Onde fez o câmbio? Estou em BsAs e nao achei casa nenhuma que paga mais que 12 pesos por dólar ou 4 por real. Só nos restaurantes consegui o câmbio a 4,3 pesos por real.

    • Deurges

      Trocava na Florida com corrientes , nas bancas de revistas.

    • Erika Camargo

      Nao sei como está agora, estive ai na ultima semana de janeiro, fiz a troca em uma galeria na Florida 250, em uma loja de nota antigas, conseguimos 14 pesos por dólar, foi o lugar com o melhor preço que encontramos. Vale a pena!

      • Marcelo Guimarães

        Fiz hj na Boston Cash e olhei preço em varias outras. Real ta valendo 4 pesos (caiu muito na semana antes do carnaval. Coincidentemente, nessa semana o dólar aumentou muito. Creio que tenha relação direta) e o dólar achei no máximo a 11.8 pesos.

        • Daniele Alves

          Estive na semana passada e sempre troquei real por 4,50 numa banca de revistas, na Corrientes, quase chegando na Florida. A banca fica em frente a Coca Cola e vc entra na banquinha e faz o cambio bem tranquilo, sem problema com notas falsas. Super recomendo.

  • Elaine Oliveira Brandao

    Oii… Adorei as dicas… estou indo a Buenos Aires em Maio. Estou um pouco confusa e tenho algumas duvidas… podem parecer bestas… mas nunca sai do Brasil e ainda não entendo mt bem algumas regras. Espero que não me levem a mal.

    1-Pelo post, percebi que recomendam levar dolar na bagagem… (existe um limite permitido ou preciso declarar esse dinheiro?) Pergunto pq em filmes ou telejornais já vi pessoas sendo paradas por estar levando dinheiro escondido… sempre achei que viajar com valores pudesse ser ilegal por causa dessas cenas em filmes.

    2- Vi que não recomendam o uso de cartão de crédito. Até entendo, pois o cambio anda muito instável. Mas posso levar cartão de débito? ou existe alguma maneira de sacar dinheiro? Bom, não tenho costume de andar com altos valores, e aqui no brasil me acostumei com o cartão de crédito e débito, fico muito apreensiva em ter de levar uma alta quantia na bolsa. Medo de assaltos tanto na rua como em hotéis.

    Penso em comprar alguns souvenir, ir a restaurantes, fazer passeios, em fim, isso será um bom gasto. então quanto devo levar? Alguma sugestão?

    3- A parte que fala sobre Free Shop. Ainda não entendi qual a vantagem dessas lojas. nem como funcionam. O post não ficou mt claro, pra mim, que não entendo do assunto e nunca ouvi falar. Por acaso vão me devolver 40% , no aeroporto, do valor da mercadoria comprada? Alguém pode explicar com detalhes como funciona.. onde posso comprar com esse desconto de 40%?

    4- Também penso em andar pela cidade de ônibus ou metrô, sempre que viajo no Brasil costumo usar o meio de transporte publico, por sair mais em conta, e por me sentir um pouco mais no dia-a-dia da cidade. E vi a dica do cartão SUBE, bilhete único. Ele pode ser usado em trens e metro, além do ônibus? E também gostaria de saber se o cartão é de uso pessoal, por exemplo, posso adquirir um único cartão e numa mesma viagem passar mais de uma vez? Pois iremos em 3 pessoas, e a intensão é saber se podemos sair juntos e pagar a passagem com um único cartão.

    5-Vamos viajar pela QATAR, na promoção que vimos aqui no MD. O destino é o aeroporto de Ezeiza, pelo visto ele fica mais distante de Buenos Aires. Existe meio de Transporte publico para o centro ou a unica forma de chegar ao centro é o Taxi?

    6-Vamos ficar 6 dias em Buenos Aires, pensei em conhecer outra cidade ou fazer um passeio de trem. Alguma dica? Gostaria mt de conhecer um vinicula, pois adoro vinho e um dos colegas que irá na viagem, faz curso sobre vinho. então gostaríamos de unir o útil ao agradável. Mas quando procurei sobre o assunto, visita de viniculas e degustações de vinhos, vi indicações de cidades distantes de Buenos Aires, como Mendonza, que fica a 12h de carro. Não sei se compensa tirar uns 2 dias para ir visitar as Viniculas, visto que ficaremos apenas 6 dias na Argentina.

    7- Existe alguma cidade, de beleza natural, histórica ou cultural próxima de Buenos aires que compensa conhecer? Visto que ficaremos 6 dias na Argentina. Mesmo que o percurso seja feito de Trem ou onibus. Confesso que gostaria mt de fazer um passeio de trem, como nunca andamos de Trem e podemos nos deparar com belas paisagens, acho que pode ser incrível, alguma dica nesse sentido?

    Bom acho que é “só isso”… rsrsrs… Se alguém puder responder… ficaria mt agradecida.

    • Ernesto Lippmann

      Elaine
      1- Fique tranquila o limite de valores é de R$ 10.000,00 por pessoa, ou seja mais de 3000 dólares. Acima disto pode ser levado, mas deve ser prenchida antecipadamente uma declaração de porte de valores no site da receita federal.
      2- Pode levar cartão, mas tudo vai ser convertido no cambio oficial, o que é muito desvantajoso. Qaunto voce vai gastar, depende muito do seu padrão de viagem. Pense quanto voce gasta por dia numa viagem no Brasil, e leve um pouco mais.
      3- No free shop voce tem que trocar dolares por pesos no paralelo, a aproximadamene 13 pesos por dolares. Na hora de converter a compra fixada em dolares no caixa, irão considerar a cotação oficial, aproximandamente 8 dolares por peso. Este é o “milagre”.
      4- O sube pode ser usado no metro e onibus, e acredito que nos trens. Mas, como turista o unico trem que vale a pena é o que vai para o Tigre, e voce pode pagar na bilheteria.
      5- Tranporte viavel, só de taxi, ou nos onibus da Tienda e Leon. Há um onibus urbano, mas e muito demorado e cansativo. É pior até mesmo do que Guarulhos, infelizmente.
      6- As vinicolas são longe de Buenos. Só em Santiago do Chile há vinicolas proximasda Capital.
      7 – Como passeio de trem, o melhor e o trem da costa, que vai até o Tigre. Há otimos passeios de trem, mas fora de Buenos Aires, como o Vapor la Tronchita, o expresso patagonico, que vai uma vez por semana para Bariloche,e a viagem pelo Trem das nuvens em Salta.
      Espero ter ajudado.

      • Elaine Oliveira Brandao

        Obrigada Ernesto… ajudou mt… =D

  • Leandro souza

    Alguem saberia dizer quanto fica o Taxi do centro de BsAs até o aeroporto Ezeiza? preciso calcular se compensa ir por lá! obrigado!

    • Ernesto Lippmann

      Veja no site da tienda e leon, empresa oficial de transportes

    • Gilberto

      Se serve de referencia (tiendaleon.com), o remis que eh “mais caro” sai por volta de ARS450. Portanto um taxi sai menos. Problema eh que o preco do remis eh fixo e voce nao estara sujeito a pagar quando o taxi estiver parado, devido ao transito terrivel de la. Se estiver sozinho, acho mais negocio o bus executivo deles, 130 ou 140 ARS. Normalmente pagando u adicional, eles te transferem do terminal deles em Retiro para hoteis da regiao a um custo bem vantajoso de carro, ou seja, a partir deste ponto.

  • Suéllen

    Ótima matéria! Eu e meu marido estivemos em BsAs entre 21 e 27/01/2015. Fomos de carro, saindo de Telêmaco Borba-PR, indo pelo Rio Grande do Sul, pudemos conhecer Gramado e Punta del Este, depois atravessamos de Buquebus pela Colônia. Levamos reais e doláres e lá trocamos aos poucos. No primeiro dia pegamos uma pequena quantidade no hotel a 11,00 pesos o dolar. Depois trocamos numa banca de revista na Florida por indicação de lojista. A medida que a gente precisava de dinheiro, a gente trocava. Na época pegamos 4,70 pesos no real, e 13,30 no dolar. Uma dica é: antes de pagar a conta pergunte a cotação do estabelecimento, e pague com a moeda que te convém mais. Na volta passamos por Santa Fe e Corrientes, e com isso paramos no Duty Free de Puerto Iguazú, e realmente compensou muito gastar os pesos que sobraram lá (aproveitamos pra abastecer o carro com pesos tbem +- R$2,80 o litro da gasolina).

  • Marcelo Guimarães

    Eu nao achei nenhuma casa que pagasse mais que 11,80 pesos por dólar ou 4 pesos por real.

    Talvez o “mapa da mina” seja saber onde se faz câmbio, pra assim valer a pena! Aí sim, concordaria com o raciocínio!

  • Don Kalima

    Ninguém falou nada aqui, mas tem um serviço de van que sai do ponto ao lado do terminal A de Ezeiza e para na Avenida Belgrano por menos de 20 pesos. Sai a cada meia-hora. Uso frequentemente, bom que não tem turistas toscos, é barato e os caras andam bem na auto-pista. É Ezeiza alguma coisa o nome do serviço. Outro detalhe que aqui esqueceram, a Argentina está remodelando boa parte da malha ferroviária, hoje é possivel viajar a vários destinos usando trens chineses novíssimos, desde a classe mais simples até vagões dormitórios. Rotas como Mar del Plata, Rosário (março agora), algumas cidades em La Pampa e futuramente será remodelado o Córdoba, são atendidos por estes novos trens. Esqueça voar na Argentina rotas curtas, é caríssimo, vá de trem.

    • Saterb

      Don Kalima, gostei de sua dica. Será que você poderia passar outros dados que me permitam utilizar esse transporte (van) que você citou? Sabe se ele funciona nos finais de semana e se é fácil localizá-lo?
      Chego em Buenos Aires no próximo sábado e não queria “morrer” em mais de R$ 120,00 num táxi.
      Obrigado!

    • Ernesto Lippmann

      Don, otima dica, eu não sabia. tanto da dica dos trens quanto deste serviço de Van. É ótimo ter a colaboração dos leitores para termos novas noticias!

  • Raimundo Alves

    Vou para El Calafate em abril, e vou ter que mudar de aeroporto em Buenos Aires. Alguém tem alguma dica para o traslado entre Ezeiza e o Aeroparque?

  • Renan Santos

    Uma dica importante, no aeroporto de Ezeiza passa o ônibus linha 8 para o centro. O ônibus só é pago em moedas, portanto, ao fazer a troca pelo peso, peça ao atendente moedas também. Me deram 20 pesos em moedas e aí passei na maquininha do ônibus. Paguei 9 pesos na passagem. Na cidade, procure pela tarjeta sube (cartão) em vários quiosques e recarregue. Andar de ônibus em Buenos Aires com cartão sube sai MUITO barato!

  • Ernesto Lippmann

    Aceitam, sim, mas se não me engano são 6 ou 7 pesos por viagem e é praticamente impossivel obter este valor em moedas, pois não aceitam notas, e há falta de moedas.

  • Quer dizer que é mais honesto, ser desonesto com a desonestidade do governo? kkkkk

  • Presta atenção… Ele tá corrigindo a grafia de uma palavra escrita no Espanhol.

  • Daniela

    Dicas bacanas, mas vale ressaltar que os Argentinos sempre trataram bem os Brasileiros, não e uma situação recente. Digo isso pois visito a cidade a mais de vinte anos e sempre encontrei a mesma cordialidade de los hermanos. Existe bastante medo e preconceito dos brasileiros que vão por primeira vez, situação essa que logo muda e tornam-se frequent flyers de Buenos Aires.

  • Gilberto

    Alguem tem dicas confiaveis de onde efetuar o cambio blue em Bariloche e tambem traslados mais baratos do aeroporto local (BRC) para a cidade? Grato!

    • Ernesto Lippmann

      Gilberto, na rua principal de Barilche, há alguns câmbios disfaçados de malharias, Desta vez fui de^ônibus para Barilche, e não saberia lhe informar o preço do translado, mas já fui em vezes anteriores, e os taxis não eram caros. Apenas para comparação, fui numa excursão a cavalo perto do aeroporto, e o remis cobrou 110 pesos, um pouco menos de 10 dolares.

      • Gilberto

        Ernesto, muito obrigado pela tua prontidão em ajudar as pessoas. A propósito, ótimas dicas e senti me atualizado, embora viaje a cada 2 anos para la. Parabéns! Eu só acrescentaria uma coisa: tendo em mente que a moeda argentina eh “podre” (no sentido de não ter estabilidade no mercado), procure não voltar com quantidade de pesos consideráveis e volte com o bolso limpo, isento deles, até mesmo para aqueles que viajam para lá com uma certa regularidade. Voltei com 90 pesos em 2013 q valiam cerca de 11 dólares no câmbio Blue e hoje já valem pouco mais da metade da epoca. Fica está dica!

      • Gilberto

        Nao saiu a resposta que envie, portanto gostaria de te agradecer pela imensa prontidao em ajudar os demais, eu incluso. Valeu!

        • Ernesto Lippmann

          É um prazer!

  • Andreia Pinheiro

    Muito legal as dicas do MD. Vocês são fera!

  • Gilberto

    1) Normalmente nao se pode sair e ingressar a nenhum outro pais com montante superior ao equivalente a USD10.000 em especie e titulos e deve ser declarado tanto na saida, quanto entrada dos paises envolvidos. Do contrario, podera ser confiscado e tambem preso. Nao eh proibido viajar com valores superiores a essa cota, apenas tem que ser devidamente declarado.

    2) Poder, pode. Mas alem das contas serem transformadas em dolares na cotacao do teu cartao, sujeita a instabilidade economoca, seja debito ou credito, voce estara sujeita a IOF de 6,38% sobre os lancamentos, seja saques ou compras. Se for sacar, jamais utilze a funcao credito que ai vem mais taxas em cima.

    3) Esta bem explicado, Releia. A diferenca entre a cotacao oficial e o paralelo eh cerca de 40%, isto eh, se voce trocar divisas no cambio paralelo (blue), estara recebendo mais pesos que receberia na cotacao oficial e como os precos praticados no free shopping sao em dolares e convertidos a cotacao oficial em peso, logo, voce se beneficia utilizando se desta pratica.

    4) Pelo que da a entender, nos onibus, sim, no metro ainda nao adotaram, mas como isso eh pos 2013, nao saberia te informar, mas acredito que so nos onibus por enquanto e talvez nos trens de suburbio. E se o smart card for como penso, pode ser utilizado para varias pessoas, sim e vai sendo debitado conforme passar na maquina, assim como eh o similar em Santiago do Chile, que permite esse expediente, ja que o transfer nao parece ser permitido e computado.

    5) Tem um onibus, mas nao compensa. Eh so 8 pesos, mas voce ficaria horas presas no transito la que esta quase tao ruim quanto as grandes metropoles brasileiras. Ha um meio termo, onibus executivo (tiendaleon.com) a 140 pesos. MAs se estiver em 4, ai compensa contratar pela mesma empresa o chamado remis, que eh um carro com motorista e o preco eh fixo e nao sujeito a extras, caso tenha transito parado, etc. Com o bus, eles levam ate o terminal da empresa em Retiro e la te alocam num destes veiculos ate o hotel com um adicional.

    6) Nunca foi para Baires? Ah, entao fique por la mesmo. NAo faltara coisa para fazer neste dia e ainda faltara tempo. Besteira ir conhecer outro lugar, principalmente longe e que perderia um dia de viagem.

    7) Se insistir, vai para Tigre de trem, saindo da Estacion Retiro e pegue tb o Tren de La Costa ate o Delta do PArana, ha um passeio de barco, mas recomendo so se esgotar o que fazer na Capital Federal.

    • Elaine Oliveira Brandao

      Obrigada… Foi bem esclarecedor.. =D

  • Marcelo Guimarães

    Do aeroporto ate a cidade a Taxi Ezeiza cobra 400 pesos e a World Car SA cobra 430. A volta custa 340 e 350, respectivamente. Tem uma brasileira que vc agenda por email e ela cobra em reais (ideal pra quem nao fez câmbio). Os preços são R$ 95 e R$ 90.

    Mas tem um ônibus (Manuel Tienda León) que te leva ate o centro e de lá faz o transfer via carro normal (junto de outros passageiros) e cobra AR$ 140.

  • Marcelo Guimarães

    Na ZARA (Calle Florida 655) tem umas roupas masculinas com preços muito bons.

    Moleton a AR$ 199
    Camisa malha a a AR$ 99
    Calça jeans a a AR$ 399

  • Marcelo Guimarães

    Perto da Galeria Central? Se for, Dólar 11.6 e real 4

  • Marcelo Guimarães

    Conversei com varias pessoas e o real caiu muito o preço. Curiosamente o dólar subiu muito no Brasil. Penso que tem uma relação direta, afinal dólar eh moeda forte, real eh fraca e peso muito fraca. Devem se basear tudo pelo dólar.

  • FKN

    Cuidado! Na ultima vez que estive em Buenos Aires, sofri tentativa de assalto dentro da Catedral Metropolitana (defronte a Casa Rosada) aonde estaja ajoelhado rezando. Tentaram levar minha mochila, mas saí correndo atras do ladrão e o alcancei na porta da igreja. Segundo a polícia local, tem sido frequente. Assim, sugiro muito cuidado com seus pertences lá dentro, pois nao estão perdoando nada por lá…

  • Ana Leticia

    Muito cuidado com furtos no metrô.
    Meu namorado sofreu uma tentativa de furto da carteira, que estava no bolso lateral da bermuda. O bolso tinha botão e por este motivo o rapaz bem apessoado não conseguiu retirar a carteira dele.
    Os dois estava em pé, e o rapaz sempre se aproximando dele. Ele afastava, o rapaz aproximava. Até que ele percebeu o que estava acontecendo, um outro rapaz acenou pra ele e o ladrãozinho saltou na primeira estação que o metrô perou!

  • Daniela Braga

    Excelente as dicas do Ernesto! Sempre que me perguntam dou a dica do câmbio paralelo e recomendo levarem uma daquelas canetas para checarem se há dinheiro falso! Essas canetas são facilmente encontradas em papelarias! Se o real ainda estiver uns 5 pesos por 1 real e o dólar custando quase 3 reais, talvez compense trocar em real mesmo. As dicas do ônibus foram muito boas, já deixei de conhecer outras cidades pois as passagens de avião estavam extremamente caras. Fazendo um roteiro menos apertado dá pra pensar em usar ônibus mesmo! Valeu Ernesto! Abs

  • Gustavo Cardoso Süsstrunk

    Podiam fazer um guia atualizado assim de Santiago, comprei na gol pela dica que vi no MD!

  • Marcelo Guimarães

    A grande duvida eh de como se consegue 40% de ganho. Pra conversão com os VALORES DE HOJE, só consigo 20% de ganho. 1 dólar custa R$ 3 na casa de câmbio, e 1 real vale 3,33 pesos. Fazendo as contas, 1 dólar vale 10 pesos (já incluído o IOF). Nas casas de câmbio indicadas, o dólar paralelo eh pago 11.8 pesos (ganho de 18 %). Os cambistas de rua (que costumam passar notas falsas) pagam 12 pesos por dólar. Nem no site http://www.dolarblue.net a cotação do dólar vale 14 pesos. Logo, como conseguir esse ganho de 40%?

    • Ernesto Lippmann

      Marcelo . A cotação que dei é quando o artigo foi escrito há 1 mes atras..Hoje,pelo site a cotação de compra do paralelo é de 12 pesos, e no oficial 8,65, o que dá 38% valor este que pode variar um pouco. Indo sem o “arbolito” na casa de cambio, eu consegui, para notas de 100 dólares um valor igual ou muito próximo do site. Assim, estou considerando a diferença de dolar para dólar, sendo que não estou considerando a comissão de dolar para o real.

  • Saterb

    Por favor, alguém teria condições de me responder às seguintes perguntas?
    1) As casas de câmbio do Aeroporto Ezeiza funcionam no sábado?
    2) É possível comprar o cartão SUBE no Ezeiza (para conseguir pegar a linha 8)?
    3) Além do Boston Cash há alguma outra casa de cambio de boa cotação e confiável?
    Obrigado!

  • l.a

    Faltou Rosário, que é uma belíssima cidade e fica a 4 horas de ônibus de buenos aires, sem contar que esta entre buenos aires e cordoba.

  • Charles Silva

    Alguém saberia me dizer se é fácil encontrar no centro de Buenos Aires adaptadores para tomadas de padrão novo brasileiro para o padrão de tomadas de Buenos Aires ?

    • Marcelo Guimarães

      Sim!! ontem mesmo vi ambulantes com um “tabuleiro” contendo inúmeros adaptadores. Só nao perguntei o preço!

      • Charles Silva

        Muito obrigado pela resposta Marcelo, vou procurar !

        • Marcelo Guimarães

          Vi na Calle Florida. Nao recordo o número. Mas vi mais de um vendedor.

  • Davi TC

    Fui para Argentina várias vezes e sempre usei cartão de crédito e máquinas de saque com câmbio oficial, mas nem de longe os preços saíram a nível de cidades como Paris e Londres. Entretanto na manipulação diária de dinheiro já peguei várias notas falsas que aprendi bem a reconhecer, então cuidado para não perder dinheiro na tentativa de economizar demais.

    Quanto aos destinos, além da já conhecida Mendonza, também recomendo Córdoba, uma ótima cidade circundada por outras cidades bem turísticas. Rosário também tem seu encanto, embora esteja se transformando em umbom destino turístico ainda ,o que deverá ocorrer de 5 a dez anos.

  • Ernesto Lippmann

    Obrigado pelo elogio, fico contente!

  • Ernesto Lippmann

    Daniela, hoje é assim, mas na década de 80 definitivamente não era esta a situação. Havia um nítido sentimento de orgulho e preconceito em relaçao aos Brasileiros.

    • jorge

      Não esqueça que ela é mulher rsrsrsrsrssrrsrsrsrssr

  • Ernesto Lippmann

    Renan, a linha existe, mas é muito, mas muito demorada. São umas 2 horas até o centro. E é um onibus urbano, sem espaço oara bagagem. Só vale para quem estiver com a grana muito contada.

    • Renan Santos

      Sim, mais vale para mochileiros e quem tem grana contada, como é meu caso rs …. de fato, é demorado.

      • Ernesto Lippmann

        É verdade, ja viajei assim também nos tempos de estudante, as passagens eram caras e eu fui uma boa parte do trajeto de carona, de carro e caminhão, na primeira vez que fui para Buenos em 1986.

  • Leows

    Quanto à violência, uma amiga minha que é comissária da Gol e voa sempre pra Buenos Aires me disse que já ouviu VÁRIAS pessoas relatando assaltos violentos na cidade! Ela e uma amiga foram seguidas por um grupo de rapazes que as cercaram e só não roubaram pq havia um hotel perto e um grupo de turistas barulhentos espantou os marginais. Só que, na esquina, surpresa: lá estavam eles de novo. Elas não foram assaltadas por sorte, pois entraram numa loja e só saíram de lá bem tarde. Quanto aos relatos violentos, eles aconteceram exatamente em táxis. As pessoas saem pra shows de tango, por exemplo, e na volta pegam um táxi que dá voltas por áreas perigosas da cidade e um bando simula assaltar o táxi, mas é tudo planejado. Um dos passageiros, já idoso, chegou a ser espancado. É lamentável que a Argentina esteja assim… Então, cuidado! Abs.

  • Liziana

    De qualquer forma, cuidem com taxistas! Um taxista de radio taxi me passou nota de peso falsa!

  • Daniel Belini

    Fora que como é na divisa você pode atravessar, ir para o Brasil, sacar reais no caixa eletrônico, voltar para a Argentina e trocar por pesos.

  • Taís

    Deveria ter um grande destaque sobre o ladrões!! Não vemos assaltos e nenhum tipo de abordagem direta… as mãos são super “leves”! Conseguem tirar carteira do bolso de uma pessoa em movimento… abrem mochilas enquanto vc anda… encenam q estão passando mal enquanto outra pessoa nexe no seu bolso… eu e minha família presenciamos tudo isso! E a pesar de eu estar com a minha bolsa embaixo do braço (agarrada)e andando em grupo, uma moça muito bem vestida abriu o zíper de trás p frente e de forma leve puxou o que estava em cima! Ainda bem q foi uma necesseire! Essa, andava em grupo! 2 casais! Incrível!! São especialistas em furto!! Sabendo disso, redobrem os cuidados! Mas aproveitem!! A cidade é linda…

  • Jéssica Fernandes

    Fomos em Julho do ano passado, e realmente fazer o cambio na Florida é a melhor das opções. Trocamos o real por 4,9 e o dólar por 12. Claro que fomos de uma ponta a outra, no início era 4,6 o real em todos que perguntávamos, mas no finalzinho um dava 4,9 ! Tudo que fizemos ficou “barato” por conta do cambio blue. Agora estávamos querendo ir pra Bariloche mas o preço das passagens não estava atrativo. Essa dica do onibus eu não tinha visto ainda, e me animou de fazer. Além do que dá pra fazer o cambio em BsAs e curtir Bariloche tranquilo ! Brigada MD por sempre compartilharem o que sabem, passar a informação pra frente e não só guarda-la pra vocês !

  • Elaine Brandao

    Galera… Um duvida.. se reservar o Hotel em sites como Booking.com, decolar.com ou outros do gênero… posso passar o cartão de credito.. e pagar o hotel em real?… ou mesmo fazendo a reserva pelo site, no Brasil, estou sujeita as taxa de cambio e imposto de IOF?

    Quero ver o que será mais vantagem pagar a reserva antes no cartão ou levar o dinheiro e pagar no hotel.

    • Ernesto Lippmann

      Depende do site. Se for pré pago, será feito na cotação ofiical e não vale a pena. Se houver a possibilidade de pagar no hotel, em pesos argentinos, vale a pena fazer pelo site.;É importante trocar a moeda da cotação para pesos argentinos (AR$)

    • Ernesto Lippmann

      Elaine, com certeza mundando a moeda para pesos argentinos no Booking (AR$), e escolhendo hoteis que aceitem pagamentos na chegada, e pagando neste caso em dinheiro trocado no cambio paralelo. Caso contrario voce perde duplamnete, no cambio e no IOF.

    • Lucas Almeida

      Eu reservei pelo site hoteis.com, paguei antecipadamente em reais, com cartão de crédito, e tinha opção de parcelar sem juros, em até 10x, para diversos hotéis (caso vc ache interessante). Recomendo o Centuria Hotel (próximo a Av 9 de Julho) e o Americas Towers Hotel (próximo a Av Santa Fe, na região da livraria El Atheneu), o que estiver mais em conta.

  • Ernesto Lippmann

    Voce pode fazer o cambio paralelo tranquilamente em Bariloche.

    • Jéssica Fernandes

      Tão bom quanto ? Pode me dizer onde ? Brigada !

      • Ernesto Lippmann

        Na rua principal de Bariloche, há algumas malharias que são na realidade casas de cambio. É só perguntar, não me lembro do endereço exato, mas certamente vão lhe informar no seu hotel, ou no comérico local .
        Qaunto a empresa de Onibus, as melhores são AndresMar, Chevalier, e ViaBariloche.

        • Jéssica Fernandes

          Muito obrigada !

    • Jéssica Fernandes

      E se possivel a empresa do onibus por favor, ja que ja tem uma opniao a respeito é melhor

  • Ernesto Lippmann

    É um azar. Mas atenção redobrada na Florida.

  • Ernesto Lippmann

    Desconheço, mas por via das dúvidas, nas casas de tango, peça que chamem um REMIS, que é um taxi sem identificação, apenas um pouco mais caro do que o taxi comum

  • Ernesto Lippmann

    ´Davi . É possivel que voce tenha ido há algum tempo. Hoje a diferença é grande, e como a maior nota, que é de 100 pesos equivale a 8 dólares, as falsificações diminuiram. De qualquer maneira, é sempre bom conferir a linha dagua, e se tiver duvida, peça para o cammbista trocar a nota.

    • Gilberto

      Concordo totalmente. Enquanto nao havia esta inflacao galopante por la, os precos nao eram nada absurdos, ate mesmo quando havia a paridade de 1:1 com o dolar la (da decada de 90 ate fim de 2001 antes do “panelazo”).. Eram mais justos. De 2011 pra ca os precos dispararam por la e esta cada dia mais dificil ir para la. Uma pousada simpatica em Ushuaia disparou em cerca de 2 anos o preco em cerca de 50%. Isso que sou amigo do dono e esta me fazendo um preco melhor. Continuando assim, darei total preferencia ao uruguai e ao Chile que tem maior estabilidade economica e da para tracar bem os gastos.

      • Ernesto Lippmann

        Estão de fato bem mais caros do que há alguns anos. Creio que esta foi a viagem mais cara para a Argentina que ja fiz.

  • Ernesto Lippmann

    É verdade, também acho uma Cidade simpática.

  • Ernesto Lippmann

    Obrigado!

  • Ernesto Lippmann

    1) Sim, mas so nio cambio oficial.
    2) Sim, mas lembre-se que é um transporte bem demorado.
    3) Sim, coloquei no post.

  • Ernesto Lippmann

    De nada, foi um prazer!

  • Renan Santos

    Ainda sonho em percorrer a Argentina de carro ….

    • Ernesto Lippmann

      Deve ser bem interessante fazer a ruta 40 completa. Nos foruns de jipeiros há alguns relatos sobre viagens de carro para a Argentina.

  • Ernesto Lippmann

    Se voce fizer toda a viagem com a Aerolineas, veja se não há transfer gratuito forncecido por eles. Caso contrario, se estiver sozinho há o onibus da Tienda e Leon. Se estiver em 3 ou mais pessoas, é possivel que o taxi seja mais barato.

  • Jacqueline

    Aluguei apartamento e passei um mês em Buenos Aires em 2010 à meia quadra da Florida. Foi uma viagem baratíssima na época. Depois de 10 dias lá, uma mulher meteu a mão na minha bolsa, na porta do prédio à tarde, e levou câmera com mais de trezentas fotos, documentos, cartão de crédito. Policiais pararam o carro e nos levaram até uma central para a ocorrência e tive que pagar 10 pesos por ela. Meu marido queria voltar e desistir do resto da viagem. Não quis e comprei outra câmera. Por sorte, os dólares e outro cartão de crédito estavam no cofre do apartamento. Saí dali há pouco com a bolsa cheia de papéis e uma quadra depois já todos os fechos estavam abertos. Ô gente rápida! Mas terminou sendo um mês sensacional com muitos passeios e muito tango.

    • Ernesto Lippmann

      A Rua Florida é muito visada pelos trombadinhas. É bom ter atenção. Minha sugestão é semrpe andar com uma cópia autenticada da sua identidade na Argentina, e diexar o original do Hotel. Qunato aos cartões a mesma dica vale. Acho um absurdo voce ser assaltado e ainda ter que pagar a ocorrencia policial.

  • Ernesto Lippmann

    Obrigado, ainda mais vindo de um local e que trabalha com turismo!

  • Heider Santos

    taxista é malandro em qualquer lugar do mundo meu amigo.

  • Wilson

    Bem, faria algumas considerações sobre o relato acima. Estive agora em janeiro pela segunda vez, tive problemas sim com o táxi solicitado por mim através do Hotel Amerian. Já sabido do alerta para somente contratar Rádio Taxi, esse Hotel contratou, sem o meu consenso um táxi sem identificação, resultado: Como precisava chegar rápido ao local de destino, tive que embarcar. Paguei com duas noras de 100 pesos ( corrida super faturada em 130 pesos) e o taxista simplesmente “fugiu” com o meu troco.
    Quando retornei ao Hotel, fiz a reclamação e fui tratado com desdém. Fiquei no prejuízo.
    Outra consideração é quanto ao metrô. Estranhamente fecham várias estações nos finais de semana e há falta de segurança com as estações em funcionamento praticamente sem qqer agente de segurança.
    Muito diferente de Santiago no Chile, logo entre as duas possibilidades eu fico com Santiago.

  • susiekill

    Eu acrescentaria o shopping Abasto, pelos melhores preços, cinemas, variedades, o Museo de Los Ninos (voce deixa a criançada e pode fazer 3 horinhas de programa de adulto). É facil de chegar – metro Abasto, sai dentro dele. E no entorno do Shopping, tem o museo Carlos Gardel, o Hipermercado Coto se quiser levar umas “picadas” pro hotel e jantar como um argentino – jamón, queso de oveja, conservas de pimentao, empanadas e medialunas a granel e um bom vinho sugerido pelo senhor que cuida da seção de bebidas. Alias, quer saber quanto custam as coisas basicas la? http://www.coto.com.ar ou se quiser ver coisas para casa, tipo Hm – http://www.falabella.com.ar. ja viu que é coisa de quem ja vai muitas vezes, né? Compras e comidas sao um ponto forte!

  • Cibifabi

    Ótimas dicas, Pato Econômico!! Realmente, BA fica mais baratinha com o câmbio Blue que os próprio hermanos criaram……

    • Ernesto Lippmann

      Obrigado!

  • Ernesto Lippmann

    Wilson O ideal seria voce fazer uma reclamação do taxista para a prefeitura, e quanto ao Hotel, converse com o gerente, e diga que vai reportar o caso no trip advisor. Tenho certeza de que irão lhe dar a atenção devida.
    Quanto ao fechamento das estações do metro no fim de semana, realmente ocorre, é algo local.

  • Johnniy

    Olá pessoal ! Comprei 2 passagens para Buenos Aires pela Qatar Airways, minha dúvida é quanto as bagagens, eu posso levar 2 malas de 23kg e minha esposa mais 2 de 23 kg ? É isso ? E se eu quiser levar 1 mala grande com mais de 23 kg eu posso ? E se ela passar do meu limite e minha esposa não levar nenhuma, pode contar o limite das duas pessoas ? Se puderem me ajudar eu agradeço..

    Obrigado !

  • Felipe

    Estou indo para Ushuaia na segunda mas faço uma escala de um dia em Buenos Aires? Pretendo levar uns 2 mil reais para trocar por la. Existe alguma “unanimidade” com relacao a qual loja de cambio blue utilizar? Imagino que seja na Florida, mas existe alguma com boa reputacao, fora a mencionada pelo Ernesto na materia?

    • Ernesto Lippmann

      Felipe, voce pode ver outras recomendações no site viajenaviagem do Ricardo Freire.

  • sil

    Se v. usa Rolex não leve, há quadrilhas especializadas, como aqui, que enxergam o seu mesmo sob a manga. Um casal amigo foi assaltado perto da Plaza San Telmo, num domingo à tarde. Bastou andarem 15 m para fora da multidão, foram atacados e cada um perdeu o seu. A polícia conhece e não faz nada.

  • Lucas Almeida

    Elaine, minha primeira viagem internacional tbm foi para Buenos Aires, se vc ainda estiver insegura quanto aos passeios, indico o guia brasileiro Cassiano Campioni Jr. Estive sem setembro do ano passado em BsAs, ele foi ao meu hotel e me deu boas dicas sobre cidade (inclusive compras e câmbio seguro), além de oferecer os passeios que vc quer e shows de tango a preços justos e pagamento facilitado. Você pode acha-lo facilmente no Facebook e no Whatsapp (+54 9 11 365-68591). No mais, com as informações que vc já tem, sua viagem tem tudo pra ser maravilhosa.

  • Lucas Almeida

    Com todo o respeito aos seus amigos, quem anda com rolex no braço, em qualquer país latinoamericano, está pedindo para ser assaltado.

  • Juliana Matos

    Fiz o cambio no meu hotel com a boston cash.. mandei mensagem no facebook deles e eles foram até o meu hotel…. e eles estao com uma promocao.. voce contrata o traslado do aeroporto e de quebra ganha um passeio para o lujan

    https://www.facebook.com/BostonCashBUENOSAIRES

  • Vinicius O. Martins

    Contratei os serviços da translado/câmbio da Boston Cash
    no início de maio/2015 e me arrependo profundamente. No dia da chegada
    ao aeroporto, o motorista não estava no local, entrei em contato pelo
    facebook e o responsável por gerenciar os motoristas não conseguia
    contato telefônico com o motorista. No fim das contas, tive que tarde da
    noite, eu, minha esposa e meu filho de 6 meses ter que pegar um táxi.
    Na volta foi a mesma novela, chega a hora marcada e nada de aparecerem
    no hotel para me levar de volta ao aeroporto. A mesma desculpa foi dada,
    não estavam conseguindo contato com o motorista. Que comunicação é
    essa? Pombo correio? Telégrafo? E o pior de tudo, me foi prometido o
    ressarcimento do meu dinheiro R$190,00 desde o dia 04/05/15 e até agora
    nada. A responsável Luana Lopes sequer pediu desculpas pelo atraso.
    Empresa totalmente sem comprometimento e responsabilidade com o cliente!

  • Rafael Ehlers

    Não compramos Pesos no Brasil para deixar para comprar quando chegássemos aqui na Argentina, assim acabamos nos ferrando pois o local onde fazia o exchange esta fechado. Tive que fazer um saque usando meu cartão de débito. Um saque de $300 Pesos, deu $57 de tarifa, horrível. Ao chegar já no apartamento locado, utilizamos os serviços do Boston Cash como foi sugerido aqui no Post. Muito bom, eles vieram em menos de 5 minutos após você mandar mensagem para eles no Facebook. Uma cotação bem boa e não precisou correr o risco de fazer isto lá na Rua Florida (que é bem movimentada).

  • Fernanda Manuela

    Olá, estou indo pra Buenos Aires dia 05/06 e adorei as dicas aqui do MD. Por favor, alguém sabe quanto custa um táxi comum do aeroparque para o centro? é mais vantagem ir do táxi do que de Arbus? Grata

    • Luca Fernandes

      o taxi esta em torno de R$ 60,00 reais, ou traslado em carro particular vi pela boston cash o traslado deles é R$ 35,00 reais.

  • Joseph Filho

    Ledo engano, é com X mesmo… Vide Google tradutor

  • Joseph Filho

    Eu sou carioca e ratifico o que o amigo disse, é com X 😁

  • Maria Clara

    O real está subindo!!!! Hoje na boston Cash está 3.90!!!!! Quem quiser troca com a boston o WhatsApp deles é +54 11 3300-3552. Eles levam no seu hotel até as 23h00.entrega até de domingo .. !!! E eles fazem traslado. Estão cobrando do ezeiza para o hotel somente 300 pesos!!!! Os taxistas estão cobrando 450,00!!! Achei uma ótima opção a boston Cash. Quem quiser também pode acha eles no Facebook : Boston Cash!!!! Espero ter ajudado um pouco os futuros viajantes!!! Bjs

  • Douglas S

    Estive em buenos aires por 6 dias, e quando cheguei anteriormente entrei em contato pelo facebook com a BOSTON CASH e contratei o serviço de traslado e cambio, ocorreu tudo certo como o combinado, nada de surpresas. adorei o atendimento da empresa e a cotação é muito boa.. melhor do que ir troca na rua e correr risco de ser roubado… antes de contratar eles pesquisei muito e realmente eles são honestos e super profissionais, quem quiser vou deixa o facebook da boston cash, eles também entrega o dinheiro por delivery direto no hotel ou no aeroporto.. bom, deixo minha dicas para os futuros viajantes..

    https://www.facebook.com/BostonCashBUENOSAIRES

    whatsapp + 54 11 3300-3552

  • Natalia Ferreira

    estive em buenos aires por 6 dias com meu marido, nao tive problema nenhum com taxista srs e nem com nota falsa. graça a empresa que eu fiz o cambio que ser chama Boston cash, eu fiz o cambio e o traslado com eles, as notas deles sao carimbadas assim evita que algum taxista troque por uma falsa, quem quiser contato deles é so procura no facebook BOSTON CASH.

  • Kárita Ferrer

    Queria saber por que estão falando de valores em dólares gastos na Argentina para brasileiros.

  • Paulo Roberto

    Em 2008 fiquei 6 dias em buenos aires e vi 5 furtos e roubos no centro da cidade. Voltei em 2010 por 5 dias e o conselho dos nativos era: não se afaste do centro de Caminito em la Boca ali serás roubado com 100% de certeza.